Espanha faz um minuto de silêncio por vítimas de duplo ataque terrorista

minutoUm minuto de silêncio foi observado nesta sexta-feira (18) em Barcelona pelas vítimas dos dois ataques terroristas ocorridos na quinta-feira (17) no país. O número total de vítimas subiu para quatorze, segundo fontes policiais, além dos cinco terroristas abatidos em Cambrils.
A manifestação desta sexta-feira (18) aconteceu ao meio-dia local, 7 horas da manhã pelo horário de Brasília, na Praça da Catalunha de Barcelona, o quilômetro zero da cidade, onde a multidão respeitou um minuto de silêncio pelas vítimas e em protesto contra o terrorismo, em meio a muita emoção. Um luto oficial de três dias foi declarado na Espanha.
Participaram do protesto todos os líderes políticos do país: o presidente do governo, Mariano Rajoy, os ministros, a prefeita de Barcelona, Ada Colau, o presidente e representantes do governo catalão, inclusive o Filipe VI, o rei da Espanha. O ato contou também com uma enorme participação dos barcelonenses e turistas.
Número de vítimas sobe para quatorze
A Espanha acordou hoje de luto com os dois atentados terroristas ocorridos na quinta-feira (17): o primeiro, durante a tarde, em Barcelona – que deixou 14 mortos (entre eles, 5 crianças) e cerca de 100 feridos – e o segundo na cidade de Cambrils, a 120 quilômetros de Barcelona, à noite, também na região da Catalunha, que feriu 6 pessoas, entre elas, um policial.
O número de mortos nos atentados na Catalunha aumentou para 14 após o falecimento de uma mulher que estava internada em um hospital das proximidades de Cambrils, onde aconteceu um dos ataques, informou nesta sexta-feira o serviço de saúde do governo regional.
Os cinco terroristas que dirigiam o veículo em Cambrils usavam aparentemente falsos cinturões com explosivos e foram abatidos pela polícia catalã, que detonou os supostos explosivos e também o carro utilizado pelos terroristas durante a madrugada. Segundo o jornal francês Le Monde, que cita fontes da polícia espanhola, três homens foram presos em Ripoll e Alcanar, sendo um marroquino e um originário de Melilla, enclave espanhol no norte da África. Os nomes dos possíveis suspeitos e terroristas identificados ainda não foram divulgados.
As forças de segurança catalãs vinculam o atentado de Cambrils com o de Barcelona. A polícia catalã informou também que o atentado de Barcelona está ligado a uma explosão que destruiu uma casa na madrugada de quarta para quinta-feira na cidade de Alcanar, em Tarragona, matando pelo menos uma pessoa e ferindo outras sete. Supostamente a casa era usada pelos jihadistas para fabricar bombas e a explosão aconteceu devido à manipulação de botijões de gás
vitrineInterno
Muitos franceses entre os feridos graves
Entre as vítimas dos atentados, há 18 nacionalidades. Na manhã desta sexta-feira, o governo francês indicou que entre os feridos, há 26 franceses, 17 deles em estado grave, segundo o Ministério do Interior. Um telefone de emergência foi disponibilizado para os franceses que estão na capital catalã. O ministro das Relações Exteriores, Jean Yves-Le Drian, viajará ainda hoje à Barcelona para prestar assistência aos franceses no local.
O Itamaraty afirmou que até agora não há informações sobre brasileiros entre as vítimas dos atentados terroristas em Barcelona e Cambrils.
MSN
minutoUm minuto de silêncio foi observado nesta sexta-feira (18) em Barcelona pelas vítimas dos dois ataques terroristas ocorridos na quinta-feira (17) no país. O número total de vítimas subiu para quatorze, segundo fontes policiais, além dos cinco terroristas abatidos em Cambrils.
A manifestação desta sexta-feira (18) aconteceu ao meio-dia local, 7 horas da manhã pelo horário de Brasília, na Praça da Catalunha de Barcelona, o quilômetro zero da cidade, onde a multidão respeitou um minuto de silêncio pelas vítimas e em protesto contra o terrorismo, em meio a muita emoção. Um luto oficial de três dias foi declarado na Espanha.
Participaram do protesto todos os líderes políticos do país: o presidente do governo, Mariano Rajoy, os ministros, a prefeita de Barcelona, Ada Colau, o presidente e representantes do governo catalão, inclusive o Filipe VI, o rei da Espanha. O ato contou também com uma enorme participação dos barcelonenses e turistas.
Número de vítimas sobe para quatorze
A Espanha acordou hoje de luto com os dois atentados terroristas ocorridos na quinta-feira (17): o primeiro, durante a tarde, em Barcelona – que deixou 14 mortos (entre eles, 5 crianças) e cerca de 100 feridos – e o segundo na cidade de Cambrils, a 120 quilômetros de Barcelona, à noite, também na região da Catalunha, que feriu 6 pessoas, entre elas, um policial.
O número de mortos nos atentados na Catalunha aumentou para 14 após o falecimento de uma mulher que estava internada em um hospital das proximidades de Cambrils, onde aconteceu um dos ataques, informou nesta sexta-feira o serviço de saúde do governo regional.
Os cinco terroristas que dirigiam o veículo em Cambrils usavam aparentemente falsos cinturões com explosivos e foram abatidos pela polícia catalã, que detonou os supostos explosivos e também o carro utilizado pelos terroristas durante a madrugada. Segundo o jornal francês Le Monde, que cita fontes da polícia espanhola, três homens foram presos em Ripoll e Alcanar, sendo um marroquino e um originário de Melilla, enclave espanhol no norte da África. Os nomes dos possíveis suspeitos e terroristas identificados ainda não foram divulgados.
As forças de segurança catalãs vinculam o atentado de Cambrils com o de Barcelona. A polícia catalã informou também que o atentado de Barcelona está ligado a uma explosão que destruiu uma casa na madrugada de quarta para quinta-feira na cidade de Alcanar, em Tarragona, matando pelo menos uma pessoa e ferindo outras sete. Supostamente a casa era usada pelos jihadistas para fabricar bombas e a explosão aconteceu devido à manipulação de botijões de gás
vitrineInterno
Muitos franceses entre os feridos graves
Entre as vítimas dos atentados, há 18 nacionalidades. Na manhã desta sexta-feira, o governo francês indicou que entre os feridos, há 26 franceses, 17 deles em estado grave, segundo o Ministério do Interior. Um telefone de emergência foi disponibilizado para os franceses que estão na capital catalã. O ministro das Relações Exteriores, Jean Yves-Le Drian, viajará ainda hoje à Barcelona para prestar assistência aos franceses no local.
O Itamaraty afirmou que até agora não há informações sobre brasileiros entre as vítimas dos atentados terroristas em Barcelona e Cambrils.
MSN