Suspeito de mandar matar esposa em CG é preso e diz que pagou R$ 1,5 mil pelo crime

Foi preso neste sábado (11), em Pernambuco, o marido de Aline Albuquerque da Silva, morta no dia 21 de dezembro de 2016. Luciano Mota do Nascimento, de 44 anos, é suspeito de mandar matá-la em Bodocongó, na Zona Oeste de Campina Grande. Em vídeo gravado na delegacia, ele disse que pagou R$ 1.500 para que dois homens simulassem um assalto e a matassem a tiros.

Luciano afirmou que ordenou o crime porque teria sofrido ameaças de Aline. Segundo o suspeito, ela não aceitava as famílias que ele construiu em dois casamentos anteriores e teria o acordado dizendo que iria matá-lo.

Pai de quatro filhos, frutos de dois casamentos anteriores, ele parecia arrependido. “Agora vou pagar pelo erro que cometi, afirmou.

Luciano foi preso na cidade de Paulista (PE), por meio de trabalho conjunto das polícias Civil de Pernambuco e da Paraíba.

Inicialmente, a linha de investigação era de que teria ocorrido um latrocínio, que é o roubo seguido de morte. Porém, com o andamento das investigações, a polícia começou a apurar a hipótese de execução e duas pessoas foram presas.

Segundo a Polícia Civil da Paraíba, o suspeito teria ordenado a morte da esposa para queima de arquivo. A polícia disse que ele estaria envolvido em crimes patrimoniais e que ela teria ameaçado denunciá-lo.

Após prestar depoimento, Luciano deve ficar preso na penitenciária do Serrotão, em Campina Grande, onde permanecerá à disposição da Justiça.

Foi preso neste sábado (11), em Pernambuco, o marido de Aline Albuquerque da Silva, morta no dia 21 de dezembro de 2016. Luciano Mota do Nascimento, de 44 anos, é suspeito de mandar matá-la em Bodocongó, na Zona Oeste de Campina Grande. Em vídeo gravado na delegacia, ele disse que pagou R$ 1.500 para que dois homens simulassem um assalto e a matassem a tiros.

Luciano afirmou que ordenou o crime porque teria sofrido ameaças de Aline. Segundo o suspeito, ela não aceitava as famílias que ele construiu em dois casamentos anteriores e teria o acordado dizendo que iria matá-lo.

Pai de quatro filhos, frutos de dois casamentos anteriores, ele parecia arrependido. “Agora vou pagar pelo erro que cometi, afirmou.

Luciano foi preso na cidade de Paulista (PE), por meio de trabalho conjunto das polícias Civil de Pernambuco e da Paraíba.

Inicialmente, a linha de investigação era de que teria ocorrido um latrocínio, que é o roubo seguido de morte. Porém, com o andamento das investigações, a polícia começou a apurar a hipótese de execução e duas pessoas foram presas.

Segundo a Polícia Civil da Paraíba, o suspeito teria ordenado a morte da esposa para queima de arquivo. A polícia disse que ele estaria envolvido em crimes patrimoniais e que ela teria ameaçado denunciá-lo.

Após prestar depoimento, Luciano deve ficar preso na penitenciária do Serrotão, em Campina Grande, onde permanecerá à disposição da Justiça.