Mulher é sequestrada pelo ex e é encontrada morta após 18 dias em MT

Uma comerciante, de 40 anos, foi encontrada morta nessa terça-feira (27) depois de ficar desaparecida por 18 dias, em Lucas do Rio Verde, a 360 km de Cuiabá. Segundo a Polícia Civil, Cleide Vanda Félix dos Santos foi morta pelo caminhoneiro Gilberto Pereira de Souza, que é ex-marido dela. Ele confessou o crime à polícia e disse que matou Cleide porque recebia ameaças de traficantes por causa de dívidas de droga, quando ainda tinha um relacionamento com a vítima.
O G1 não localizou a família da vítima. De acordo com as autoridades policiais, Cleide estava desaparecida desde o dia 9 de junho. A vítima foi sequestrada na frente do estabelecimento comercial em que ela trabalhava. Uma testemunha viu o momento em que um homem colocou a vítima à força dentro de um veículo, que saiu em alta velocidade pela cidade.
A atual mulher de Gilberto, Madalena Pires da Silva, e uma terceira pessoa, também foram presos por terem participação no crime. As prisões e a localização do corpo ocorreram depois de investigações da polícia.
“O Gilberto teve uma relação com a vítima. Eles [Gilberto e Madalena] adquiriram alguns bens e teriam recebido ameaças de pessoas ligadas à vítima, supostamente por dívidas com o tráfico de drogas”, explicou ao G1o delegado Daniel dos Santos Nery.
No mesmo dia em que foi sequestrada, Cleide foi levada até uma estrada, ainda na região de Lucas do Rio Verde. Conforme a Polícia Civil, Gilberto a retirou do carro e a atingiu com um golpe de facão no pescoço. Ainda há cortes na barriga e nas mãos da vítima, como constataram os policiais.
“Ela foi morta com golpes de facão e teve o corpo arrastado para a beira da rodovia. Esconderam o corpo em uma mata fechada. O Gilberto confessou e chegou a comentar que nem estava arrependido [de cometer o crime]”, disse Nery.
Segundo o delegado, os três envolvidos vão responder por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Gilberto deve ser encaminhado para a Centro de Detenção Provisória (CDP) de Lucas do Rio Verde. O terceiro suspeito está preso em Nova Mutum, a 269 km de Cuiabá, e será ouvido nesta quarta-feira (28) pela Polícia Civil.
G1

Uma comerciante, de 40 anos, foi encontrada morta nessa terça-feira (27) depois de ficar desaparecida por 18 dias, em Lucas do Rio Verde, a 360 km de Cuiabá. Segundo a Polícia Civil, Cleide Vanda Félix dos Santos foi morta pelo caminhoneiro Gilberto Pereira de Souza, que é ex-marido dela. Ele confessou o crime à polícia e disse que matou Cleide porque recebia ameaças de traficantes por causa de dívidas de droga, quando ainda tinha um relacionamento com a vítima.
O G1 não localizou a família da vítima. De acordo com as autoridades policiais, Cleide estava desaparecida desde o dia 9 de junho. A vítima foi sequestrada na frente do estabelecimento comercial em que ela trabalhava. Uma testemunha viu o momento em que um homem colocou a vítima à força dentro de um veículo, que saiu em alta velocidade pela cidade.
A atual mulher de Gilberto, Madalena Pires da Silva, e uma terceira pessoa, também foram presos por terem participação no crime. As prisões e a localização do corpo ocorreram depois de investigações da polícia.
“O Gilberto teve uma relação com a vítima. Eles [Gilberto e Madalena] adquiriram alguns bens e teriam recebido ameaças de pessoas ligadas à vítima, supostamente por dívidas com o tráfico de drogas”, explicou ao G1o delegado Daniel dos Santos Nery.
No mesmo dia em que foi sequestrada, Cleide foi levada até uma estrada, ainda na região de Lucas do Rio Verde. Conforme a Polícia Civil, Gilberto a retirou do carro e a atingiu com um golpe de facão no pescoço. Ainda há cortes na barriga e nas mãos da vítima, como constataram os policiais.
“Ela foi morta com golpes de facão e teve o corpo arrastado para a beira da rodovia. Esconderam o corpo em uma mata fechada. O Gilberto confessou e chegou a comentar que nem estava arrependido [de cometer o crime]”, disse Nery.
Segundo o delegado, os três envolvidos vão responder por homicídio qualificado e ocultação de cadáver. Gilberto deve ser encaminhado para a Centro de Detenção Provisória (CDP) de Lucas do Rio Verde. O terceiro suspeito está preso em Nova Mutum, a 269 km de Cuiabá, e será ouvido nesta quarta-feira (28) pela Polícia Civil.
G1