Homens são mortos a facadas dentro de casa em Campina Grande

Duas pessoas foram mortas a golpes de faca na madrugada deste domingo (28) dentro de uma casa no bairro do Presidente Médici, em Campina Grande. De acordo com a Polícia Militar, vizinhos das vítimas acionaram a PM depois que viram um homem invadir a casa e em seguida ouvirem gritos de socorro.
O caso foi registrado por volta das 2h45, na Rua Salustiano Bezerra Cabral. Segundo a PM, moradores viram quando um homem armado com uma faca chamou por uma das vítimas na porta e em seguida invadiu a residência. Minutos depois, os vizinhos ouviram uma pessoa gritando por socorro e viram quando o invasor saiu da casa e fugiu levando o carro de uma das vítimas.
Ao chegar no local, a polícia encontrou dois corpos, um na sala e outro na cozinha. As vítimas, um homem de 60 anos e um jovem de 28 anos, apresentavam marcas de golpes de faca. O local foi isolado até a chegada da Polícia Civil. O suspeito do crime, um jovem de 24 anos, foi preso horas depois e disse que crime aconteceu após discussão.
G1 PB

Duas pessoas foram mortas a golpes de faca na madrugada deste domingo (28) dentro de uma casa no bairro do Presidente Médici, em Campina Grande. De acordo com a Polícia Militar, vizinhos das vítimas acionaram a PM depois que viram um homem invadir a casa e em seguida ouvirem gritos de socorro.
O caso foi registrado por volta das 2h45, na Rua Salustiano Bezerra Cabral. Segundo a PM, moradores viram quando um homem armado com uma faca chamou por uma das vítimas na porta e em seguida invadiu a residência. Minutos depois, os vizinhos ouviram uma pessoa gritando por socorro e viram quando o invasor saiu da casa e fugiu levando o carro de uma das vítimas.
Ao chegar no local, a polícia encontrou dois corpos, um na sala e outro na cozinha. As vítimas, um homem de 60 anos e um jovem de 28 anos, apresentavam marcas de golpes de faca. O local foi isolado até a chegada da Polícia Civil. O suspeito do crime, um jovem de 24 anos, foi preso horas depois e disse que crime aconteceu após discussão.
G1 PB