Volume do açude de Boqueirão ultrapassa 4,7%

aboqueiraoUm mês recebendo águas da transposição do Rio São Francisco, o açude Epitácio Pessoa, no município de Boqueirão, agreste da Paraíba, alcançou o volume de 4,4% de sua capacidade nesta quarta-feira (17), de acordo com dados da Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa). O reservatório acumula mais de 17,9 mil metros cúbicos de água.

O açude tem capacidade para armazenar 411.686.287 metros cúbicos e está com 19.238.444 milhões de metros cúbicos de água acumulada, o representa 4,7 de sua capacidade. Até sexta-feira, o manancial estava com 17,9 mil metros cúbicos de água. Responsável pelo abastecimento de Campina Grande e mais 18 municípios do Compartimento da Borborema, Boqueirão concluiu o mês de abril com quase 14,2 milhões de metros cúbicos de água, o que equivalia a 3,44% da capacidade. Depois continuou subindo.
Se o nível de água continuar crescendo na velocidade atual, a previsão dos especialistas é de que o reservatório alcance a marca de 8,2% no final do mês de junho, saindo do que é considerado volume morto.

As águas do São Francisco chegaram à bacia do açude no dia 12 de abril, mas só encontraram com o espelho d’água no dia 18 e desde então, o volume de água tem registrado movimento crescente constante. Quando o açude começou a receber as águas, ele estava com apenas 2,9%.

Mesmo com a melhora, a água do açude continua sendo retirada por um sistema de captação flutuante. Para sair do volume morto, o açude precisa ficar com um nível de água acima de 8,2%, o suficiente para cobrir as comportas da captação de fundo no sistema convencional.

De acordo com a Companhia de Águas e Esgotos da Paraíba (Cagepa), o fim do racionamento de água em Campina Grande e outras 18 cidades abastecidas por Boqueirão depende da saída do volume morto. As cidades tiveram uma leve redução no racionamento.

PB Agora

aboqueiraoUm mês recebendo águas da transposição do Rio São Francisco, o açude Epitácio Pessoa, no município de Boqueirão, agreste da Paraíba, alcançou o volume de 4,4% de sua capacidade nesta quarta-feira (17), de acordo com dados da Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa). O reservatório acumula mais de 17,9 mil metros cúbicos de água.

O açude tem capacidade para armazenar 411.686.287 metros cúbicos e está com 19.238.444 milhões de metros cúbicos de água acumulada, o representa 4,7 de sua capacidade. Até sexta-feira, o manancial estava com 17,9 mil metros cúbicos de água. Responsável pelo abastecimento de Campina Grande e mais 18 municípios do Compartimento da Borborema, Boqueirão concluiu o mês de abril com quase 14,2 milhões de metros cúbicos de água, o que equivalia a 3,44% da capacidade. Depois continuou subindo.
Se o nível de água continuar crescendo na velocidade atual, a previsão dos especialistas é de que o reservatório alcance a marca de 8,2% no final do mês de junho, saindo do que é considerado volume morto.

As águas do São Francisco chegaram à bacia do açude no dia 12 de abril, mas só encontraram com o espelho d’água no dia 18 e desde então, o volume de água tem registrado movimento crescente constante. Quando o açude começou a receber as águas, ele estava com apenas 2,9%.

Mesmo com a melhora, a água do açude continua sendo retirada por um sistema de captação flutuante. Para sair do volume morto, o açude precisa ficar com um nível de água acima de 8,2%, o suficiente para cobrir as comportas da captação de fundo no sistema convencional.

De acordo com a Companhia de Águas e Esgotos da Paraíba (Cagepa), o fim do racionamento de água em Campina Grande e outras 18 cidades abastecidas por Boqueirão depende da saída do volume morto. As cidades tiveram uma leve redução no racionamento.

PB Agora