PM salva família que sofreu ‘sequestro relâmpago'; dois suspeitos foram mortos

Uma família foi salva por policiais militares do Batalhão de Choque de um sequestro relâmpago na noite deste sábado (26). Houve troca de tiros e dois criminosos acabaram mortos.
Segundo informações do batalhão, cinco pessoas de uma mesma família deixaram um bar na Estrada Uruçanga, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio, quando foram abordados e sequestrados por criminosos. A família foi levada no próprio carro para a região central do Rio.
Já no Santo Cristo, bairro do Centro, militares do Choque que estavam a caminho da Baixada Fluminense suspeitaram de um homem parado do lado de fora de um carro. O suspeito parecia nervoso e, quando os PMs o abordaram, foram atacados a tiros por dois homens armados.
A equipe reagiu e atingiu os dois suspeitos, que foram socorridos para o Hospital Municipal Souza Aguiar, também no Centro, mas não resistiram aos ferimentos. As vítimas do sequestro não foram atingidas e os pertences foram recuperados. O caso foi registrado na 5ª (Mem de Sá) e na Delegacia de Homicídios da Capital.
G1

Uma família foi salva por policiais militares do Batalhão de Choque de um sequestro relâmpago na noite deste sábado (26). Houve troca de tiros e dois criminosos acabaram mortos.
Segundo informações do batalhão, cinco pessoas de uma mesma família deixaram um bar na Estrada Uruçanga, em Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio, quando foram abordados e sequestrados por criminosos. A família foi levada no próprio carro para a região central do Rio.
Já no Santo Cristo, bairro do Centro, militares do Choque que estavam a caminho da Baixada Fluminense suspeitaram de um homem parado do lado de fora de um carro. O suspeito parecia nervoso e, quando os PMs o abordaram, foram atacados a tiros por dois homens armados.
A equipe reagiu e atingiu os dois suspeitos, que foram socorridos para o Hospital Municipal Souza Aguiar, também no Centro, mas não resistiram aos ferimentos. As vítimas do sequestro não foram atingidas e os pertences foram recuperados. O caso foi registrado na 5ª (Mem de Sá) e na Delegacia de Homicídios da Capital.
G1