Belo vence o Sampaio por 3 a 2 e escapa do rebaixamento

Angustiante, dolorosa… Mas, no fim: heroica. A vitória do Botafogo-PB diante do Sampaio Corrêa, na última oportunidade do time paraibano escapar do rebaixamento para a Série D do Campeonato Brasileiro pode ser definida por todos estes adjetivos. Com gols de Dico e Rafael Oliveira – que marcou duas vezes – o Alvinegro da Estrela Vermelha está garantido por mais um ano na Terceira Divisão do futebol nacional. A conquista aconteceu no sábado (9), no estádio Castelão, em São Luís-MA.
Sem disputas oficiais em 2017, o Time da Maravilha do Contorno agora já começa a planejar o calendário do próximo ano, que terá Campeonato Paraibano, Copa do Nordeste, Copa do Brasil e novamente a Série C.
O jogo
Desde os primeiros minutos, o Botafogo dava sinais de que a vitória era o resultado que precisaria voltar na bagagem até João Pessoa. Tanto que logo aos três minutos, Carlos Renato cruzou para Rafael Oliveira, mas a defesa da Bolívia Querida se antecipou e afastou o perigo.
Em vários momentos da partida, o técnico Francisco Diá pedia atenção aos jogadores do Sampaio Corrêa, alertando para o perigo das jogadas do lateral-direito Lito e do atacante Dico. Pelo lado do time maranhense, quem mais assustava era o habilidoso atacante Felipe Marques.
O Sampaio foi quem abriu o placar, aos 34 do primeiro tempo. Sapé errou um passe e Marlon aproveitou o contra-ataque e tocou para Isac, que recebeu um bonito passe. O atacante teve o trabalho só de tocar a bola na saída do goleiro Edson para o fundo das redes.
Momentaneamente, o resultado deixava o Botafogo numa situação complicada. Mas, nove minutos depois veio a luz: o zagueiro Odair Lucas falha, Dico vai para cima e Maracás acaba derrubando o atacante do Belo dentro da área. Na cobrança do pênalti, Rafael Oliveira deixa tudo igual.
No finalzinho do primeiro tempo, uma bobeira do zagueiro Plínio quase deixava o Sampaio Corrêa mudar o marcador, mas o jogo foi para o intervalo com tudo igual no placar.
Os técnicos Francisco Diá e Ramiro Souza optam por promover mudanças no time, para dar mais ofensividade ao jogo. No time da casa, Hiltinho e Wellington Rato foram os escolhidos, enquanto Roger Gaúcho e Warley entraram em campo pelo Bota.
Aos 12, Carlos Renato avançou pela esquerda e chutou cruzado, assustando o goleiro Alex Alves.
Mas, a redenção do Belo estava por vir e precisou apenas de três minutos. Aos 13, a virada do Alvinegro da Estrela Vermelha. Maracás tenta tirar a bola da área e erra, mas Rafael Oliveira aproveita bem a oportunidade para marcar de cabeça o segundo gol – seu e da partida – deixando o torcedor do Botafogo sem acreditar que permanecer na Série C ainda era possível.
Três minutos depois, a confirmação. Dico, o mesmo que chegou no Belo para a Série C  e foi o principal responsável pelos gols marcados durante a passagem do clube pela competição nacional fez uma jogada individual, deixando a defesa do Sampaio toda para trás e chutou forte, sem chance para Alex Alves.
Depois desse gol, o torcedor do Belo não tinha mais dúvidas de que o fantasma do rebaixamento já não existia mais. Tanto que Gian cobrou falta e Isac, de costas para o gol, diminuiu a diferença para a Bolívia Querida. Mas, para o torcedor paraibano, nada disso mais importava.
Para selar a permanência do Belo, o Moto Club – que brigava diretamente contra o rebaixamento – tomava um gol do Fortaleza, para o delírio dos torcedores (do Botafogo e do Sampaio Corrêa, afinal o resultado estava rebaixando o arquirrival).
FICHA TÉCNICA
SAMPAIO CORRÊA 2
Alex Alves; Fredson (Gian), Odair Paulo, Maracás e Esquerdinha; Zaquel, Valderrama (Hiltinho), Fernando Sobral e Marlon (Wellington Rato); Isac e Felipe Marques.
Técnico: Francisco Diá.
BOTAFOGO 3
Edson; Lito, Plínio, Bruno Maia e Carlos Renato; Djavan, Sapé (Roger Gaúcho), Patrick Mota e Marcinho (Fernandinho); Dico e Rafael Oliveira (Warley).
Técnico: Ramiro Souza.
Cartões amarelos:
Isac (Sampaio Corrêa) e Carlos Renato (Botafogo-PB).
