Stiupb e funcionários da Chesf prestigiam instalação da Frente Parlamentar contra a privatização da Eletrobras

prestigoCGNuma manhã bastante movimentada, foi instalada nesta quinta-feira, 21, na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), a Frente Parlamentar Contra a Privatização da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf).
A mesa dos trabalhos esteve composta pelos presidentes: da Assembleia, deputado Gervásio Maia, autor da propositura; do Stiupb, Wilton Maia Velez; dos Sindicatos de Pernambuco e do Ceará; Movimento dos Atingidos por Barragens; e do Secretario Geral da FRUNE (Federação Regional dos Urbanitários do Nordeste), lideranças do MST, entre outras.
A iniciativa acontece em parceria com Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas na Paraíba (Stiupb) e contou ainda com as participações de alguns deputados estaduais.
O primeiro a falar foi Gervásio Maia. Segundo ele, a venda da Chesf é preocupante, ameaça à segurança hídrica dos nordestinos, a privatização da Eletrobrás acarretará em prejuízos ao consumidor, além de ameaçar a soberania nacional. “Quando uma empresa privada investe, ela quer retorno e isso certamente poderá ter impacto na conta de energia do cidadão. O controle das nossas águas precisa ser discutido com profundidade”, afirmou Gervásio.
Gervásio argumentou ainda que uma Frente Parlamentar será aberta em conjunto com todos os estados do Nordeste, liderada pela União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale) que atuará contra a iniciativa de privatização da Chesf por parte do Governo Federal. “Essa política do Governo Federal tem nos preocupado muito e precisamos cumprir com as nossas obrigações. Temos que preservar as nossas riquezas, temos que preservar a nossa segurança hidrica”, declarou o presidente.
Antes das falas dos demais oradores inscritos, Mozart Bandeira Arnaud, que esteve à frente da diretoria da Chesf durante 12 anos, até 2015, fez uma abordagem sobre a história da Chesf e disse que a iniciativa de se criar a Frente em defesa da estatal é uma ação de extrema importância contra a possibilidade de privatização. “Esta Frente criada pelo presidente Gervásio Maia é mais uma força contrária à ação deste governo com baixíssima credibilidade que, numa crise, numa recessão econômica, um momento ruim para a venda, age sem nenhum debate e sem a transparência adequada”, disse Mozart.
Wilton Maia falou em nome dos funcionários da Chesf que trabalham na Paraíba, e que fizeram questão de participar da Audiência Pública. Conforme Wilton, o Sindicato jamais ficaria de forma dessa luta, lembrando que a entidade teve papel importante para evitar, por exemplo, a venda da Cagepa.
Em sua explanação, o presidente do Stiupb falou da preocupação em relação ao que pretende o Governo Temer: “Esse Governo ilegítimo quer se desfazer das nossas riquezas como foi feito no passado. E ainda quer entregar à iniciativa privada a gerência da transposição do Rio São Francisco. Será uma perda sem precedentes, além de prejuízos para a população, que terá aumento de tarifas de energia, sem controle do Governo Federal “.
O representante da Federação Regional dos Urbanitários do Nordeste (FRUNE), Flávio Uchôa, afirmou que a criação da Frente Parlamentar em Defesa da CHESF na Paraíba é fundamental, porque irá encorajar outras assembleias legislativas a participarem do movimento. “Eu parabenizo a iniciativa. É importante que a Paraíba esteja se juntando ao movimento do Nordeste e a nível nacional. A criação dessa Frente Parlamentar vai contagiar as demais  Assembléias Legislativas. A gente espera que isso venha a tomar um corpo maior. Nós já temos a Frente Parlamentar Nacional, que luta pela não privatização do setor elétrico, incluindo a CHESF, com mais de 240 parlamentares federais envolvidos”, afirmou Flávio.
A sessão de instalação da Frente Parlamentar Contra a Privatização da Chesf contou com a presença das deputadas Camila Toscano e Estela Bezerra, e dos deputados Janduhy Carneiro, João Gonçalves, Raoni Mendes e Trócolli Júnior, além de representantes da sociedade civil organizada.
RESULTADO – Foi deliberado que a Frente Parlamentar marcará a primeira reunião para os próximos dias, bem como unir esforços para participações em atos públicos em outros Estados, como já estão marcados, e participação em sessões no Congresso Nacional, em Brasília, em data a ser deliberada.
Também foi aprovado que a Frente encaminhará correspondência ao presidente da Câmara dos Deputados, ao Senado Federal e a presidência da República, solicitando que seja suspensa o processo de privatização da Eletrobras/Chesf.
