Lira confirma apoio anunciado antecipadamente e vota a favor da PEC que acaba com o foro privilegiado

O Senador Raimundo Lira (PMDB-PB) foi um dos que votaram a favor da Proposta de Emenda à Constituição (PEC 10/2013) que acaba com o Foro Especial por Prerrogativa de Função, conhecido popularmente como Foro Privilegiado. A matéria, que contou com 75 votos favoráveis, será votada em segundo turno pelo Senado.

Raimundo Lira apoiou desde o início a PEC que acaba com o foro privilegiado. Ele, inclusive, foi o primeiro Senador paraibano a assinar o Requerimento de autoria do Senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP), que pedia urgência para a votação da matéria.

Pelo texto aprovado, o foro privilegiado fica extinto para todas as autoridades brasileiras nas infrações penais comuns, sendo mantido apenas para os chefes dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário da União.

Ou seja, a PEC acaba com os foros especiais para Ministros de Estado, Governadores, Prefeitos, Presidentes de Câmaras Municipais e de Assembleias Legislativas, Presidentes de Tribunais Superiores e de Justiça dos Estados, Ministros dos Tribunais Superiores e do TCU, Procurador-Geral da República, Embaixadores, membros de Tribunais de Contas Estaduais e Municipais, integrantes de Tribunais Regionais, Juízes Federais e integrantes do Ministério Público.

Assessoria de Imprensa
Gabinete do Senador Raimundo Lira – PMDB/PB

O Senador Raimundo Lira (PMDB-PB) foi um dos que votaram a favor da Proposta de Emenda à Constituição (PEC 10/2013) que acaba com o Foro Especial por Prerrogativa de Função, conhecido popularmente como Foro Privilegiado. A matéria, que contou com 75 votos favoráveis, será votada em segundo turno pelo Senado.

Raimundo Lira apoiou desde o início a PEC que acaba com o foro privilegiado. Ele, inclusive, foi o primeiro Senador paraibano a assinar o Requerimento de autoria do Senador Randolfe Rodrigues (REDE-AP), que pedia urgência para a votação da matéria.

Pelo texto aprovado, o foro privilegiado fica extinto para todas as autoridades brasileiras nas infrações penais comuns, sendo mantido apenas para os chefes dos Poderes Legislativo, Executivo e Judiciário da União.

Ou seja, a PEC acaba com os foros especiais para Ministros de Estado, Governadores, Prefeitos, Presidentes de Câmaras Municipais e de Assembleias Legislativas, Presidentes de Tribunais Superiores e de Justiça dos Estados, Ministros dos Tribunais Superiores e do TCU, Procurador-Geral da República, Embaixadores, membros de Tribunais de Contas Estaduais e Municipais, integrantes de Tribunais Regionais, Juízes Federais e integrantes do Ministério Público.

Assessoria de Imprensa
Gabinete do Senador Raimundo Lira – PMDB/PB