Polícia prende integrante de facção criminosa acusado de vários crimes

A Polícia Militar prendeu, no fim da noite dessa quarta-feira (3), na cidade de Campina Grande, um dos criminosos mais procurados do Nordeste. Naudvânio Ferreira da Silva, de 32 anos, é um dos líderes da facção PCC (Primeiro Comando da Capital) e acusado de homicídios, roubos, tráfico de drogas, falsificação de documentos, porte ilegal de arma e vários outros crimes na Paraíba, Pernambuco e em outros estados.
De acordo com o subcomandante do 2º Batalhão, major Damasceno Bernardo, a prisão dele aconteceu durante uma abordagem no Distrito Mecânico de Campina Grande. “Ele passou em um veículo pela viatura da Força Tática que fazia rondas no local e os policiais desconfiaram da atitude dele ao perceber a presença da PM. Foi feita então uma abordagem e constataram que ele apresentou documento pessoal falso e o veículo era clonado”, disse.
O acusado foi apresentado na Central de Polícia Civil e teve a verdadeira identificação descoberta. Ele estava com dois mandados de prisão em aberto por nove crimes na Paraíba e Pernambuco. O preso é natural de Campina Grande.
Trabalho intensificado – Com a prisão, a Polícia Militar chega a quase 400 suspeitos conduzidos até a delegacia somente este ano, na região de Campina Grande. O trabalho da PM na região já retirou de circulação 51 armas de fogo, mais de 10 kg de drogas e recuperou 177 veículos com registros de roubos ou furtos na Paraíba e também em outros estados.

A Polícia Militar prendeu, no fim da noite dessa quarta-feira (3), na cidade de Campina Grande, um dos criminosos mais procurados do Nordeste. Naudvânio Ferreira da Silva, de 32 anos, é um dos líderes da facção PCC (Primeiro Comando da Capital) e acusado de homicídios, roubos, tráfico de drogas, falsificação de documentos, porte ilegal de arma e vários outros crimes na Paraíba, Pernambuco e em outros estados.
De acordo com o subcomandante do 2º Batalhão, major Damasceno Bernardo, a prisão dele aconteceu durante uma abordagem no Distrito Mecânico de Campina Grande. “Ele passou em um veículo pela viatura da Força Tática que fazia rondas no local e os policiais desconfiaram da atitude dele ao perceber a presença da PM. Foi feita então uma abordagem e constataram que ele apresentou documento pessoal falso e o veículo era clonado”, disse.
O acusado foi apresentado na Central de Polícia Civil e teve a verdadeira identificação descoberta. Ele estava com dois mandados de prisão em aberto por nove crimes na Paraíba e Pernambuco. O preso é natural de Campina Grande.
Trabalho intensificado – Com a prisão, a Polícia Militar chega a quase 400 suspeitos conduzidos até a delegacia somente este ano, na região de Campina Grande. O trabalho da PM na região já retirou de circulação 51 armas de fogo, mais de 10 kg de drogas e recuperou 177 veículos com registros de roubos ou furtos na Paraíba e também em outros estados.