Com calça jeans por causa do frio, estudantes são impedidos de assistir aula por estarem sem bermuda da escola

Alunos da Escola Municipal Prisco Viana, na cidade de Santa Inês, a 300 quilômetros de Salvador, foram impedidos de entrar na instituição por vestirem calça jeans. A farda da escola é composta por blusa e bermuda e, de acordo com o pai de um dos alunos, devido ao frio, os estudantes vestiram calça para assistir aula.
De acordo com o professor Marcos Paiva, secretário municipal de Educação, a decisão da diretora em impedir a entrada dos alunos foi infeliz. O caso aconteceu na última segunda-feira (3). Um vídeo gravado pelo pai mostra a confusão. [Assista acima]
“Não é possível que meu filho não pode entrar no colégio porque está de calça em um frio desse. Em um tempo aqui, ó, e meu filho não pode entrar. E tem mais crianças que não podem entrar porque deram shortinho de dormir para as crianças irem para escola. É possível um negócio desses?”, disse o pai ao ter o filho barrado na porta da escola.
Nas imagens, a diretora argumenta: “Oh, pai, peraí (sic), a escola toda está de farda”, disse ela. Revoltado, o pai continua a reclamar da situação: “Mas não é justo, a escola tem que admitir que está errado. Tão errado (sic) porque não pode em um frio desses, época junina, época de frio e as pessoas têm que vir com um shortinho desses, gente!”
Em entrevista ao G1 na manhã desta quinta-feira (6), Marcos Paiva informou que o pai do aluno, que denunciou a situação e gravou o vídeo, esteve na sede da secretaria para comunicar o ocorrido. “Nós ligamos para a diretora imediatamente, que autorizou a entrada das crianças. Esse caso foi resolvido no mesmo dia, na segunda-feira”, disse o secretário.
De acordo com ele, a cidade de Santa Inês é predominantemente quente e as fardas foram feitas pensando nisso. “Estamos vivendo nos últimos cinco dias um clima atípico, mesmo sendo caatinga, tem chegado a 13ºC, 12ºC. Nesse dia, as crianças foram de calça e não de short. A diretora teve uma decisão infeliz”, completa.
Segundo Paiva, a diretora se desculpou com o pai do aluno barrado no mesmo dia. Ele ainda informou que a secretaria fez uma reunião com as diretoras e orientou para que nenhuma criança seja impedida de entrar por estar de calça. “O mais importante para nós não é o fardamento, é o acesso e permanência da criança na escola. Infelizmente a visão da diretora foi infeliz e faltou bom senso”, concluiu.
G1

Alunos da Escola Municipal Prisco Viana, na cidade de Santa Inês, a 300 quilômetros de Salvador, foram impedidos de entrar na instituição por vestirem calça jeans. A farda da escola é composta por blusa e bermuda e, de acordo com o pai de um dos alunos, devido ao frio, os estudantes vestiram calça para assistir aula.
De acordo com o professor Marcos Paiva, secretário municipal de Educação, a decisão da diretora em impedir a entrada dos alunos foi infeliz. O caso aconteceu na última segunda-feira (3). Um vídeo gravado pelo pai mostra a confusão. [Assista acima]
“Não é possível que meu filho não pode entrar no colégio porque está de calça em um frio desse. Em um tempo aqui, ó, e meu filho não pode entrar. E tem mais crianças que não podem entrar porque deram shortinho de dormir para as crianças irem para escola. É possível um negócio desses?”, disse o pai ao ter o filho barrado na porta da escola.
Nas imagens, a diretora argumenta: “Oh, pai, peraí (sic), a escola toda está de farda”, disse ela. Revoltado, o pai continua a reclamar da situação: “Mas não é justo, a escola tem que admitir que está errado. Tão errado (sic) porque não pode em um frio desses, época junina, época de frio e as pessoas têm que vir com um shortinho desses, gente!”
Em entrevista ao G1 na manhã desta quinta-feira (6), Marcos Paiva informou que o pai do aluno, que denunciou a situação e gravou o vídeo, esteve na sede da secretaria para comunicar o ocorrido. “Nós ligamos para a diretora imediatamente, que autorizou a entrada das crianças. Esse caso foi resolvido no mesmo dia, na segunda-feira”, disse o secretário.
De acordo com ele, a cidade de Santa Inês é predominantemente quente e as fardas foram feitas pensando nisso. “Estamos vivendo nos últimos cinco dias um clima atípico, mesmo sendo caatinga, tem chegado a 13ºC, 12ºC. Nesse dia, as crianças foram de calça e não de short. A diretora teve uma decisão infeliz”, completa.
Segundo Paiva, a diretora se desculpou com o pai do aluno barrado no mesmo dia. Ele ainda informou que a secretaria fez uma reunião com as diretoras e orientou para que nenhuma criança seja impedida de entrar por estar de calça. “O mais importante para nós não é o fardamento, é o acesso e permanência da criança na escola. Infelizmente a visão da diretora foi infeliz e faltou bom senso”, concluiu.
G1