CDL – NOTA

A Câmara de Dirigentes Lojistas – CDL de Campina Grande embora não se oponha às manifestações públicas, desde que pacificas, defende a sobrevivência da economia e a manutenção dos empregos, razão pela qual, não considera minimamente coerente fechar o comércio quando a cidade ainda recebe turistas devido aos festejos juninos.

Pelos motivos expostos, a CDL não irá aderir à paralisação organizada pelas centrais sindicais para esta sexta-feira (30).

A entidade sabe que o direito ao protesto é uma garantia constitucional do cidadão, sempre respeitando os limites impostos pela Lei, mas entende que seria mais adequado que as manifestações ocorressem em feriados e finais de semana, para não prejudicar nossa frágil economia, respeitando o direito de trabalhadores e empresários da classe produtiva.

Como medida de segurança, a entidade aconselha aos comerciantes uma postura preventiva para garantir a integridade dos funcionários, consumidores e do estabelecimento comercial.

Pedimos aos organizadores do movimento que também tenham cautela e bom senso. Especialmente no respeito a opinião daqueles que desejarem trabalhar.

 

A Câmara de Dirigentes Lojistas – CDL de Campina Grande embora não se oponha às manifestações públicas, desde que pacificas, defende a sobrevivência da economia e a manutenção dos empregos, razão pela qual, não considera minimamente coerente fechar o comércio quando a cidade ainda recebe turistas devido aos festejos juninos.

Pelos motivos expostos, a CDL não irá aderir à paralisação organizada pelas centrais sindicais para esta sexta-feira (30).

A entidade sabe que o direito ao protesto é uma garantia constitucional do cidadão, sempre respeitando os limites impostos pela Lei, mas entende que seria mais adequado que as manifestações ocorressem em feriados e finais de semana, para não prejudicar nossa frágil economia, respeitando o direito de trabalhadores e empresários da classe produtiva.

Como medida de segurança, a entidade aconselha aos comerciantes uma postura preventiva para garantir a integridade dos funcionários, consumidores e do estabelecimento comercial.

Pedimos aos organizadores do movimento que também tenham cautela e bom senso. Especialmente no respeito a opinião daqueles que desejarem trabalhar.