O FANTASMA DO ESCRAVO TIÃO

Põe esse negro no tronco e dá vinte chibatadas nele. é o tanto de beijos que ele deu na sinhazinha Eleonor.
Se o capataz soubesse o que mais aquele negro tinha feito com a menina, ele mandava dar duzentas chicotadas e ainda cortava fora os documentos dele;
O negro aqui citado, era o escravo Sebastião, negrão alto, forte, espadaúdo e bonito, se fosse nos dias de hoje, com certeza seria um modelo ou ator.
Na fazenda e no eito, não existia uma mulher que não ficava de perna bamba e queixo caído quando via o crioulo e dizem que quando a mulher quer…..nem o Diabo segura, elas sempre davam um jeitinho de se atracarem com o Deus de ébano., Eleonor era uma delas, sobrinha mais nova do sinhô Deodoro, igual a outras tantas, era enrabichada no Tião, dizem as más línguas que ela se perdeu com ele ( mas ela diz que se achou ) sua irmã, sinhazinha Estela, também se fez mulher nos braços daquele gigante preto.
Sempre que podia, o capataz dava um jeito de castigar o moço, as vezes sem o patrão mandar , ele sempre arranjava um motivo, mas na verdade era pura inveja, porquê ele sempre quis pegar as duas irmãs, mas elas nunca deram chance pra ele, também ! o bicho era feio que só o capeta,mas mesmo assim ele conseguiu se casar, achou uma galega lá de Pomerode, filha de uma amiga de uma tia que morava lá., Frida, era o nome da branquela, que também não resistiu aos encantos do escravo.
Deodata Mariano, a filha querida do dono da fazenda, quando jovem, foi estudar na Europa, (como todo filho de rico de antigamente ) voltou doutora, toda moderna, falando língua estrangeira, mas nem tudo isso foi suficiente pra que ela se livrasse de se apaixonar pelo nosso personagem e ela foi mais ousada e além, embuchou do negão.
O pai, quando soube, não pensou duas vezes e ordenou……mata esse filho do Zumbi e joga pros urubus comerem…ele que vá fazer seu quilombo no inferno….e que peça sua carta de alforria pro Coisa Ruim e alguém arruma uma benzedeira ou sei lá o que e arranque essa criança do bucho da minha filha porquê eu não quero crioulinho nenhum me chamando de avô.
Contam por ai, que por muito tempo, o fantasma do Tião, andou aqui pela cidade, jogando seu charme, arrebatando corações e engravidando as moças mais bonitas do lugar.
Diz a lenda, que as morenas mais lindas e charmosas que nasceram aqui são filhas do escravo Tião, eu mesmo , quando era rapazote , conheci várias, me encantei com muitas, apesar de saber de suas árvores genealógicas, me apaixonei por todas, mas não namorei nenhuma, eram muita areia pro meu caminhão.
Mesmo hoje, depois de mais de um século, o túmulo do negro Tião é o mais visitado no cemitério da fazenda, o casarão está abandonado, mas tem gente que ainda vê luzes e movimento a noite eles juram que é o escravo.
Tudo isso são histórias e crendices, mas eu estou preocupado, porquê, minha filha que sempre gostou e só namorou com branco azedo, dia desses, chegou em casa toda Alcione, cantando…..você é um negão de tirar o chapéu…não posso dar mole senão você créu…será?

Valdir Fachini
valdirfachini53@gmail.com

Põe esse negro no tronco e dá vinte chibatadas nele. é o tanto de beijos que ele deu na sinhazinha Eleonor.
Se o capataz soubesse o que mais aquele negro tinha feito com a menina, ele mandava dar duzentas chicotadas e ainda cortava fora os documentos dele;
O negro aqui citado, era o escravo Sebastião, negrão alto, forte, espadaúdo e bonito, se fosse nos dias de hoje, com certeza seria um modelo ou ator.
Na fazenda e no eito, não existia uma mulher que não ficava de perna bamba e queixo caído quando via o crioulo e dizem que quando a mulher quer…..nem o Diabo segura, elas sempre davam um jeitinho de se atracarem com o Deus de ébano., Eleonor era uma delas, sobrinha mais nova do sinhô Deodoro, igual a outras tantas, era enrabichada no Tião, dizem as más línguas que ela se perdeu com ele ( mas ela diz que se achou ) sua irmã, sinhazinha Estela, também se fez mulher nos braços daquele gigante preto.
Sempre que podia, o capataz dava um jeito de castigar o moço, as vezes sem o patrão mandar , ele sempre arranjava um motivo, mas na verdade era pura inveja, porquê ele sempre quis pegar as duas irmãs, mas elas nunca deram chance pra ele, também ! o bicho era feio que só o capeta,mas mesmo assim ele conseguiu se casar, achou uma galega lá de Pomerode, filha de uma amiga de uma tia que morava lá., Frida, era o nome da branquela, que também não resistiu aos encantos do escravo.
Deodata Mariano, a filha querida do dono da fazenda, quando jovem, foi estudar na Europa, (como todo filho de rico de antigamente ) voltou doutora, toda moderna, falando língua estrangeira, mas nem tudo isso foi suficiente pra que ela se livrasse de se apaixonar pelo nosso personagem e ela foi mais ousada e além, embuchou do negão.
O pai, quando soube, não pensou duas vezes e ordenou……mata esse filho do Zumbi e joga pros urubus comerem…ele que vá fazer seu quilombo no inferno….e que peça sua carta de alforria pro Coisa Ruim e alguém arruma uma benzedeira ou sei lá o que e arranque essa criança do bucho da minha filha porquê eu não quero crioulinho nenhum me chamando de avô.
Contam por ai, que por muito tempo, o fantasma do Tião, andou aqui pela cidade, jogando seu charme, arrebatando corações e engravidando as moças mais bonitas do lugar.
Diz a lenda, que as morenas mais lindas e charmosas que nasceram aqui são filhas do escravo Tião, eu mesmo , quando era rapazote , conheci várias, me encantei com muitas, apesar de saber de suas árvores genealógicas, me apaixonei por todas, mas não namorei nenhuma, eram muita areia pro meu caminhão.
Mesmo hoje, depois de mais de um século, o túmulo do negro Tião é o mais visitado no cemitério da fazenda, o casarão está abandonado, mas tem gente que ainda vê luzes e movimento a noite eles juram que é o escravo.
Tudo isso são histórias e crendices, mas eu estou preocupado, porquê, minha filha que sempre gostou e só namorou com branco azedo, dia desses, chegou em casa toda Alcione, cantando…..você é um negão de tirar o chapéu…não posso dar mole senão você créu…será?

Valdir Fachini
valdirfachini53@gmail.com