Campinense e Botafogo-PB são derrotados e estão eliminados da Copa do Brasil 2017

Em uma noite que teve futebol superior ao adversário, o Campinense teve o ídolo Glédson como grande vilão da eliminação na Copa do Brasil de 2017. O goleiro rubro-negro cometeu um erro bobo e fez um pênalti que começou a construir a vitória por 2 a 0 da Ponte Preta no estádio Amigão, em Campina Grande. O Botafogo-PB, por sua vez, jogando no Colosso dos Tapajós, em Santarém (PA), foi derrotado por 3 a 0 pelo São Francisco e também está fora da competição nacional.

Campinense 0 x 2 Ponte Preta
Precisando vencer, já que pelo novo regulamento da competição o time melhor ranqueado joga por até um empate para chegar à próxima fase, o Campinense foi para cima da Macaca em busca da vitória desde o início da partida. E já aos oito minutos a Raposa fez boa jogada pela esquerda com Thiago Orobó, que tocou para Renatinho na direita, que chutou de perna esquerda e obrigou Aranha a fazer a primeira boa intervenção no jogo.

Sem se expor muito, a Ponte Preta também não deixava de atacar e, jogando com três atacantes, utilizava-se muito de William Pottker, aberto pela direita, para buscar suas melhores chances, que não eram tão claras, mas apareciam em bolas paradas.

Aos 33 minutos, Renatinho, da Raposa, subiu pela direita e, de trivela, cruzou para Jussimar, que de cabeça mandou no canto direito rasteiro do arqueiro, que caiu e fez a defesa sem muita dificuldade.

No segundo tempo a Ponte começou pressionando em bolas paradas. Em dois escanteios, aos quatro e cinco minutos, Pottker chegou a assustar a defesa. Mas quem chegou com perigo mesmo foi o Campinense, que aos 10 minutos fez boa jogada pela esquerda, onde Ronaell buscou a inversão para Renatinho na direita. O baixinho ajeitou para Magno, que soltou a bomba da meia lua. Aranha espalmou e Thiago Orobó quase aproveitou o rebote.

Aos 17, quase o rubro negro abre o placar mais uma vez. Após cruzamento na área, Joécio aproveitou o bate rebate e cabeceou quase da pequena área, mas o arqueiro da Ponte fez grande defesa para evitar o gol.

Muito superior na segunda etapa, o Campinense sofreu o castigo em um lance bizarro. Aos 24 minutos, Glédson segurou a bola e soltou nos pés de William Pottker. Na tentativa de se recuperar, derrubou o artilheiro do último brasileiro e cometeu o pênalti. Na cobrança, Pottker bateu no canto esquerdo do goleiro, que pulou para o outro lado, e abriu o placar.

A Raposa não teve nem tempo para reagir. Aos 27, o time de Campinas tratou de matar o jogo. A defesa do Campinense deu espaço e William Pottker recebeu no meio e tentou chutar. A zaga dividiu a bola, que sobrou para Lins na esquerda. O atacante só colocou no canto esquerdo de Glédson e fez o segundo gol dos visitantes.

O Campinense se abateu com os gols sofridos em sequência e não conseguiu mais criar. A Ponte aproveitou para administrar o placar de 2 a 0 para garantir a volta para a Campinas com a vaga para a segunda fase da Copa do Brasil na bagagem.

São Francisco-PA 3 x 0 Botafogo-PB
O empate garantiria a classificação do Belo e o Leão de Santarém precisava ser mais ofensivo para avançar na competição. O time da casa teve essa postura dentro de campo e garantiu a vitória.

Após um início de partida equilibrado, o atacante Bartola, aos 33 minutos, colocou o São Francisco na frente da disputa, abrindo o placar.

