Morador de rua é encontrado morto na tarde mais fria dos últimos 4 anos em SP

Um morador de rua foi encontrado morto na tarde desta terça-feira (18), considerada a mais fria dos últimos quatro anos, em Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo. O corpo foi enviado ao Instituto Médico Legal (IML) sem sinais de violência e não há confirmação da causa da morte.
A capital paulista registrou a tarde mais fria desde 2013 com 10,2ºC no Mirante de Santana, Zona Norte, na terça-feira, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergência (CGE), da Prefeitura de São Paulo, a temperatura média da cidade foi de 9,3º. Nos últimos anos, a temperatura só não foi mais baixa do que a registrada na tarde de 24 de julho de 2013, com 8,6ºC.
À noite, a temperatura caiu ainda mais, chegando a 8,3ºC. Em algumas regiões, a sensação térmica chegou a zero grau, em razão do vento.
A Polícia Militar recebeu pelo telefone 190 a informação de que um corpo estava sobre a calçada do cruzamento entre a Rua Teodoro Sampaio e a Avenida Doutor Arnaldo. Quando chegaram ao local, por volta das 16h30, ele não tinha sinais de violência, o que indica que pode ter sido vítima do frio que chegou à cidade na madrugada de terça. De acordo com a PM, o solicitante informou que o morador de rua estava imóvel no local desde às 6h, quando a temperatura estava em 13ºC, segundo o CGE.
Segundo a última pesquisa da Prefeitura e Fundação Fipe, de 2015, a cidade tem quase 16 mil moradores de rua. O prefeito João Doria afirma que o número chega atualmente a 25 mil. A Prefeitura afirma que oferece 11.800 vagas de acolhimento na cidade. Os abrigos registraram filas na terça-feira. As abordagens foram intensificadas pelas equipes de Assistência e Desenvolvimento Social durante o frio, segundo a prefeitura.
Cerca de mil cobertores seriam entregues nesta madrugada (19) às pessoas em situação de rua. A medida faz parte da Operação Baixas Temperaturas e ocorre paralelamente às abordagens da assistência social com a finalidade de encaminhar estas pessoas aos equipamentos municipais. A Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social apontou a região central como prioritária por conta da demanda.
O prefeito João Doria afirmou no Twitter nesta quarta que a prefeitura está empenhada “em salvar vidas e amenizar o sofrimento das pessoas em vulnerabilidade nas ruas com o Programa Emergencial de Inverno”. A prefeitura divulgou nota dizendo lamentar o falecimento e que aguarda o laudo técnico do IML, que atestará a causa da morte.
Frio permanece
O frio permanece nesta quarta-feira (19) na capital paulista. As 31 estações do Centro de Gerenciamento de Emergências, da Prefeitura de São Paulo, registraram temperatura média de 9ºC. Em alguns bairros, a temperatura foi de 7ºC, casos de Parelheiros, Capela do Socorro e Jabaquara, na Zona Sul.
Segundo o Inmet, a máxima prevista para esta quarta é de 15ºC. Na quinta-feira (20), o frio perde força.
G1
Um morador de rua foi encontrado morto na tarde desta terça-feira (18), considerada a mais fria dos últimos quatro anos, em Pinheiros, na Zona Oeste de São Paulo. O corpo foi enviado ao Instituto Médico Legal (IML) sem sinais de violência e não há confirmação da causa da morte.
A capital paulista registrou a tarde mais fria desde 2013 com 10,2ºC no Mirante de Santana, Zona Norte, na terça-feira, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergência (CGE), da Prefeitura de São Paulo, a temperatura média da cidade foi de 9,3º. Nos últimos anos, a temperatura só não foi mais baixa do que a registrada na tarde de 24 de julho de 2013, com 8,6ºC.
À noite, a temperatura caiu ainda mais, chegando a 8,3ºC. Em algumas regiões, a sensação térmica chegou a zero grau, em razão do vento.
A Polícia Militar recebeu pelo telefone 190 a informação de que um corpo estava sobre a calçada do cruzamento entre a Rua Teodoro Sampaio e a Avenida Doutor Arnaldo. Quando chegaram ao local, por volta das 16h30, ele não tinha sinais de violência, o que indica que pode ter sido vítima do frio que chegou à cidade na madrugada de terça. De acordo com a PM, o solicitante informou que o morador de rua estava imóvel no local desde às 6h, quando a temperatura estava em 13ºC, segundo o CGE.
Segundo a última pesquisa da Prefeitura e Fundação Fipe, de 2015, a cidade tem quase 16 mil moradores de rua. O prefeito João Doria afirma que o número chega atualmente a 25 mil. A Prefeitura afirma que oferece 11.800 vagas de acolhimento na cidade. Os abrigos registraram filas na terça-feira. As abordagens foram intensificadas pelas equipes de Assistência e Desenvolvimento Social durante o frio, segundo a prefeitura.
Cerca de mil cobertores seriam entregues nesta madrugada (19) às pessoas em situação de rua. A medida faz parte da Operação Baixas Temperaturas e ocorre paralelamente às abordagens da assistência social com a finalidade de encaminhar estas pessoas aos equipamentos municipais. A Secretaria de Assistência e Desenvolvimento Social apontou a região central como prioritária por conta da demanda.
O prefeito João Doria afirmou no Twitter nesta quarta que a prefeitura está empenhada “em salvar vidas e amenizar o sofrimento das pessoas em vulnerabilidade nas ruas com o Programa Emergencial de Inverno”. A prefeitura divulgou nota dizendo lamentar o falecimento e que aguarda o laudo técnico do IML, que atestará a causa da morte.
Frio permanece
O frio permanece nesta quarta-feira (19) na capital paulista. As 31 estações do Centro de Gerenciamento de Emergências, da Prefeitura de São Paulo, registraram temperatura média de 9ºC. Em alguns bairros, a temperatura foi de 7ºC, casos de Parelheiros, Capela do Socorro e Jabaquara, na Zona Sul.
Segundo o Inmet, a máxima prevista para esta quarta é de 15ºC. Na quinta-feira (20), o frio perde força.
G1