Público: 5.848
Renda: R$ 81.170,00
Correio da Paraiba
Angustiante, dolorosa… Mas, no fim: heroica. A vitória do Botafogo-PB diante do Sampaio Corrêa, na última oportunidade do time paraibano escapar do rebaixamento para a Série D do Campeonato Brasileiro pode ser definida por todos estes adjetivos. Com gols de Dico e Rafael Oliveira – que marcou duas vezes – o Alvinegro da Estrela Vermelha está garantido por mais um ano na Terceira Divisão do futebol nacional. A conquista aconteceu no sábado (9), no estádio Castelão, em São Luís-MA.
Sem disputas oficiais em 2017, o Time da Maravilha do Contorno agora já começa a planejar o calendário do próximo ano, que terá Campeonato Paraibano, Copa do Nordeste, Copa do Brasil e novamente a Série C.
O jogo
Desde os primeiros minutos, o Botafogo dava sinais de que a vitória era o resultado que precisaria voltar na bagagem até João Pessoa. Tanto que logo aos três minutos, Carlos Renato cruzou para Rafael Oliveira, mas a defesa da Bolívia Querida se antecipou e afastou o perigo.
Em vários momentos da partida, o técnico Francisco Diá pedia atenção aos jogadores do Sampaio Corrêa, alertando para o perigo das jogadas do lateral-direito Lito e do atacante Dico. Pelo lado do time maranhense, quem mais assustava era o habilidoso atacante Felipe Marques.
O Sampaio foi quem abriu o placar, aos 34 do primeiro tempo. Sapé errou um passe e Marlon aproveitou o contra-ataque e tocou para Isac, que recebeu um bonito passe. O atacante teve o trabalho só de tocar a bola na saída do goleiro Edson para o fundo das redes.
Momentaneamente, o resultado deixava o Botafogo numa situação complicada. Mas, nove minutos depois veio a luz: o zagueiro Odair Lucas falha, Dico vai para cima e Maracás acaba derrubando o atacante do Belo dentro da área. Na cobrança do pênalti, Rafael Oliveira deixa tudo igual.
No finalzinho do primeiro tempo, uma bobeira do zagueiro Plínio quase deixava o Sampaio Corrêa mudar o marcador, mas o jogo foi para o intervalo com tudo igual no placar.
Os técnicos Francisco Diá e Ramiro Souza optam por promover mudanças no time, para dar mais ofensividade ao jogo. No time da casa, Hiltinho e Wellington Rato foram os escolhidos, enquanto Roger Gaúcho e Warley entraram em campo pelo Bota.
Aos 12, Carlos Renato avançou pela esquerda e chutou cruzado, assustando o goleiro Alex Alves.
Mas, a redenção do Belo estava por vir e precisou apenas de três minutos. Aos 13, a virada do Alvinegro da Estrela Vermelha. Maracás tenta tirar a bola da área e erra, mas Rafael Oliveira aproveita bem a oportunidade para marcar de cabeça o segundo gol – seu e da partida – deixando o torcedor do Botafogo sem acreditar que permanecer na Série C ainda era possível.
Três minutos depois, a confirmação. Dico, o mesmo que chegou no Belo para a Série C  e foi o principal responsável pelos gols marcados durante a passagem do clube pela competição nacional fez uma jogada individual, deixando a defesa do Sampaio toda para trás e chutou forte, sem chance para Alex Alves.
Depois desse gol, o torcedor do Belo não tinha mais dúvidas de que o fantasma do rebaixamento já não existia mais. Tanto que Gian cobrou falta e Isac, de costas para o gol, diminuiu a diferença para a Bolívia Querida. Mas, para o torcedor paraibano, nada disso mais importava.
Para selar a permanência do Belo, o Moto Club – que brigava diretamente contra o rebaixamento – tomava um gol do Fortaleza, para o delírio dos torcedores (do Botafogo e do Sampaio Corrêa, afinal o resultado estava rebaixando o arquirrival).
FICHA TÉCNICA
SAMPAIO CORRÊA 2
Alex Alves; Fredson (Gian), Odair Paulo, Maracás e Esquerdinha; Zaquel, Valderrama (Hiltinho), Fernando Sobral e Marlon (Wellington Rato); Isac e Felipe Marques.
Técnico: Francisco Diá.
BOTAFOGO 3
Edson; Lito, Plínio, Bruno Maia e Carlos Renato; Djavan, Sapé (Roger Gaúcho), Patrick Mota e Marcinho (Fernandinho); Dico e Rafael Oliveira (Warley).
Técnico: Ramiro Souza.
Cartões amarelos:
Isac (Sampaio Corrêa) e Carlos Renato (Botafogo-PB).
Público: 5.848
Renda: R$ 81.170,00
Correio da Paraiba