Operação das Polícia Civil e Militar e Gaeco prende vereador em Santa Rita

Uma operação da Polícia Civil, do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba (MPPB) e da Polícia Militar da Paraíba está cumprindo na manhã desta quinta-feira (17) três mandados de prisão preventiva na cidade de Santa Rita, Região Metropolitana de João Pessoa. De acordo com o delegado geral da Polícia Civil da Paraíba, João Alves, já foram presos o vereador Flávio Pereira e o ex-vereador e atual suplente Tubarão.
A polícia ainda busca outro envolvido, com nome de Daniel Sales, na cidade de Mulungu, no Agreste paraibano.
A Operação Shark, denominada pelo Ministério Público, investiga a atuação de uma organização criminosa na gestão passada da Prefeitura Municipal de Santa Rita em fraudes de licitações, desvios de recursos públicos, entre outras irregularidades.
Os presos serão encaminhados para o Departamento de Medicinal Legal, e em seguida irão para a audiência de custódia.
Além das prisões, a Polícia Militar está cumprindo oito mandados de condução coercitiva, quando o suspeito é levado para depor.
Uma operação da Polícia Civil, do Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público da Paraíba (MPPB) e da Polícia Militar da Paraíba está cumprindo na manhã desta quinta-feira (17) três mandados de prisão preventiva na cidade de Santa Rita, Região Metropolitana de João Pessoa. De acordo com o delegado geral da Polícia Civil da Paraíba, João Alves, já foram presos o vereador Flávio Pereira e o ex-vereador e atual suplente Tubarão.
A polícia ainda busca outro envolvido, com nome de Daniel Sales, na cidade de Mulungu, no Agreste paraibano.
A Operação Shark, denominada pelo Ministério Público, investiga a atuação de uma organização criminosa na gestão passada da Prefeitura Municipal de Santa Rita em fraudes de licitações, desvios de recursos públicos, entre outras irregularidades.
Os presos serão encaminhados para o Departamento de Medicinal Legal, e em seguida irão para a audiência de custódia.
Além das prisões, a Polícia Militar está cumprindo oito mandados de condução coercitiva, quando o suspeito é levado para depor.