Senador Álvaro Dias dá como certa filiação de Veneziano ao Podemos

O senador Álvaro Dias, do Podemos do Paraná, afirmou nesta quinta-feira (24) que dá como certa a filiação do deputado federal e ex-prefeito de Campina Grande Veneziano Vital do Rêgo ao seu partido, uma vez que ele já foi convidado pela presidente da legenda Renata Abreu para ingressar na legenda.
Para Álvaro Dias a chegada de Veneziano ao Podemos é uma questão de tempo já que os entendimentos nesse sentido estão bem adiantados. De acordo com o senador o nome do ex-prefeito campinense é bem vindo já que o Podemos pretende ter na Paraíba um partido organizado e estruturado que permita ao presidenciável plenas condições de conversar com o povo paraibano.
A entrevista do senador Álvaro Dias foi feita por telefone, com exclusividade, pelo radialista Edil Francis no seu programa diário na rádio Cidade de Esperança e contou com a participação do jornalista Apolinário Pimentel.

PRESIDENCIÁVEL
Falando sobre sua condição de candidato a presidente do Brasil Álvaro Dias comentou que tem grande responsabilidade nesse sentido, já quando deixou o governo do estado do Parará saiu com mais de 90% de aprovação e agora, para ele, chegou a hora das pessoas lúcidas do país, dentro da política ou fora dela exercerem o protagonismo, ou seja, assumirem uma posição de responsabilidade “porque a omissão pode ser fatal e levar o país ao descalabro administrativo”. Para ele é preciso um temo diferente no Brasil “e esse é o desafio pra quem ousa apresentar o seu nome como candidato”.

PRIVATIZAÇÕES
Para o senador Álvaro Dias as privatizações que estão sendo anunciadas pelo Governo Federal nada mais são do que uma demonstração de desespero, já que na sua opinião o presidente Michel Temer quer conseguir dinheiro de todas as maneiras para bancar sua permanência no poder. Álvaro até considera que é importante privatizar alguns setores estratégicos, mas o seu receio dele que os órgãos públicos sejam vendidos a preço de banana e o dinheiro seja jogado no ar. “Um governo como esse não tem autoridade para bancar um processo de privatização de tantas empresas”, disse ele, comentando ainda que “essas privatizações exigem muito cuidado”.

POLÍTICOS ROUBAM
O senador e presidenciável Álvaro Dias disse ainda que R$ 20 milhões desaparecem num piscar de olhos “e ficamos sem o patrimônio do povo”. Ele afirmou ser verdadeira a frase que tá na boca do povo, de que os políticos roubam: “é verdade, alguns estão indo para a cadeia porque roubaram, outros ainda não foram. Devem ir. Todos que roubam devem ir para cadeia”, comentou ele, dizendo que “nós não temos que tirar uma empresa do povo brasileiro. Temos que tirar dos políticos”.

Álvaro Dias afirmou também que caso estivesse hoje no cargo de presidente a primeira providência a ser tomada seria fazer uma reforma do estado e destruir “esse sistema corrupto de governo do toma lá dá cá para favorecer alguns apadrinhados”. Ele disse que reduzir o tamanho do estado é de fundamental importância para melhorar o país e considera que só um presidente eleito pelo povo e com autoridade conquistada nas urnas terá coragem e ousadia de fazer isso.

Apolinário Pimentel
Da Redação

O senador Álvaro Dias, do Podemos do Paraná, afirmou nesta quinta-feira (24) que dá como certa a filiação do deputado federal e ex-prefeito de Campina Grande Veneziano Vital do Rêgo ao seu partido, uma vez que ele já foi convidado pela presidente da legenda Renata Abreu para ingressar na legenda.
Para Álvaro Dias a chegada de Veneziano ao Podemos é uma questão de tempo já que os entendimentos nesse sentido estão bem adiantados. De acordo com o senador o nome do ex-prefeito campinense é bem vindo já que o Podemos pretende ter na Paraíba um partido organizado e estruturado que permita ao presidenciável plenas condições de conversar com o povo paraibano.
A entrevista do senador Álvaro Dias foi feita por telefone, com exclusividade, pelo radialista Edil Francis no seu programa diário na rádio Cidade de Esperança e contou com a participação do jornalista Apolinário Pimentel.

PRESIDENCIÁVEL
Falando sobre sua condição de candidato a presidente do Brasil Álvaro Dias comentou que tem grande responsabilidade nesse sentido, já quando deixou o governo do estado do Parará saiu com mais de 90% de aprovação e agora, para ele, chegou a hora das pessoas lúcidas do país, dentro da política ou fora dela exercerem o protagonismo, ou seja, assumirem uma posição de responsabilidade “porque a omissão pode ser fatal e levar o país ao descalabro administrativo”. Para ele é preciso um temo diferente no Brasil “e esse é o desafio pra quem ousa apresentar o seu nome como candidato”.

PRIVATIZAÇÕES
Para o senador Álvaro Dias as privatizações que estão sendo anunciadas pelo Governo Federal nada mais são do que uma demonstração de desespero, já que na sua opinião o presidente Michel Temer quer conseguir dinheiro de todas as maneiras para bancar sua permanência no poder. Álvaro até considera que é importante privatizar alguns setores estratégicos, mas o seu receio dele que os órgãos públicos sejam vendidos a preço de banana e o dinheiro seja jogado no ar. “Um governo como esse não tem autoridade para bancar um processo de privatização de tantas empresas”, disse ele, comentando ainda que “essas privatizações exigem muito cuidado”.

POLÍTICOS ROUBAM
O senador e presidenciável Álvaro Dias disse ainda que R$ 20 milhões desaparecem num piscar de olhos “e ficamos sem o patrimônio do povo”. Ele afirmou ser verdadeira a frase que tá na boca do povo, de que os políticos roubam: “é verdade, alguns estão indo para a cadeia porque roubaram, outros ainda não foram. Devem ir. Todos que roubam devem ir para cadeia”, comentou ele, dizendo que “nós não temos que tirar uma empresa do povo brasileiro. Temos que tirar dos políticos”.

Álvaro Dias afirmou também que caso estivesse hoje no cargo de presidente a primeira providência a ser tomada seria fazer uma reforma do estado e destruir “esse sistema corrupto de governo do toma lá dá cá para favorecer alguns apadrinhados”. Ele disse que reduzir o tamanho do estado é de fundamental importância para melhorar o país e considera que só um presidente eleito pelo povo e com autoridade conquistada nas urnas terá coragem e ousadia de fazer isso.

Apolinário Pimentel
Da Redação