Vereador mais votado é preso suspeito de envolvimento em explosões bancárias

Um vereador do município de Alcantil foi preso nesta sexta-feira (27) por suspeita de envolvimento em explosões de instituições bancárias. Moisés Marques de Sousa (PV), de 36 anos, vereador mais votado do município, foi preso durante uma operação da Polícia Civil, assim como outras oito pessoas.
Moisés obteve 419 votos nas eleições de outubro e, segundo a polícia, integra uma quadrilha especializada em praticar crimes contras bancos localizados na Paraíba e Pernambuco.
Durante as buscas, foram apreendidas 3 pistolas (.45, 9mm e 380) e aproximadamente R$ 3 mil. Outras seis prisões ocorreram em Alcantil, uma em Campina Grande e outra em Alagoa Grande. A operação foi realizada em conjunto com a Polícia Civil de Pernambuco. Um efetivo de 80 policiais foi empregado na operação.
“Esse grupo é acusado de várias explosões na Paraíba e em Pernambuco. As investigações prosseguem e não descartamos a participação de outras pessoas nessa quadrilha”, explicou ao Portal MaisPB o delegado Luciano Soares, responsável pela operação.
Outros mandados de prisão estão sendo cumpridos no estado de Pernambuco, onde a quadrilha é suspeita de atuar nos municípios de Macaparana, Machados, São Vicente Ferrer, Santa Cruz do Capibaribe, Taquaritinga do Norte, Jataúba e Orobó.
Na operação foram cumpridos 45 mandados, sendo 16 de prisão temporária, três de condução coercitiva, além de 26 de busca e apreensão.
MaisPB

Um vereador do município de Alcantil foi preso nesta sexta-feira (27) por suspeita de envolvimento em explosões de instituições bancárias. Moisés Marques de Sousa (PV), de 36 anos, vereador mais votado do município, foi preso durante uma operação da Polícia Civil, assim como outras oito pessoas.
Moisés obteve 419 votos nas eleições de outubro e, segundo a polícia, integra uma quadrilha especializada em praticar crimes contras bancos localizados na Paraíba e Pernambuco.
Durante as buscas, foram apreendidas 3 pistolas (.45, 9mm e 380) e aproximadamente R$ 3 mil. Outras seis prisões ocorreram em Alcantil, uma em Campina Grande e outra em Alagoa Grande. A operação foi realizada em conjunto com a Polícia Civil de Pernambuco. Um efetivo de 80 policiais foi empregado na operação.
“Esse grupo é acusado de várias explosões na Paraíba e em Pernambuco. As investigações prosseguem e não descartamos a participação de outras pessoas nessa quadrilha”, explicou ao Portal MaisPB o delegado Luciano Soares, responsável pela operação.
Outros mandados de prisão estão sendo cumpridos no estado de Pernambuco, onde a quadrilha é suspeita de atuar nos municípios de Macaparana, Machados, São Vicente Ferrer, Santa Cruz do Capibaribe, Taquaritinga do Norte, Jataúba e Orobó.
Na operação foram cumpridos 45 mandados, sendo 16 de prisão temporária, três de condução coercitiva, além de 26 de busca e apreensão.
MaisPB