Jovem é assassinado em Cabedelo, PB, por causa de dívidas com tráfico de drogas

Um jovem de 22 anos foi assassinado na noite de domingo (2), no bairro de Monte Castelo, em Cabedelo, na Grande João Pessoa. A suspeita é de que a vítima, identificada como Ivson da Silva Avelino, tenha sido executada por causa de dívidas com o tráfico de drogas. A mãe do rapaz disse que o filho era usuário desde os 14 anos e sofria ameaças.
“Vieram à minha porta, ameaçar. Disse: ‘Ele vai morrer. Eu não vou matar, mas vou mandar’. Foram R$ 1200 de pedra (de crack). Ele fumava muito. Eu tomava a droga dele, escondia. Mas a gente sempre encontrava alguma coisa. Uma vez dei um prejuízo a ele de quase mil reais, porque joguei tudo no lixo. Na época, eu trabalhava e paguei a dívida dele”, contou.
Com medo das ameaças e para livrar o jovem do vício, a mãe queria que Ivson saísse de Cabedelo. “Íamos pegar um empréstimo para pagar as dívidas e tirar ele daqui. Era errado, mas era meu filho. Tudo o que o povo mandava fazer, ele ia. Os parceiros, só é o que dá. Você que está no mundo da droga, saia enquanto é tempo”, declarou emocionada.

Investigações
O delegado Hugo Hélder informou que está levantando as informações para dar início à investigação do crime. “Aparentemente é consumo de drogas, mas é muito prematuro ainda afirmar. Vamos fazer um levantamento, mas as investigações caminham nesse sentido. Possivelmente, já tinha aviso (de ameaças de morte) e algumas coisas que a gente está levantando e, possivelmente, foi uma execução de dívida de tráfico de drogas”, afirmou.
G1 PB

Um jovem de 22 anos foi assassinado na noite de domingo (2), no bairro de Monte Castelo, em Cabedelo, na Grande João Pessoa. A suspeita é de que a vítima, identificada como Ivson da Silva Avelino, tenha sido executada por causa de dívidas com o tráfico de drogas. A mãe do rapaz disse que o filho era usuário desde os 14 anos e sofria ameaças.
“Vieram à minha porta, ameaçar. Disse: ‘Ele vai morrer. Eu não vou matar, mas vou mandar’. Foram R$ 1200 de pedra (de crack). Ele fumava muito. Eu tomava a droga dele, escondia. Mas a gente sempre encontrava alguma coisa. Uma vez dei um prejuízo a ele de quase mil reais, porque joguei tudo no lixo. Na época, eu trabalhava e paguei a dívida dele”, contou.
Com medo das ameaças e para livrar o jovem do vício, a mãe queria que Ivson saísse de Cabedelo. “Íamos pegar um empréstimo para pagar as dívidas e tirar ele daqui. Era errado, mas era meu filho. Tudo o que o povo mandava fazer, ele ia. Os parceiros, só é o que dá. Você que está no mundo da droga, saia enquanto é tempo”, declarou emocionada.

Investigações
O delegado Hugo Hélder informou que está levantando as informações para dar início à investigação do crime. “Aparentemente é consumo de drogas, mas é muito prematuro ainda afirmar. Vamos fazer um levantamento, mas as investigações caminham nesse sentido. Possivelmente, já tinha aviso (de ameaças de morte) e algumas coisas que a gente está levantando e, possivelmente, foi uma execução de dívida de tráfico de drogas”, afirmou.
G1 PB