Com salários atrasados e em crise, Treze anuncia dispensas

Fora do G-4, com salário dos jogadores atrasado, sem vencer há três jogos e em um momento de muita turbulência, o Galo deve passar por uma reformulação nesse intervalo de 11 dias até o início do segundo turno do estadual. As mudanças já foram anunciadas nessa segunda-feira (20), quando a diretoria confirmou três saídas: o zagueiro Léo Kanu pediu para deixar o clube, enquanto o volante Thiago Costa e o atacante Geraldo Filho foram dispensados..

Já o meia Anderson Feijão, que se envolveu em uma polêmica no jogo contra o Macaco Autino, quando fez gestos obscenos para um torcedor, usou a redes sociais para pedir desculpas ao torcedor e estendeu o pedido de desculpas para toda “nação alvinegra”.

Ele ainda manifestou o desejo de continuar vestindo a camisa do Treze.

“Eu não gosto de perder. Estávamos perdendo e eu estava de cabeça quente. O torcedor me xingou e eu fiz isso. Errei. Não sou perfeito. Mas peço desculpas para esse torcedor e para toda nação alvinegra, torcida que eu tenho tanto carinho. Outra coisa, eu não quero sair. Não sou de abandonar o barco, quero ficar e dar a volta por cima”, declarou o meia Feijão.
Na sexta colocação do Paraibano, com 12 pontos, o Alvinegro só volta a jogar pelo estadual na quarta-feira de Cinzas (1º), quando enfrenta o Atlético de Cajazeiras, no Perpetão.

Fora do G-4, com salário dos jogadores atrasado, sem vencer há três jogos e em um momento de muita turbulência, o Galo deve passar por uma reformulação nesse intervalo de 11 dias até o início do segundo turno do estadual. As mudanças já foram anunciadas nessa segunda-feira (20), quando a diretoria confirmou três saídas: o zagueiro Léo Kanu pediu para deixar o clube, enquanto o volante Thiago Costa e o atacante Geraldo Filho foram dispensados..

Já o meia Anderson Feijão, que se envolveu em uma polêmica no jogo contra o Macaco Autino, quando fez gestos obscenos para um torcedor, usou a redes sociais para pedir desculpas ao torcedor e estendeu o pedido de desculpas para toda “nação alvinegra”.

Ele ainda manifestou o desejo de continuar vestindo a camisa do Treze.

“Eu não gosto de perder. Estávamos perdendo e eu estava de cabeça quente. O torcedor me xingou e eu fiz isso. Errei. Não sou perfeito. Mas peço desculpas para esse torcedor e para toda nação alvinegra, torcida que eu tenho tanto carinho. Outra coisa, eu não quero sair. Não sou de abandonar o barco, quero ficar e dar a volta por cima”, declarou o meia Feijão.
Na sexta colocação do Paraibano, com 12 pontos, o Alvinegro só volta a jogar pelo estadual na quarta-feira de Cinzas (1º), quando enfrenta o Atlético de Cajazeiras, no Perpetão.