Justiça decreta prisão de jovem que atropelou agente de trânsito em blitz na Capital

A juíza Andrea Arcoverde, plantonista do 1º Juizado Especial Misto do Fórum de Mangabeira, em João Pessoa, decretou a prisão temporária de Rodolpho Gonçalves Carlos da Silva, na noite desse sábado (21), pelo atropelamento do agente de trânsito da Lei Seca, Diogo Nascimento, 34 anos, durante a realização de uma blitz no bairro do Bessa, na Capital. O fato aconteceu na madrugada do sábado. A vítima continua internada em estado grave.
“Ele é agora considerado foragido. A Polícia Civil está empenhada para localizá-lo [motorista] e a ordem é prendê-lo. O mandado de prisão é por 30 dias, mas, ele poderá ser prorrogado por mais trinta ou convertido em preventiva. Quando for preso, Rodolpho ficará na carceragem da Central de Polícia Civil”, explicou o delegado Marcos Paulo, superintendente da Polícia Civil na Região Metropolitana da Capital.
O delegado explicou que desde a identificação do motorista, a Polícia Civil e os órgãos de trânsito iniciaram uma caçada para prender Rodolpho Gonçalves em flagrante. “Realizamos buscas em vários endereços que foram nos informados, mas o rapaz não foi localizado. As polícias estão empenhadas para prender já que trata-se de um foragido”, avisou. Até a publicação da reportagem o jovem continua em liberdade.

Carro encontrado
O carro de luxo Porsche branco foi encontrado em um condomínio em Manaíra e apreendido para perícia, no fim da tarde do sábado (21). Imagens que circulam nas redes sociais mostram o quanto o para-brisa ficou danificado por causa do atropelamento. O estado do equipamento, bem como imagens de câmeras de monitoramento instaladas próximas ao acidente, vão ajudar os peritos a estimar a velocidade em que o carro era conduzido.
“Ao observar a situação do para-brisa já identificamos que o corpo foi projetado e atingiu o vidro frontal do carro. Essa situação se chama de ‘Efeito Cunha’, isso acontece quando o veículo atinge uma grande velocidade, mas vamos analisar para concluir qual foi a velocidade do Porsche”, falou Lúcio Silva, perito criminal do Instituto de Polícia Científica (IPC) da Paraíba.

Atropelamento
O servidor do Departamento Estadual de Trânsito da Paraíba (Detran-PB), Diogo Nascimento comandava uma blitz da Operação Lei Seca na Avenida Governador Argemiro de Figueiredo no momento do acidente. Ele foi atingido por um Porsche que trafegava em alta velocidade. O motorista fugiu sem prestar socorro, mas, devido ao impacto da batida, a placa do veículo caiu na pista e foi apreendida pelas autoridades.
Segundo o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, Diogo está internado em estado grave na UTI com politraumatismo.

OAB-PB cobra
A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional da Paraíba (OAB-PB), divulgou nota à imprensa para prestar solidariedade à família e ao agente de trânsito da Lei Seca, Diogo Nascimento. Na nota, a OAB-PB cobra investigação do caso e responsabilização do culpado, mas repele veementemente a atitude irresponsável, preconceituosa e algumas redes sociais que veicularam matérias com o objetivo de ameaçar e obstar a atuação do advogado do acusado do atropelamento, incitando a população neste sentido.

A juíza Andrea Arcoverde, plantonista do 1º Juizado Especial Misto do Fórum de Mangabeira, em João Pessoa, decretou a prisão temporária de Rodolpho Gonçalves Carlos da Silva, na noite desse sábado (21), pelo atropelamento do agente de trânsito da Lei Seca, Diogo Nascimento, 34 anos, durante a realização de uma blitz no bairro do Bessa, na Capital. O fato aconteceu na madrugada do sábado. A vítima continua internada em estado grave.
“Ele é agora considerado foragido. A Polícia Civil está empenhada para localizá-lo [motorista] e a ordem é prendê-lo. O mandado de prisão é por 30 dias, mas, ele poderá ser prorrogado por mais trinta ou convertido em preventiva. Quando for preso, Rodolpho ficará na carceragem da Central de Polícia Civil”, explicou o delegado Marcos Paulo, superintendente da Polícia Civil na Região Metropolitana da Capital.
O delegado explicou que desde a identificação do motorista, a Polícia Civil e os órgãos de trânsito iniciaram uma caçada para prender Rodolpho Gonçalves em flagrante. “Realizamos buscas em vários endereços que foram nos informados, mas o rapaz não foi localizado. As polícias estão empenhadas para prender já que trata-se de um foragido”, avisou. Até a publicação da reportagem o jovem continua em liberdade.

Carro encontrado
O carro de luxo Porsche branco foi encontrado em um condomínio em Manaíra e apreendido para perícia, no fim da tarde do sábado (21). Imagens que circulam nas redes sociais mostram o quanto o para-brisa ficou danificado por causa do atropelamento. O estado do equipamento, bem como imagens de câmeras de monitoramento instaladas próximas ao acidente, vão ajudar os peritos a estimar a velocidade em que o carro era conduzido.
“Ao observar a situação do para-brisa já identificamos que o corpo foi projetado e atingiu o vidro frontal do carro. Essa situação se chama de ‘Efeito Cunha’, isso acontece quando o veículo atinge uma grande velocidade, mas vamos analisar para concluir qual foi a velocidade do Porsche”, falou Lúcio Silva, perito criminal do Instituto de Polícia Científica (IPC) da Paraíba.

Atropelamento
O servidor do Departamento Estadual de Trânsito da Paraíba (Detran-PB), Diogo Nascimento comandava uma blitz da Operação Lei Seca na Avenida Governador Argemiro de Figueiredo no momento do acidente. Ele foi atingido por um Porsche que trafegava em alta velocidade. O motorista fugiu sem prestar socorro, mas, devido ao impacto da batida, a placa do veículo caiu na pista e foi apreendida pelas autoridades.
Segundo o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa, Diogo está internado em estado grave na UTI com politraumatismo.

OAB-PB cobra
A Ordem dos Advogados do Brasil, Seccional da Paraíba (OAB-PB), divulgou nota à imprensa para prestar solidariedade à família e ao agente de trânsito da Lei Seca, Diogo Nascimento. Na nota, a OAB-PB cobra investigação do caso e responsabilização do culpado, mas repele veementemente a atitude irresponsável, preconceituosa e algumas redes sociais que veicularam matérias com o objetivo de ameaçar e obstar a atuação do advogado do acusado do atropelamento, incitando a população neste sentido.