Deputados prestam última homenagem a Dom José Maria Pires

O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), deputado Gervásio Maia, participou, nesta terça-feira (29), das últimas homenagens ao arcebispo emérito da Paraíba Dom José Maria Pires, que faleceu no último domingo em Minas Gerais.
Ao lado do governador Ricardo Coutinho e dos parlamentares
Estela Bezerra, João Gonçalves, Hervázio Bezerra e Frei Anastácio, Gervásio destacou a trajetória simples e comprometida com as causas sociais de Dom José. “É um momento de muita dor para todos nós, que perdemos um homem simples, dedicado e comprometido com às causas sociais. Dom José deixa um legado de luta, bondade e de defesa aos mais humildes e perseguidos”, afirmou.
Já o governador Ricardo Coutinho destacou a postura coerente adotada por Dom José Maria Pires e o legado deixado pelo religioso. “Nos momentos mais difíceis, o povo se socorreu na figura paterna de Dom José Maria Pires, sempre com uma postura inequívoca. Ele tinha lado: o lado de Deus e o lado do povo, conduzindo a Igreja de forma magistral”, comentou.
Para o deputado Hervázio Bezerra, a sociedade perde uma de suas maiores referências. “Dom José Maria Pires é uma referência de luta, de coragem na defesa dos mais humildes e um modelo de honestidade, de coerência, de humildade”, disse.

O deputado Frei Anastácio, que participou dos rituais litúrgicos, ressaltou como a sendo a principal qualidade de Dom José Maria Pires a convivência harmônica sem abrir mão dos seus posicionamentos em defesa de uma sociedade justa. “Dom José foi um homem que, durante a Ditadura Militar, se posicionou ao lado dos presos políticos, ao lado dos jovens, dos trabalhadores, de todos aqueles que são excluídos”, frisou.

Por sua vez, a deputada Estela Bezerra afirmou que Dom José Maria Pires teve uma atuação muito significativa na Paraíba como líder da Igreja Católica no estado. “Todas as pastorais que foram criadas, uma igreja cada vez mais próxima das pessoas, toda a resistência à Ditadura, o fortalecimento do sindicato dos trabalhadores rurais traduzem um pouco da pessoa iluminada que foi Dom José Maria Pires”, pontuou. “A Igreja perto do povo foi o grande legado de Dom Hélder Câmara em Pernambuco e de Dom José Maria Pires na Paraíba”, prosseguiu.
Legado – Dom José Maria Pires nasceu no dia 15 de março de 1919, na cidade de Córregos (MG), filho de Eleutério Augusto Pires e Pedrelina Maria de Jesus. Foi ordenado presbítero no dia 20 de dezembro de 1941, em Diamantina (MG).
 No dia 25 de maio de 1957 recebeu a nomeação episcopal, e a sagração ocorreu no dia 22 de setembro de 1957, em Diamantina. Formou-se em Teologia e Filosofia pelo Seminário de Diamantina (MG), cursos que realizou entre 1936 e 1941.
Na biografia de Dom José destaca-se a sua atuação na época da Ditadura Militar, quando desenvolveu um trabalho pautado na conjunção da atividade religiosa com a defesa dos direitos humanos, com vistas à mudança social. Prestou apoio nos conflitos pela terra na Paraíba, defendendo camponeses de perseguições.
O presidente da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), deputado Gervásio Maia, participou, nesta terça-feira (29), das últimas homenagens ao arcebispo emérito da Paraíba Dom José Maria Pires, que faleceu no último domingo em Minas Gerais.
Ao lado do governador Ricardo Coutinho e dos parlamentares
Estela Bezerra, João Gonçalves, Hervázio Bezerra e Frei Anastácio, Gervásio destacou a trajetória simples e comprometida com as causas sociais de Dom José. “É um momento de muita dor para todos nós, que perdemos um homem simples, dedicado e comprometido com às causas sociais. Dom José deixa um legado de luta, bondade e de defesa aos mais humildes e perseguidos”, afirmou.
Já o governador Ricardo Coutinho destacou a postura coerente adotada por Dom José Maria Pires e o legado deixado pelo religioso. “Nos momentos mais difíceis, o povo se socorreu na figura paterna de Dom José Maria Pires, sempre com uma postura inequívoca. Ele tinha lado: o lado de Deus e o lado do povo, conduzindo a Igreja de forma magistral”, comentou.
Para o deputado Hervázio Bezerra, a sociedade perde uma de suas maiores referências. “Dom José Maria Pires é uma referência de luta, de coragem na defesa dos mais humildes e um modelo de honestidade, de coerência, de humildade”, disse.

O deputado Frei Anastácio, que participou dos rituais litúrgicos, ressaltou como a sendo a principal qualidade de Dom José Maria Pires a convivência harmônica sem abrir mão dos seus posicionamentos em defesa de uma sociedade justa. “Dom José foi um homem que, durante a Ditadura Militar, se posicionou ao lado dos presos políticos, ao lado dos jovens, dos trabalhadores, de todos aqueles que são excluídos”, frisou.

Por sua vez, a deputada Estela Bezerra afirmou que Dom José Maria Pires teve uma atuação muito significativa na Paraíba como líder da Igreja Católica no estado. “Todas as pastorais que foram criadas, uma igreja cada vez mais próxima das pessoas, toda a resistência à Ditadura, o fortalecimento do sindicato dos trabalhadores rurais traduzem um pouco da pessoa iluminada que foi Dom José Maria Pires”, pontuou. “A Igreja perto do povo foi o grande legado de Dom Hélder Câmara em Pernambuco e de Dom José Maria Pires na Paraíba”, prosseguiu.
Legado – Dom José Maria Pires nasceu no dia 15 de março de 1919, na cidade de Córregos (MG), filho de Eleutério Augusto Pires e Pedrelina Maria de Jesus. Foi ordenado presbítero no dia 20 de dezembro de 1941, em Diamantina (MG).
 No dia 25 de maio de 1957 recebeu a nomeação episcopal, e a sagração ocorreu no dia 22 de setembro de 1957, em Diamantina. Formou-se em Teologia e Filosofia pelo Seminário de Diamantina (MG), cursos que realizou entre 1936 e 1941.
Na biografia de Dom José destaca-se a sua atuação na época da Ditadura Militar, quando desenvolveu um trabalho pautado na conjunção da atividade religiosa com a defesa dos direitos humanos, com vistas à mudança social. Prestou apoio nos conflitos pela terra na Paraíba, defendendo camponeses de perseguições.