‘Mais de 70 tiros’, diz delegada sobre chacina de família em Porto Alegre

Três dos quatro homens mortos a tiros na madrugada desta quinta-feira (12) na Zona Norte de Porto Alegre eram irmãos. Nenhuma das vítimas tinha antecedentes criminais, de acordo com a Polícia Civil.
Os irmãos foram identificados como Cristiano Juver, de 41 anos; Marcelo Juver dos Santos, 34; e Fernando Juver dos Santos, de 31. A quarta vítima é Lucas Nascimento dos Santos, de 28 anos, que era primo dos três irmãos, conforme informações preliminares da Polícia Civil.
Eles foram retirados pelos criminosos da casa onde estavam e executados em uma rua do bairro Sarandi. Os corpos foram encontrado na esquina das ruas Pedro Moreto e Rua Jacques de Figueiredo.
Familiares disseram que eles foram mortos por engano, uma vez que não teriam relação com atividades criminosas. De acordo com a delegada Roberta Bertoldo, que investiga o caso, foram disparados mais de 70 tiros de pistola, revólver, espingarda e fuzil de cinco calibres: 9mm, 12, .30, .45 e 7.62.
“Foram mais de 70 tiros. As vítimas não têm antecedentes que vinculem eles a tráfico de drogas. Ainda não podemos excluir ou concluir que foi por acaso. Mas tanto tiro assim, é dificil ser por acaso. Agora, vamos apurar o que de fato ocorreu”, disse a delegada Roberta ao G1.
Conforme a Polícia Civil, o crime teria acontecido por volta das 2h. Moradores relataram muitos tiros durante a madrugada e apontaram o local do crime como um suposto ponto de venda de drogas.
G1

Três dos quatro homens mortos a tiros na madrugada desta quinta-feira (12) na Zona Norte de Porto Alegre eram irmãos. Nenhuma das vítimas tinha antecedentes criminais, de acordo com a Polícia Civil.
Os irmãos foram identificados como Cristiano Juver, de 41 anos; Marcelo Juver dos Santos, 34; e Fernando Juver dos Santos, de 31. A quarta vítima é Lucas Nascimento dos Santos, de 28 anos, que era primo dos três irmãos, conforme informações preliminares da Polícia Civil.
Eles foram retirados pelos criminosos da casa onde estavam e executados em uma rua do bairro Sarandi. Os corpos foram encontrado na esquina das ruas Pedro Moreto e Rua Jacques de Figueiredo.
Familiares disseram que eles foram mortos por engano, uma vez que não teriam relação com atividades criminosas. De acordo com a delegada Roberta Bertoldo, que investiga o caso, foram disparados mais de 70 tiros de pistola, revólver, espingarda e fuzil de cinco calibres: 9mm, 12, .30, .45 e 7.62.
“Foram mais de 70 tiros. As vítimas não têm antecedentes que vinculem eles a tráfico de drogas. Ainda não podemos excluir ou concluir que foi por acaso. Mas tanto tiro assim, é dificil ser por acaso. Agora, vamos apurar o que de fato ocorreu”, disse a delegada Roberta ao G1.
Conforme a Polícia Civil, o crime teria acontecido por volta das 2h. Moradores relataram muitos tiros durante a madrugada e apontaram o local do crime como um suposto ponto de venda de drogas.
G1