Rio registra estragos após mais de 12 horas de chuva; veja imagens

alagamentoA cidade do Rio de Janeiro e a Região Metropolitana registraram estragos em vários pontos causados por pela forte chuva que cai na cidade. A cidade está em estado de atenção desde 23h45 de segunda-feira (19).
Vários bolsões d’água foram registrados em pontos da cidade. Às 6h30, a Avenida Epitácio Pessoa estava interditada no sentido Ipanema, na altura da Rua Tabatinguera. O sentido Rebouças estava em esquema de pare e siga. Às 8h16, o trânsito foi liberado no local.
Na Avenida Borges de Medeiros, na altura do clube Piraquê, também foram registrados alagamentos que impediam o trânsito às 8h18.
A Lagoa Rodrigo de Freitas está com alerta de transbordo desde 5h05 desta quarta (21). As comportas do Jardim de Alah foram abertas à noite mas, devido ao grande volume de chuva, há a possibilidade de transbordo.
Às 7h30, a Avenida Brasil registrava bolsões d’água na altura de Bonsucesso e na altura do elevado da Linha Vermelha, na pista sentido Centro. O trânsito é intenso nas principais vias expressas do Rio. A recomendação é que os motoristas sigam com cuidado por causa das pistas molhadas.
Praça Varnhagen, na Tijuca, ainda registra alagamentos. Desde o começo da chuva, a Comlurb já retirou mais de 300 toneladas de lixo das ruas, afirmou Marco França, assessor da Comlurb.
Moradores e comerciantes também sofreram com os alagamentos. Elir Freiha, de 73 anos, proprietário de uma copiadora localizada também na rua Gabriela Prado, na Tijuca, contou que desde de 1973 sofre com enchentes em sua loja. “Com chuva forte, a água chega ate 30 centímetros. Hoje cheguei 8h da manhã e encontrei a loja toda cheia de lama. Toda vez que chove é assim”.
Na Rua Bento Ribeiro, uma árvore caiu na altura da Rua Coronel Audomaro Costa.
Um muro caiu no Cosme Velho e fechou a Rua Cosme Velho, na altura do Corcovado. No Morro do Borel, quatro sirenes tocaram alertando para o risco de deslizamentos de terra. As sirenes também tocaram na comunidade Rio das Pedras.
O Rio de Janeiro registrou recorde de volume de chuva para todo o mês de junho desde às 15h45 de terça-feira (21) em 11 estações pluviométricas da cidade. Os dados são do Sistema Alerta Rio. Na Saúde, no Jardim Botânico, em Santa Teresa, em Laranjeiras, no Recreio, em São Cristóvão, em Jacarepaguá, na Ilha do Governador, no Grajaú, na Tijuca e na Barra foi registrado mais chuva do que o esperado para todo o mês.
No Alto da Boa Vista, foi registrado o recorde de chuva em um único dia do mês de junho dos últimos 20 anos.
De acordo com a meteorologia, ainda há previsão de chuva em toda a quarta-feira (21). Imagem do Sistema Alerta Rio mostra que, às 6h40, a cidade ainda contava com vários núcleos de chuva. O inverno começou às 1h24 da madrugada.

Transportes
Apesar da chuva forte e dos congestionamentos, não há registro de problemas graves no sistema de transportes. Os dois aeroportos do Rio de Janeiro, o Santos Dumont e o Internacional Tom Jobim [Galeão] operam com auxílio de instrumentos para pousos e decolagens. Não há registros de atrasos ou cancelamentos.
As 41 estações do Metrô Rio e os acessos às estações funcionam normalmente no começo da manhã desta quarta-feira (21). As linhas 1, 2 e 4 operam sem problemas desde 5h.
As linhas das barcas da Praça Arariboia, Charitas, Cocotá e Paquetá têm navegação normal pela Baía de Guanabara, apesar da chuva que segue caindo no Rio. Os trens da Supervia registram circulação normal em todos os ramais.
G1

