Câmara realiza audiência sobre ideia da PMCG municipalizar a Cagepa e causa revolta

audienciaPA Câmara Municipal de Campina Grande realizou audiência pública nesta quinta-feira, 06, para que a Prefeitura Municipal pudesse apresentar o Plano Municipal de Saneamento Básico, nome de fantasia para mascarar a verdadeira intenção do poder municipal, que é municipalizar os serviços de água, esgoto e coleta domiciliar na cidade, hoje gerenciados pela Cagepa.
Na ocasião, ao falar da tribuna, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas da Paraíba (Stiupb), Wilton Maia Velez, foi muito aplaudido pelo povo presente às galerias, ao defender a empresa, mostrando que estão sendo feitos investimentos importantes em todo o Estado.
Conforme Wilton, a Cagepa não pode ser municipalizada porque vai haver prejuízos para a população, exemplificando o caso da cidade de Sousa, que tomou essa iniciativa, através da Prefeitura, e agora apresenta prejuízos e quer devolver os serviços à Cagepa.
audienciaP2No tempo que teve para falar, Wilton Maia disse que em vários Países a idéia de privatização ou municipalização não logrou êxito, citando os casos de várias cidades dos Estados Unidos.
Sobre os investimentos da Cagepa, em resposta às criticas de vereadores dando conta que a empresa tinha atuação pífia, o presidente do Stiupb resumiu várias ações em todo o Estado, com a substituição de hidrômetros, sistemas de esgotamento, novas adutoras, além da garantia da chegada da água nas torneiras da população, mesmo em tempos adversos.
Apesar de elogiar o lado técnico do projeto de Saneamento Básico, Wilton Maia criticou a real intenção da Prefeitura, em querer gerenciar a Cagepa: “E isso nós não vamos concordar e lutaremos até o fim”.
Diversos trabalhadores da Cagepa e pessoas do povo ocuparam as galerias da Câmara. Muitos cidadãos usaram da palavra e criticaram o fato da prefeitura estar querendo tratar a água como mercadoria.

audienciaPA Câmara Municipal de Campina Grande realizou audiência pública nesta quinta-feira, 06, para que a Prefeitura Municipal pudesse apresentar o Plano Municipal de Saneamento Básico, nome de fantasia para mascarar a verdadeira intenção do poder municipal, que é municipalizar os serviços de água, esgoto e coleta domiciliar na cidade, hoje gerenciados pela Cagepa.
Na ocasião, ao falar da tribuna, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas da Paraíba (Stiupb), Wilton Maia Velez, foi muito aplaudido pelo povo presente às galerias, ao defender a empresa, mostrando que estão sendo feitos investimentos importantes em todo o Estado.
Conforme Wilton, a Cagepa não pode ser municipalizada porque vai haver prejuízos para a população, exemplificando o caso da cidade de Sousa, que tomou essa iniciativa, através da Prefeitura, e agora apresenta prejuízos e quer devolver os serviços à Cagepa.
audienciaP2No tempo que teve para falar, Wilton Maia disse que em vários Países a idéia de privatização ou municipalização não logrou êxito, citando os casos de várias cidades dos Estados Unidos.
Sobre os investimentos da Cagepa, em resposta às criticas de vereadores dando conta que a empresa tinha atuação pífia, o presidente do Stiupb resumiu várias ações em todo o Estado, com a substituição de hidrômetros, sistemas de esgotamento, novas adutoras, além da garantia da chegada da água nas torneiras da população, mesmo em tempos adversos.
Apesar de elogiar o lado técnico do projeto de Saneamento Básico, Wilton Maia criticou a real intenção da Prefeitura, em querer gerenciar a Cagepa: “E isso nós não vamos concordar e lutaremos até o fim”.
Diversos trabalhadores da Cagepa e pessoas do povo ocuparam as galerias da Câmara. Muitos cidadãos usaram da palavra e criticaram o fato da prefeitura estar querendo tratar a água como mercadoria.