Stiupb convoca classe trabalhadora da Cagepa para Audiência sobre municipalização em Campina Grande

wilton maiaO presidente do Sindicato dos trabalhadores nas Indústrias Urbanas da Paraíba (Stiupb), Wilton Maia Velez, está convidando todos os trabalhadores da Cagepa para que compareçam maciçamente à Audiência Pública que a Câmara Municipal de Campina Grande realizará no dia 03 de agosto, para discussão da proposta nefasta do Governo Romero Rodrigues em querer municipalizar os serviços da Companhia de Água e Esgoto, no que o Stiupb é totalmente contrário.

“É inaceitável que a Prefeitura de Campina Grande continue levando à frente essa ideia, até porque, o próprio Governo do Estado, através de ato do governador Ricardo Coutinho, já deliberou que não vai privatizar a Cagepa, por entender muito bem que a Companhia se diferencia em relação aos demais órgãos da estrutura governamental, por tratar de um bem que não pode ser tratado como negócio, no caso os serviços de água, coleta e tratamento de esgoto”, destacou Wilton Maia.

“Iremos lutar contra essas ideias de municipalização, igualmente como fizemos com o Governo do Estado e que, graças a nossa luta e à sensibilidade do governador Ricardo Coutinho, isso não mais irá acontecer estadualmente”, destacou o presidente do Stiupb.

Wilton Maia lembra que a municipalização desses serviços é uma experiência que não tem dado certo, não apenas no nosso País, mas até mesmo no exterior. “Em Sousa, essa iniciativa tem sido um fracasso e a população é quem está sofrendo diante da precarização desses serviços”.

A possibilidade de municipalização da Cagepa, lembra o presidente do Stiupb, trará prejuízos às pessoas, como a extinção da tarifa-social e o fim do subsídio que se concede às pequenas cidades, onde o poder aquisitivo da população é bastante simples.

Em assembleias com ampla participação de trabalhadores realizadas nas cidades de Campina Grande, Guarabira, Patos, Pombal e Cajazeiras, a categoria tem demonstrado unidade e espírito de sacrifício para que a CAGEPA não caia nas mãos do capital privado e, assim, manter a empresa pública, garantido o direito ao acesso á água e o saneamento a toda a população no Estado.

wilton maiaO presidente do Sindicato dos trabalhadores nas Indústrias Urbanas da Paraíba (Stiupb), Wilton Maia Velez, está convidando todos os trabalhadores da Cagepa para que compareçam maciçamente à Audiência Pública que a Câmara Municipal de Campina Grande realizará no dia 03 de agosto, para discussão da proposta nefasta do Governo Romero Rodrigues em querer municipalizar os serviços da Companhia de Água e Esgoto, no que o Stiupb é totalmente contrário.

“É inaceitável que a Prefeitura de Campina Grande continue levando à frente essa ideia, até porque, o próprio Governo do Estado, através de ato do governador Ricardo Coutinho, já deliberou que não vai privatizar a Cagepa, por entender muito bem que a Companhia se diferencia em relação aos demais órgãos da estrutura governamental, por tratar de um bem que não pode ser tratado como negócio, no caso os serviços de água, coleta e tratamento de esgoto”, destacou Wilton Maia.

“Iremos lutar contra essas ideias de municipalização, igualmente como fizemos com o Governo do Estado e que, graças a nossa luta e à sensibilidade do governador Ricardo Coutinho, isso não mais irá acontecer estadualmente”, destacou o presidente do Stiupb.

Wilton Maia lembra que a municipalização desses serviços é uma experiência que não tem dado certo, não apenas no nosso País, mas até mesmo no exterior. “Em Sousa, essa iniciativa tem sido um fracasso e a população é quem está sofrendo diante da precarização desses serviços”.

A possibilidade de municipalização da Cagepa, lembra o presidente do Stiupb, trará prejuízos às pessoas, como a extinção da tarifa-social e o fim do subsídio que se concede às pequenas cidades, onde o poder aquisitivo da população é bastante simples.

Em assembleias com ampla participação de trabalhadores realizadas nas cidades de Campina Grande, Guarabira, Patos, Pombal e Cajazeiras, a categoria tem demonstrado unidade e espírito de sacrifício para que a CAGEPA não caia nas mãos do capital privado e, assim, manter a empresa pública, garantido o direito ao acesso á água e o saneamento a toda a população no Estado.