alagamentoA cidade do Rio de Janeiro e a Região Metropolitana registraram estragos em vários pontos causados por pela forte chuva que cai na cidade. A cidade está em estado de atenção desde 23h45 de segunda-feira (19).
Vários bolsões d’água foram registrados em pontos da cidade. Às 6h30, a Avenida Epitácio Pessoa estava interditada no sentido Ipanema, na altura da Rua Tabatinguera. O sentido Rebouças estava em esquema de pare e siga. Às 8h16, o trânsito foi liberado no local.
Na Avenida Borges de Medeiros, na altura do clube Piraquê, também foram registrados alagamentos que impediam o trânsito às 8h18.
A Lagoa Rodrigo de Freitas está com alerta de transbordo desde 5h05 desta quarta (21). As comportas do Jardim de Alah foram abertas à noite mas, devido ao grande volume de chuva, há a possibilidade de transbordo.
Às 7h30, a Avenida Brasil registrava bolsões d’água na altura de Bonsucesso e na altura do elevado da Linha Vermelha, na pista sentido Centro. O trânsito é intenso nas principais vias expressas do Rio. A recomendação é que os motoristas sigam com cuidado por causa das pistas molhadas.
Praça Varnhagen, na Tijuca, ainda registra alagamentos. Desde o começo da chuva, a Comlurb já retirou mais de 300 toneladas de lixo das ruas, afirmou Marco França, assessor da Comlurb.
Moradores e comerciantes também sofreram com os alagamentos. Elir Freiha, de 73 anos, proprietário de uma copiadora localizada também na rua Gabriela Prado, na Tijuca, contou que desde de 1973 sofre com enchentes em sua loja. “Com chuva forte, a água chega ate 30 centímetros. Hoje cheguei 8h da manhã e encontrei a loja toda cheia de lama. Toda vez que chove é assim”.
Na Rua Bento Ribeiro, uma árvore caiu na altura da Rua Coronel Audomaro Costa.
Um muro caiu no Cosme Velho e fechou a Rua Cosme Velho, na altura do Corcovado. No Morro do Borel, quatro sirenes tocaram alertando para o risco de deslizamentos de terra. As sirenes também tocaram na comunidade Rio das Pedras.
O Rio de Janeiro registrou recorde de volume de chuva para todo o mês de junho desde às 15h45 de terça-feira (21) em 11 estações pluviométricas da cidade. Os dados são do Sistema Alerta Rio. Na Saúde, no Jardim Botânico, em Santa Teresa, em Laranjeiras, no Recreio, em São Cristóvão, em Jacarepaguá, na Ilha do Governador, no Grajaú, na Tijuca e na Barra foi registrado mais chuva do que o esperado para todo o mês.
No Alto da Boa Vista, foi registrado o recorde de chuva em um único dia do mês de junho dos últimos 20 anos.
De acordo com a meteorologia, ainda há previsão de chuva em toda a quarta-feira (21). Imagem do Sistema Alerta Rio mostra que, às 6h40, a cidade ainda contava com vários núcleos de chuva. O inverno começou às 1h24 da madrugada.

Transportes
Apesar da chuva forte e dos congestionamentos, não há registro de problemas graves no sistema de transportes. Os dois aeroportos do Rio de Janeiro, o Santos Dumont e o Internacional Tom Jobim [Galeão] operam com auxílio de instrumentos para pousos e decolagens. Não há registros de atrasos ou cancelamentos.
As 41 estações do Metrô Rio e os acessos às estações funcionam normalmente no começo da manhã desta quarta-feira (21). As linhas 1, 2 e 4 operam sem problemas desde 5h.
As linhas das barcas da Praça Arariboia, Charitas, Cocotá e Paquetá têm navegação normal pela Baía de Guanabara, apesar da chuva que segue caindo no Rio. Os trens da Supervia registram circulação normal em todos os ramais.
G1