Bebê de 27 dias morre depois de ser atacada por cão da família em Mogi das Cruzes

Uma bebê de 27 dias morreu depois de foi atacada por um cão em Mogi das Cruzes.
Inicialmente, ela foi socorrida em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) do distrito de Jundiapeba com quadro de perfurações causadas por mordidas de cão.
Depois foi encaminhada para o Hospital Luzia de Pinho Melo onde morreu na noite de terça-feira (12), por causa dos ferimentos.
Um boletim de ocorrência sobre a morte da criança foi registrado no 2º Distrito Policial na terça-feira.
De acordo com o documento o pai da criança, um operador de máquina de 29 anos, e a mãe, uma manicure de 25 anos estiveram na delegacia.
A mãe contou que a família tem dois cães; um rottweiller e uma cadela pastor alemão com labrador, que vivem em um canil nos fundos da casa que fica na Vila Barreiro.
Ela disse que na terça-feira, por volta das 11h, os cachorros escaparam e foram para a rua, mas uma vizinha os colocou no quintal da casa.
A mulher destacou que quando chegou em casa viu seu lixo todo revirado e os cães soltos. Ela deixou a filha que estava presa em uma cadeirinha no sofá e foi prender os cães no canil.
No entanto, a mulher afirmou que não viu que a tela do canil estava danificada. A manicure foi recolher o lixo e disse que nesse momento os cães escaparam novamente.
Ela prendeu o rottweiller e depois foi atrás da cadela. Ao prender a fêmea, o rottweiller escapou e a atacou a bebê.
Durante o ataque, a cadela fugiu e atacou o rottweiller que soltou a menina. Nesse momento, ela pegou a bebê e foi para a estrada onde conseguiu ajuda com um desconhecido que passava de carro pelo local.
A menina foi atendida em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) do distrito de Jundiapeba com quadro de perfurações causadas por mordidas de cão.
Depois foi encaminhada para o Hospital Luzia de Pinho Melo onde morreu por causa dos ferimentos. O boletim foi registrado como homicídio culposo e uma perícia foi feita no local do ataque.
G1

Uma bebê de 27 dias morreu depois de foi atacada por um cão em Mogi das Cruzes.
Inicialmente, ela foi socorrida em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) do distrito de Jundiapeba com quadro de perfurações causadas por mordidas de cão.
Depois foi encaminhada para o Hospital Luzia de Pinho Melo onde morreu na noite de terça-feira (12), por causa dos ferimentos.
Um boletim de ocorrência sobre a morte da criança foi registrado no 2º Distrito Policial na terça-feira.
De acordo com o documento o pai da criança, um operador de máquina de 29 anos, e a mãe, uma manicure de 25 anos estiveram na delegacia.
A mãe contou que a família tem dois cães; um rottweiller e uma cadela pastor alemão com labrador, que vivem em um canil nos fundos da casa que fica na Vila Barreiro.
Ela disse que na terça-feira, por volta das 11h, os cachorros escaparam e foram para a rua, mas uma vizinha os colocou no quintal da casa.
A mulher destacou que quando chegou em casa viu seu lixo todo revirado e os cães soltos. Ela deixou a filha que estava presa em uma cadeirinha no sofá e foi prender os cães no canil.
No entanto, a mulher afirmou que não viu que a tela do canil estava danificada. A manicure foi recolher o lixo e disse que nesse momento os cães escaparam novamente.
Ela prendeu o rottweiller e depois foi atrás da cadela. Ao prender a fêmea, o rottweiller escapou e a atacou a bebê.
Durante o ataque, a cadela fugiu e atacou o rottweiller que soltou a menina. Nesse momento, ela pegou a bebê e foi para a estrada onde conseguiu ajuda com um desconhecido que passava de carro pelo local.
A menina foi atendida em uma Unidade Básica de Saúde (UBS) do distrito de Jundiapeba com quadro de perfurações causadas por mordidas de cão.
Depois foi encaminhada para o Hospital Luzia de Pinho Melo onde morreu por causa dos ferimentos. O boletim foi registrado como homicídio culposo e uma perícia foi feita no local do ataque.
G1