Agente da Polícia Civil é morto dentro de Delegacia na Paraíba

O agente da Polícia Civil, Klaus Cruz Lima, 34 anos, foi assassinado a tiros por um preso, na manhã deste domingo (29), dentro da Delegacia de Patos, Sertão paraibano, a 316 km de João Pessoa. O suspeito teria disparado a queima roupa contra o agente Klaus que teve morte imediata. Suspeito foi morto por outro policial.
Segundo a Polícia Civil, o autor dos disparos foi Emerson Benedito Dias, do Estado de São Paulo, que havia sido preso pela Policia Rodoviária Federal (PRF), suspeito de pertencer a um grupo de assaltantes de banco, que estava aguardando para prestar depoimento. O crime ocorreu por volta de 11h, dentro da Delegacia de Homicídio, localizada no bairro da Maternidade, em Patos.
Preso- Após o disparo, o preso foi alvejado por outro policial e chegou a ser socorrido para o Hospital Regional de Patos, porém não resistiu e faleceu. Para os policiais, Emerson Benedito pode ter ligação com a organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), pois tem várias tatuagens pelo corpo, entre elas a do “Palhaço” que é um símbolo macabro de ódio as polícias.
O acusado estava na Delegacia juntamente com um comparsa, sendo ouvido pelo delegado, quando teve acesso a arma e efetuou os disparos. De acordo com a polícia, houve troca de tiros e o suspeito que matou o agente foi atingido por outro agente da civil.

O agente da Polícia Civil, Klaus Cruz Lima, 34 anos, foi assassinado a tiros por um preso, na manhã deste domingo (29), dentro da Delegacia de Patos, Sertão paraibano, a 316 km de João Pessoa. O suspeito teria disparado a queima roupa contra o agente Klaus que teve morte imediata. Suspeito foi morto por outro policial.
Segundo a Polícia Civil, o autor dos disparos foi Emerson Benedito Dias, do Estado de São Paulo, que havia sido preso pela Policia Rodoviária Federal (PRF), suspeito de pertencer a um grupo de assaltantes de banco, que estava aguardando para prestar depoimento. O crime ocorreu por volta de 11h, dentro da Delegacia de Homicídio, localizada no bairro da Maternidade, em Patos.
Preso- Após o disparo, o preso foi alvejado por outro policial e chegou a ser socorrido para o Hospital Regional de Patos, porém não resistiu e faleceu. Para os policiais, Emerson Benedito pode ter ligação com a organização criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC), pois tem várias tatuagens pelo corpo, entre elas a do “Palhaço” que é um símbolo macabro de ódio as polícias.
O acusado estava na Delegacia juntamente com um comparsa, sendo ouvido pelo delegado, quando teve acesso a arma e efetuou os disparos. De acordo com a polícia, houve troca de tiros e o suspeito que matou o agente foi atingido por outro agente da civil.