ASSESSORIA DE IMPRENSA
STIUPB
prestigoCGNuma manhã bastante movimentada, foi instalada nesta quinta-feira, 21, na Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), a Frente Parlamentar Contra a Privatização da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf).
A mesa dos trabalhos esteve composta pelos presidentes: da Assembleia, deputado Gervásio Maia, autor da propositura; do Stiupb, Wilton Maia Velez; dos Sindicatos de Pernambuco e do Ceará; Movimento dos Atingidos por Barragens; e do Secretario Geral da FRUNE (Federação Regional dos Urbanitários do Nordeste), lideranças do MST, entre outras.
A iniciativa acontece em parceria com Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas na Paraíba (Stiupb) e contou ainda com as participações de alguns deputados estaduais.
O primeiro a falar foi Gervásio Maia. Segundo ele, a venda da Chesf é preocupante, ameaça à segurança hídrica dos nordestinos, a privatização da Eletrobrás acarretará em prejuízos ao consumidor, além de ameaçar a soberania nacional. “Quando uma empresa privada investe, ela quer retorno e isso certamente poderá ter impacto na conta de energia do cidadão. O controle das nossas águas precisa ser discutido com profundidade”, afirmou Gervásio.
Gervásio argumentou ainda que uma Frente Parlamentar será aberta em conjunto com todos os estados do Nordeste, liderada pela União Nacional dos Legisladores e Legislativos Estaduais (Unale) que atuará contra a iniciativa de privatização da Chesf por parte do Governo Federal. “Essa política do Governo Federal tem nos preocupado muito e precisamos cumprir com as nossas obrigações. Temos que preservar as nossas riquezas, temos que preservar a nossa segurança hidrica”, declarou o presidente.
Antes das falas dos demais oradores inscritos, Mozart Bandeira Arnaud, que esteve à frente da diretoria da Chesf durante 12 anos, até 2015, fez uma abordagem sobre a história da Chesf e disse que a iniciativa de se criar a Frente em defesa da estatal é uma ação de extrema importância contra a possibilidade de privatização. “Esta Frente criada pelo presidente Gervásio Maia é mais uma força contrária à ação deste governo com baixíssima credibilidade que, numa crise, numa recessão econômica, um momento ruim para a venda, age sem nenhum debate e sem a transparência adequada”, disse Mozart.
Wilton Maia falou em nome dos funcionários da Chesf que trabalham na Paraíba, e que fizeram questão de participar da Audiência Pública. Conforme Wilton, o Sindicato jamais ficaria de forma dessa luta, lembrando que a entidade teve papel importante para evitar, por exemplo, a venda da Cagepa.
Em sua explanação, o presidente do Stiupb falou da preocupação em relação ao que pretende o Governo Temer: “Esse Governo ilegítimo quer se desfazer das nossas riquezas como foi feito no passado. E ainda quer entregar à iniciativa privada a gerência da transposição do Rio São Francisco. Será uma perda sem precedentes, além de prejuízos para a população, que terá aumento de tarifas de energia, sem controle do Governo Federal “.
O representante da Federação Regional dos Urbanitários do Nordeste (FRUNE), Flávio Uchôa, afirmou que a criação da Frente Parlamentar em Defesa da CHESF na Paraíba é fundamental, porque irá encorajar outras assembleias legislativas a participarem do movimento. “Eu parabenizo a iniciativa. É importante que a Paraíba esteja se juntando ao movimento do Nordeste e a nível nacional. A criação dessa Frente Parlamentar vai contagiar as demais  Assembléias Legislativas. A gente espera que isso venha a tomar um corpo maior. Nós já temos a Frente Parlamentar Nacional, que luta pela não privatização do setor elétrico, incluindo a CHESF, com mais de 240 parlamentares federais envolvidos”, afirmou Flávio.
A sessão de instalação da Frente Parlamentar Contra a Privatização da Chesf contou com a presença das deputadas Camila Toscano e Estela Bezerra, e dos deputados Janduhy Carneiro, João Gonçalves, Raoni Mendes e Trócolli Júnior, além de representantes da sociedade civil organizada.
RESULTADO – Foi deliberado que a Frente Parlamentar marcará a primeira reunião para os próximos dias, bem como unir esforços para participações em atos públicos em outros Estados, como já estão marcados, e participação em sessões no Congresso Nacional, em Brasília, em data a ser deliberada.
Também foi aprovado que a Frente encaminhará correspondência ao presidente da Câmara dos Deputados, ao Senado Federal e a presidência da República, solicitando que seja suspensa o processo de privatização da Eletrobras/Chesf.
ASSESSORIA DE IMPRENSA
STIUPB