Cássio diz que queda de Temer ‘vai demorar um pouco mais’ que 15 dias

queda2 O vice-presidente do Senado, Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), afirmou em entrevista à BBC Brasil nesta sexta-feira que o presidente Michel Temer (PMDB) deve “demorar mais um pouco” para cair.
A um grupo de empresários, o senador tucano havia dito, segundo a coluna Painel, da Folha de S. Paulo, que, a depender do processo aberto contra Temer na Câmara dos Deputados, “dentro de 15 dias o país terá um novo presidente”.
“Falei que ele cairia em 15 dias em uma reunião com empresários. Usei uma força de expressão, que vazou. Acho que vai demorar um pouco mais”, disse à BBC Brasil.
O senador citou como um dos principais problemas do presidente a instabilidade dentro do próprio PMDB. “As dificuldades (de Temer) são fruto do PMDB, não do PSDB. Se dentro do próprio partido, o presidente não consegue apoio, a dificuldade dele só aumenta”.
Cunha Lima afirma ser favorável ao desembarque do PSDB do governo Temer. “O PSDB deve ouvir sua bancada na Câmara, ouvir seus deputados, e não se conformar apenas com quatro ministérios”, afirmou.
Mais cedo nesta sexta, Temer comentou a possibilidade de o partido aliado deixar o governo. “Zero preocupação. O PSDB tem quatro ministérios, os ministros estão todos trabalhando muito tranquilamente”, disse o presidente em entrevista coletiva em Hamburgo, onde participa da cúpula do G20.
Na próxima semana, será votada na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara a aceitabilidade da denúncia que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, fez contra Temer. No documento, Janot acusa o presidente de corrupção passiva.
MSN

queda2 O vice-presidente do Senado, Cássio Cunha Lima (PSDB-PB), afirmou em entrevista à BBC Brasil nesta sexta-feira que o presidente Michel Temer (PMDB) deve “demorar mais um pouco” para cair.
A um grupo de empresários, o senador tucano havia dito, segundo a coluna Painel, da Folha de S. Paulo, que, a depender do processo aberto contra Temer na Câmara dos Deputados, “dentro de 15 dias o país terá um novo presidente”.
“Falei que ele cairia em 15 dias em uma reunião com empresários. Usei uma força de expressão, que vazou. Acho que vai demorar um pouco mais”, disse à BBC Brasil.
O senador citou como um dos principais problemas do presidente a instabilidade dentro do próprio PMDB. “As dificuldades (de Temer) são fruto do PMDB, não do PSDB. Se dentro do próprio partido, o presidente não consegue apoio, a dificuldade dele só aumenta”.
Cunha Lima afirma ser favorável ao desembarque do PSDB do governo Temer. “O PSDB deve ouvir sua bancada na Câmara, ouvir seus deputados, e não se conformar apenas com quatro ministérios”, afirmou.
Mais cedo nesta sexta, Temer comentou a possibilidade de o partido aliado deixar o governo. “Zero preocupação. O PSDB tem quatro ministérios, os ministros estão todos trabalhando muito tranquilamente”, disse o presidente em entrevista coletiva em Hamburgo, onde participa da cúpula do G20.
Na próxima semana, será votada na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara a aceitabilidade da denúncia que o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, fez contra Temer. No documento, Janot acusa o presidente de corrupção passiva.
MSN