Pai e filha são presos na 3ª fase da Operação Gabarito

A Polícia Civil da Paraíba deflagrou mais uma ação da terceira fase da Operação Gabarito, na manhã desta terça-feira (30) para dar cumprimento a 16 mandados de busca e apreensão em bairros de João Pessoa e de Cabedelo. Pelo menos 20 policiais atuaram na operação.

Durante a ação um aposentado de 72 anos e a filha dele, de 39 anos, foram presos em flagrante na casa de investigados na operação, onde a polícia cumpria um mandado de busca e apreensão.

O idoso estava de posse de uma arma e de munições, sem autorização judicial. Já a filha, uma estudante de direito, se apresentou como advogada e tentou impedir a atuação da polícia. Ela foi detida por falsidade ideológica.

Os mandados foram cumpridos nos bairros de Portal do Sol, Ponta de Seixas, Miramar, Valentina, Mangabeira e Centro de João Pessoa, além de um local em Cabedelo.

De acordo com o delegado Lucas Sá, um dos coordenadores da operação, nessa ação foram apreendidos documentos relacionados a concursos públicos, atestados médicos, laudos periciais em branco e documentos relacionados a licitações públicas do estado de Alagoas.

Até mesmo concursos que ainda estão para serem realizados estavam no alvo da quadrilha, mesmo com a operação gabarito em andamento.

“Durante esta fase foram encontrados documentos importantes, como planilhas de valores de cargos públicos, o planejamento para o ano de 2017, com os concursos futuros que seriam fraudados, além de nomes de diversos candidatos e membros da organização”, explica Lucas Sá.

A polícia acredita que mais de 1 mil pessoas já tenham sido beneficiadas pela fraude em todo país. Dessas, pelo menos 100 estariam envolvidas diretamente com as fraudes.

Após a etapa da operação nesta terça-feira, a Polícia Civil divulgou que um dos líderes da quadrilha, Vicente Borges, preso na primeira fase da Gabarito, ocupa o cargo de secretário da Cultura no município Joaquim Gomes, em Alagoas, distante 63 km da capital Maceió. Ele é genro do ex-prefeito, que conseguiu eleger o atual gestor.

A esposa de Vicente, Kamilla Marcelino, está em prisão domiciliar.

PB Agora

A Polícia Civil da Paraíba deflagrou mais uma ação da terceira fase da Operação Gabarito, na manhã desta terça-feira (30) para dar cumprimento a 16 mandados de busca e apreensão em bairros de João Pessoa e de Cabedelo. Pelo menos 20 policiais atuaram na operação.

Durante a ação um aposentado de 72 anos e a filha dele, de 39 anos, foram presos em flagrante na casa de investigados na operação, onde a polícia cumpria um mandado de busca e apreensão.

O idoso estava de posse de uma arma e de munições, sem autorização judicial. Já a filha, uma estudante de direito, se apresentou como advogada e tentou impedir a atuação da polícia. Ela foi detida por falsidade ideológica.

Os mandados foram cumpridos nos bairros de Portal do Sol, Ponta de Seixas, Miramar, Valentina, Mangabeira e Centro de João Pessoa, além de um local em Cabedelo.

De acordo com o delegado Lucas Sá, um dos coordenadores da operação, nessa ação foram apreendidos documentos relacionados a concursos públicos, atestados médicos, laudos periciais em branco e documentos relacionados a licitações públicas do estado de Alagoas.

Até mesmo concursos que ainda estão para serem realizados estavam no alvo da quadrilha, mesmo com a operação gabarito em andamento.

“Durante esta fase foram encontrados documentos importantes, como planilhas de valores de cargos públicos, o planejamento para o ano de 2017, com os concursos futuros que seriam fraudados, além de nomes de diversos candidatos e membros da organização”, explica Lucas Sá.

A polícia acredita que mais de 1 mil pessoas já tenham sido beneficiadas pela fraude em todo país. Dessas, pelo menos 100 estariam envolvidas diretamente com as fraudes.

Após a etapa da operação nesta terça-feira, a Polícia Civil divulgou que um dos líderes da quadrilha, Vicente Borges, preso na primeira fase da Gabarito, ocupa o cargo de secretário da Cultura no município Joaquim Gomes, em Alagoas, distante 63 km da capital Maceió. Ele é genro do ex-prefeito, que conseguiu eleger o atual gestor.

A esposa de Vicente, Kamilla Marcelino, está em prisão domiciliar.

PB Agora