O Leão voltou com tudo para o segundo tempo. Logo após a expulsão de Plínio, do Belo, que atingiu Bartola no rosto com o cotovelo, Marcos Alemão marcou o segundo para os donos da casa. O São Francisco ainda fez o terceiro gol com o artilheiro do time, Fábio Paulista.
Voz da Torcida

Em uma noite que teve futebol superior ao adversário, o Campinense teve o ídolo Glédson como grande vilão da eliminação na Copa do Brasil de 2017. O goleiro rubro-negro cometeu um erro bobo e fez um pênalti que começou a construir a vitória por 2 a 0 da Ponte Preta no estádio Amigão, em Campina Grande. O Botafogo-PB, por sua vez, jogando no Colosso dos Tapajós, em Santarém (PA), foi derrotado por 3 a 0 pelo São Francisco e também está fora da competição nacional.

Campinense 0 x 2 Ponte Preta
Precisando vencer, já que pelo novo regulamento da competição o time melhor ranqueado joga por até um empate para chegar à próxima fase, o Campinense foi para cima da Macaca em busca da vitória desde o início da partida. E já aos oito minutos a Raposa fez boa jogada pela esquerda com Thiago Orobó, que tocou para Renatinho na direita, que chutou de perna esquerda e obrigou Aranha a fazer a primeira boa intervenção no jogo.

Sem se expor muito, a Ponte Preta também não deixava de atacar e, jogando com três atacantes, utilizava-se muito de William Pottker, aberto pela direita, para buscar suas melhores chances, que não eram tão claras, mas apareciam em bolas paradas.

Aos 33 minutos, Renatinho, da Raposa, subiu pela direita e, de trivela, cruzou para Jussimar, que de cabeça mandou no canto direito rasteiro do arqueiro, que caiu e fez a defesa sem muita dificuldade.

No segundo tempo a Ponte começou pressionando em bolas paradas. Em dois escanteios, aos quatro e cinco minutos, Pottker chegou a assustar a defesa. Mas quem chegou com perigo mesmo foi o Campinense, que aos 10 minutos fez boa jogada pela esquerda, onde Ronaell buscou a inversão para Renatinho na direita. O baixinho ajeitou para Magno, que soltou a bomba da meia lua. Aranha espalmou e Thiago Orobó quase aproveitou o rebote.

Aos 17, quase o rubro negro abre o placar mais uma vez. Após cruzamento na área, Joécio aproveitou o bate rebate e cabeceou quase da pequena área, mas o arqueiro da Ponte fez grande defesa para evitar o gol.

Muito superior na segunda etapa, o Campinense sofreu o castigo em um lance bizarro. Aos 24 minutos, Glédson segurou a bola e soltou nos pés de William Pottker. Na tentativa de se recuperar, derrubou o artilheiro do último brasileiro e cometeu o pênalti. Na cobrança, Pottker bateu no canto esquerdo do goleiro, que pulou para o outro lado, e abriu o placar.

A Raposa não teve nem tempo para reagir. Aos 27, o time de Campinas tratou de matar o jogo. A defesa do Campinense deu espaço e William Pottker recebeu no meio e tentou chutar. A zaga dividiu a bola, que sobrou para Lins na esquerda. O atacante só colocou no canto esquerdo de Glédson e fez o segundo gol dos visitantes.

O Campinense se abateu com os gols sofridos em sequência e não conseguiu mais criar. A Ponte aproveitou para administrar o placar de 2 a 0 para garantir a volta para a Campinas com a vaga para a segunda fase da Copa do Brasil na bagagem.

São Francisco-PA 3 x 0 Botafogo-PB
O empate garantiria a classificação do Belo e o Leão de Santarém precisava ser mais ofensivo para avançar na competição. O time da casa teve essa postura dentro de campo e garantiu a vitória.

Após um início de partida equilibrado, o atacante Bartola, aos 33 minutos, colocou o São Francisco na frente da disputa, abrindo o placar.

O Leão voltou com tudo para o segundo tempo. Logo após a expulsão de Plínio, do Belo, que atingiu Bartola no rosto com o cotovelo, Marcos Alemão marcou o segundo para os donos da casa. O São Francisco ainda fez o terceiro gol com o artilheiro do time, Fábio Paulista.
Voz da Torcida