PSICOLOGIA AO SEU ALCANCE – Foco na Dieta – Oitava Semana

Durante o processo de dieta enjoei das comidas que vinha comendo e que estavam me emagrecendo e espontaneamente voltei a comer o que me fez engordar. Foi o sinal de alerta, sabia que não podia fazer isso, pois iria iniciar o famoso efeito sanfona: emagrece engorda. Conversei com uma nutricionista para me sugerir adequadamente os alimentos a ingerir e com variedade suficiente para não enjoar.

Este fato é bastante comum e precisa ser levado em consideração durante o processo de dieta, caso contrário há o risco de colocar todo o emagrecimento a perder. No meu caso, dei-me conta rapidamente porque estava comendo com objetivo de identificar os mais diversos ingredientes no que ingeria e logo percebi que estava comendo o que me fez engordar. Por isso insisto na importância de estar focado no que come. Não se deixar levar pela ansiedade e ficar preocupado com outros afazeres durante as refeições. As refeições precisam ser dedicadas ao prazer de se alimentar, saborear e trazer prazer e paz à pessoa.

Combata a ansiedade com o seguinte cuidado: O ato de comer inicia pelos olhos, apreciar qual alimento escolher e depois o que escolheu. Aprenda a preparar pratos, que além de saborosos, transmitam uma vontade de serem consumidos. Ao se servir das comidas monte seu prato de uma forma atraente. Antes de ingerir perceba o odor da comida, identifique que lembrança vem, qual o significado que esse odor lhe remete. Depois ingira, saboreie e viva o prazer dos alimentos. Mastigue muito. Esse tipo de ritual evita de viver a ansiedade.

A dieta não pode significar sacrifício, ao contrário, é interessante que seja um período da vida que a pessoa se dedique a novas experiências e que essas sejam gratificantes. Momento de descobrir novos alimentos, novas culinárias. Particularmente estou comendo bem, escolhendo o que realmente gosto, porém comendo menos do que comia. Comendo novos alimentos que nem sabia que existia. Como também comi alimentos que não me satisfizeram e não voltei a comer. Dediquei-me a pesquisar os alimentos saudáveis e do meu paladar. Deu mais trabalho, sim. Mas em compensação estou comendo bem, saudável e emagrecendo. Boa dieta.

Psicólogo Flávio Melo Ribeiro
CRP12/00449

A Viver – Atividades em Psicologia desenvolveu programas psicoterapêuticos que possibilitam ser trabalhados em grupos e individual.
flavioviver@gmail.com (48) 9921-8811 (48) 3223-4386
Página no Facebook: Viver – Atividades em Psicologia
Canal no Youtube: Flávio Melo Ribeiro

Link do vídeo:

Durante o processo de dieta enjoei das comidas que vinha comendo e que estavam me emagrecendo e espontaneamente voltei a comer o que me fez engordar. Foi o sinal de alerta, sabia que não podia fazer isso, pois iria iniciar o famoso efeito sanfona: emagrece engorda. Conversei com uma nutricionista para me sugerir adequadamente os alimentos a ingerir e com variedade suficiente para não enjoar.

Este fato é bastante comum e precisa ser levado em consideração durante o processo de dieta, caso contrário há o risco de colocar todo o emagrecimento a perder. No meu caso, dei-me conta rapidamente porque estava comendo com objetivo de identificar os mais diversos ingredientes no que ingeria e logo percebi que estava comendo o que me fez engordar. Por isso insisto na importância de estar focado no que come. Não se deixar levar pela ansiedade e ficar preocupado com outros afazeres durante as refeições. As refeições precisam ser dedicadas ao prazer de se alimentar, saborear e trazer prazer e paz à pessoa.

Combata a ansiedade com o seguinte cuidado: O ato de comer inicia pelos olhos, apreciar qual alimento escolher e depois o que escolheu. Aprenda a preparar pratos, que além de saborosos, transmitam uma vontade de serem consumidos. Ao se servir das comidas monte seu prato de uma forma atraente. Antes de ingerir perceba o odor da comida, identifique que lembrança vem, qual o significado que esse odor lhe remete. Depois ingira, saboreie e viva o prazer dos alimentos. Mastigue muito. Esse tipo de ritual evita de viver a ansiedade.

A dieta não pode significar sacrifício, ao contrário, é interessante que seja um período da vida que a pessoa se dedique a novas experiências e que essas sejam gratificantes. Momento de descobrir novos alimentos, novas culinárias. Particularmente estou comendo bem, escolhendo o que realmente gosto, porém comendo menos do que comia. Comendo novos alimentos que nem sabia que existia. Como também comi alimentos que não me satisfizeram e não voltei a comer. Dediquei-me a pesquisar os alimentos saudáveis e do meu paladar. Deu mais trabalho, sim. Mas em compensação estou comendo bem, saudável e emagrecendo. Boa dieta.

Psicólogo Flávio Melo Ribeiro
CRP12/00449

A Viver – Atividades em Psicologia desenvolveu programas psicoterapêuticos que possibilitam ser trabalhados em grupos e individual.
flavioviver@gmail.com (48) 9921-8811 (48) 3223-4386
Página no Facebook: Viver – Atividades em Psicologia
Canal no Youtube: Flávio Melo Ribeiro

Link do vídeo: