“Um olhar no retrovisor e outro na estrada”, livro de Iêda Lima será lançado em Campina Grande nesta quinta-feira

iedaA engenheira Iêda Lima, com uma linguagem objetiva e totalmente pessoal, apresenta uma autobiografia cheia de nuances que prendem o leitor a uma realidade vivida por muitos dos brasileiros: o período da ditadura.
Muito mais que um relato apenas de uma presa política, o livro “Um olhar no retrovisor e outro na estrada”, de Iêda Lima, é uma maneira que a autora encontrou de contar aos jovens que um projeto se constrói com compromisso, engajamento e coragem para acolher as desventuras e conquistas como ferramentas de aprendizagem e de crescimento pessoal e coletivo. Ler, pesquisar e escrever são as paixões de Iêda e os temas relacionados ao comportamento humano e individual são seus principais incentivos para escrever.
A vida e o ambiente político-social em que vivia, na década de 60, transformaram-na em uma jovem rebelde que se somou a tantos outros na defesa do livre pensar e se reunir, o que lhe custou quase nove anos de exílio. Ao aposentar-se, aos 66 anos de idade, resolveu contar um pouco da sua história.
“Por diversas vezes me via na posição de uma contadora de histórias, durante encontros familiares, e diante da insistência de irmãos e filhos para compartilhar as surpresas que a vida tinha me reservado. Foi então que decidi fazer uma viagem no tempo, abrindo o meu coração para reviver as grandes emoções e entendendo como lidei com elas, cuidando também de mostrar o contexto sociopolítico que me envolvia, para oferecer o meu aprendizado e convidar o leitor a continuar a viagem. O processo de resgate das informações para escrever este livro foi profundamente rico. Além dos diversos momentos que eu tive de parar ou refazer, motivada pela elevada carga emocional de alguns capítulos, pelo bloqueio de memória e pela ausência de registros adequados, o destino quis que eu fizesse as pazes com meu passado e me reaproximasse de pessoas que tinham feito parte da minha trajetória de vida”, diz Iêda.
Essa obra, de 160 páginas, será lançada dia 17 de agosto, pela editora Literando & Afins, quinta-feira, das 17:30 às 21:00, na Livraria Espaço de Cultura, na Rua Getúlio Vargas, 78, em Campina Grande.
Sobre a autora
Iêda Lima é de Campina Grande, mas mora em São Paulo desde 2010. Descendente de índios Tarairús e Potiguares e mistura com brancos Holandeses e Portugueses, Iêda Lima teve uma rica experiência profissional, após a sua volta do exílio no Chile e Alemanha.
Formada em Economia de Transportes, pela Escola Superior de Transportes e Comunicações de Dresden, na Alemanha, Mestre pela Universidade Federal da Paraíba/Campina Grande e Doutora pela USP de São Carlos, em Engenharia de Transportes, ela é autora do livro técnico “O novo e o velho na gestão da qualidade do transporte urbano” (Bauru: EDIPRO, 1996), e desde sua aposentadoria, em junho de 2014, dedica-se a escrever, fotografar, formar opinião via redes sociais e curtir a família e os amigos. Esta é sua primeira obra pessoal e destaca-se como uma autobiografia com viés político e social que muito nos faz refletir sobre o momento atual em que vivemos.
iedaA engenheira Iêda Lima, com uma linguagem objetiva e totalmente pessoal, apresenta uma autobiografia cheia de nuances que prendem o leitor a uma realidade vivida por muitos dos brasileiros: o período da ditadura.
Muito mais que um relato apenas de uma presa política, o livro “Um olhar no retrovisor e outro na estrada”, de Iêda Lima, é uma maneira que a autora encontrou de contar aos jovens que um projeto se constrói com compromisso, engajamento e coragem para acolher as desventuras e conquistas como ferramentas de aprendizagem e de crescimento pessoal e coletivo. Ler, pesquisar e escrever são as paixões de Iêda e os temas relacionados ao comportamento humano e individual são seus principais incentivos para escrever.
A vida e o ambiente político-social em que vivia, na década de 60, transformaram-na em uma jovem rebelde que se somou a tantos outros na defesa do livre pensar e se reunir, o que lhe custou quase nove anos de exílio. Ao aposentar-se, aos 66 anos de idade, resolveu contar um pouco da sua história.
“Por diversas vezes me via na posição de uma contadora de histórias, durante encontros familiares, e diante da insistência de irmãos e filhos para compartilhar as surpresas que a vida tinha me reservado. Foi então que decidi fazer uma viagem no tempo, abrindo o meu coração para reviver as grandes emoções e entendendo como lidei com elas, cuidando também de mostrar o contexto sociopolítico que me envolvia, para oferecer o meu aprendizado e convidar o leitor a continuar a viagem. O processo de resgate das informações para escrever este livro foi profundamente rico. Além dos diversos momentos que eu tive de parar ou refazer, motivada pela elevada carga emocional de alguns capítulos, pelo bloqueio de memória e pela ausência de registros adequados, o destino quis que eu fizesse as pazes com meu passado e me reaproximasse de pessoas que tinham feito parte da minha trajetória de vida”, diz Iêda.
Essa obra, de 160 páginas, será lançada dia 17 de agosto, pela editora Literando & Afins, quinta-feira, das 17:30 às 21:00, na Livraria Espaço de Cultura, na Rua Getúlio Vargas, 78, em Campina Grande.
Sobre a autora
Iêda Lima é de Campina Grande, mas mora em São Paulo desde 2010. Descendente de índios Tarairús e Potiguares e mistura com brancos Holandeses e Portugueses, Iêda Lima teve uma rica experiência profissional, após a sua volta do exílio no Chile e Alemanha.
Formada em Economia de Transportes, pela Escola Superior de Transportes e Comunicações de Dresden, na Alemanha, Mestre pela Universidade Federal da Paraíba/Campina Grande e Doutora pela USP de São Carlos, em Engenharia de Transportes, ela é autora do livro técnico “O novo e o velho na gestão da qualidade do transporte urbano” (Bauru: EDIPRO, 1996), e desde sua aposentadoria, em junho de 2014, dedica-se a escrever, fotografar, formar opinião via redes sociais e curtir a família e os amigos. Esta é sua primeira obra pessoal e destaca-se como uma autobiografia com viés político e social que muito nos faz refletir sobre o momento atual em que vivemos.