Presidente da FIEP visita Eixo Leste da Transposição em Monteiro

Enfático ao afirmar que a Paraíba só tem Futuro com a Transposição, o presidente da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba – FIEP, Francisco Buega Gadelha visitou neste domingo, 19/03, o Eixo Leste da Transposição na cidade de Monteiro.
O presidente da FIEP sempre defendeu a Transposição como alternativa para combater a crise hídrica no Nordeste brasileiro, e mais precisamente na Paraíba, um dos Estados mais pobres em recursos hídricos do Brasil, e que será um dos mais beneficiados com a chegada das Águas do São Francisco. “Eu sempre disse que a Paraíba sem a Transposição não teria Futuro algum, como Campina Grande estaria hoje sem a chegada das Águas do São Francisco? Nesta altura já estaríamos pensando em abandonar a cidade, abastecimento com carro pipa era impossível, e muita gente se posicionava contra a Obra e dizia ter orgulho, mas Deus nos deu inteligência para trabalhar em prol do bem comum, e a Transposição é um bem coletivo, porque vai beneficiar milhões de pessoas”, disse Francisco Buega Gadelha.
Buega Gadelha afirmou que a Transposição chega trazendo oportunidades de negócios para a Paraíba. “A Transposição chega trazendo muitas oportunidades de gerar riquezas, uma das melhores dos últimos 50 anos. Hoje nós importamos nossos alimentos, mas com as Águas do São Francisco, nós vamos tornar o Agronegócio uma realidade na Paraíba, através do cultivo de culturas irrigadas”, enfatizou.
As obras da Transposição das Águas do Rio São Francisco começaram no ano de 2007, e é considerada a maior obra de infraestrutura hídrica do país. O Projeto possui 477 quilômetros de extensão, divididos nos dois eixos, o Leste e o Norte, e beneficiará 12 milhões de pessoas dos Estados de Pernambuco, Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba.

Enfático ao afirmar que a Paraíba só tem Futuro com a Transposição, o presidente da Federação das Indústrias do Estado da Paraíba – FIEP, Francisco Buega Gadelha visitou neste domingo, 19/03, o Eixo Leste da Transposição na cidade de Monteiro.
O presidente da FIEP sempre defendeu a Transposição como alternativa para combater a crise hídrica no Nordeste brasileiro, e mais precisamente na Paraíba, um dos Estados mais pobres em recursos hídricos do Brasil, e que será um dos mais beneficiados com a chegada das Águas do São Francisco. “Eu sempre disse que a Paraíba sem a Transposição não teria Futuro algum, como Campina Grande estaria hoje sem a chegada das Águas do São Francisco? Nesta altura já estaríamos pensando em abandonar a cidade, abastecimento com carro pipa era impossível, e muita gente se posicionava contra a Obra e dizia ter orgulho, mas Deus nos deu inteligência para trabalhar em prol do bem comum, e a Transposição é um bem coletivo, porque vai beneficiar milhões de pessoas”, disse Francisco Buega Gadelha.
Buega Gadelha afirmou que a Transposição chega trazendo oportunidades de negócios para a Paraíba. “A Transposição chega trazendo muitas oportunidades de gerar riquezas, uma das melhores dos últimos 50 anos. Hoje nós importamos nossos alimentos, mas com as Águas do São Francisco, nós vamos tornar o Agronegócio uma realidade na Paraíba, através do cultivo de culturas irrigadas”, enfatizou.
As obras da Transposição das Águas do Rio São Francisco começaram no ano de 2007, e é considerada a maior obra de infraestrutura hídrica do país. O Projeto possui 477 quilômetros de extensão, divididos nos dois eixos, o Leste e o Norte, e beneficiará 12 milhões de pessoas dos Estados de Pernambuco, Ceará, Rio Grande do Norte e Paraíba.