Trump volta a citar opção militar contra Coreia do Norte

trumpO presidente Donald Trump voltou a usar a retórica beligerante ao mencionar a Coreia do Norte, e afirmou que os Estados Unidos têm “preparadas” opções militares.
“As soluções militares estão posicionadas, travadas e carregadas, caso a Coreia do Norte atue sem sabedoria. Esperamos que Kim Jong Un encontre outro caminho!”, tuitou Trump, utilizando termos militares.
Ao longo da semana, Trump endureceu o discurso contra Pyongyang. Na terça-feira ameaçou com “fogo e fúria” se o regime isolado prosseguisse com as ameaças e a corrida armamentista, mas na quinta-feira disse que talvez a advertência “não tenha sido dura o bastante”.
A tensão entre os dois países aumentou depois que a Coreia do Norte testou com sucesso dois mísseis balísticos intercontinentais (ICBM), que segundo analistas poderiam alcançar o território americano.
O governo americano conseguiu convencer o Conselho de Segurança da ONU a aprovar por unanimidade um novo pacote de sanções contra o regime norte-coreano.
Mas Pyongyang ameaçou esta semana lançar quatro mísseis perto da ilha americana de Guam, um território estratégico no meio do Pacífico que abriga uma base naval, outra aérea e tem quase 6.000 soldados.
G1

trumpO presidente Donald Trump voltou a usar a retórica beligerante ao mencionar a Coreia do Norte, e afirmou que os Estados Unidos têm “preparadas” opções militares.
“As soluções militares estão posicionadas, travadas e carregadas, caso a Coreia do Norte atue sem sabedoria. Esperamos que Kim Jong Un encontre outro caminho!”, tuitou Trump, utilizando termos militares.
Ao longo da semana, Trump endureceu o discurso contra Pyongyang. Na terça-feira ameaçou com “fogo e fúria” se o regime isolado prosseguisse com as ameaças e a corrida armamentista, mas na quinta-feira disse que talvez a advertência “não tenha sido dura o bastante”.
A tensão entre os dois países aumentou depois que a Coreia do Norte testou com sucesso dois mísseis balísticos intercontinentais (ICBM), que segundo analistas poderiam alcançar o território americano.
O governo americano conseguiu convencer o Conselho de Segurança da ONU a aprovar por unanimidade um novo pacote de sanções contra o regime norte-coreano.
Mas Pyongyang ameaçou esta semana lançar quatro mísseis perto da ilha americana de Guam, um território estratégico no meio do Pacífico que abriga uma base naval, outra aérea e tem quase 6.000 soldados.
G1