Duas pessoas morrem e quatro ficam feridas em tentativa de assalto a ônibus em Curitiba

Duas pessoas morreram e quatro ficaram feridas em uma tentativa de assalto a um ônibus do transporte coletivo em Campo Magro, na Região Metropolitana de Curitiba, na noite de sábado (23).
De acordo com a Polícia Militar (PM), um dos mortos é um dos quatro suspeitos; o outro era a passageira Larissa Morgana Ferreira, de 24 anos.
A tentativa de assalto ocorreu na Estrada do Cerne, no Jardim Viviane. Segundo a polícia, os suspeitos fugiram e ninguém havia sido preso até a última atualização desta reportagem.
Entre os feridos está um policial militar da reserva, de 50 anos, que estava à paisana no ônibus. Ele usava colete à prova de bala, foi encaminhado para atendimento médico com ferimentos moderados e recebeu alta na madrugada deste domingo (24).
De acordo com a Polícia Militar, quatro suspeitos entraram no ônibus e deram voz de assalto. Eles começaram a render os passageiros quando reconheceram o policial.
Ainda conforme a polícia, foram efetuados vários tiros em direção ao policial que revidou, acertando um dos suspeitos. Ele morreu no local.
A passageira foi atingida e chegou a ser socorrida, mas morreu na ambulância.
Os demais feridos, que também eram passageiros, foram encaminhados para o Hospital Nossa Senhora do Roccio, em Campo Largo.
Casos de violência
No primeiro semestre deste ano, houve 976 ocorrências relacionadas à criminalidade no transporte público na capital paranaense – ou seja, uma média de cinco por dia. Os dados são da Urbanização de Curitiba (Urbs), que é a autarquia responsável pela gestão do transporte coletivo na cidade.
Já na Região Metropolitana, a média, somente em agosto, foi de três ocorrências diárias, totalizando 90 no mês. A estatística negativa provoca reação de motoristas e cobradores que têm protestado contra a falta de segurança no trabalho.
Eles fizeram neste mês de setembro paralisações do transporte público e uma caminhada para chamar a atenção da população e das autoridades para o problema.
Na noite de 4 setembro, um motorista foi esfaqueado por um passageiro dentro do ônibus enquanto trabalhava.
Dias antes, um motorista de um ônibus de Curitiba levou uma facada na barriga durante um assalto ao coletivo, de acordo com a Polícia Militar (PM), na Avenida Floriano Peixoto.
Em julho deste ano, outro caso – um motorista foi morto durante um arrastão em Colombo, na Região Metropolitana, na BR-116.
G1
Duas pessoas morreram e quatro ficaram feridas em uma tentativa de assalto a um ônibus do transporte coletivo em Campo Magro, na Região Metropolitana de Curitiba, na noite de sábado (23).
De acordo com a Polícia Militar (PM), um dos mortos é um dos quatro suspeitos; o outro era a passageira Larissa Morgana Ferreira, de 24 anos.
A tentativa de assalto ocorreu na Estrada do Cerne, no Jardim Viviane. Segundo a polícia, os suspeitos fugiram e ninguém havia sido preso até a última atualização desta reportagem.
Entre os feridos está um policial militar da reserva, de 50 anos, que estava à paisana no ônibus. Ele usava colete à prova de bala, foi encaminhado para atendimento médico com ferimentos moderados e recebeu alta na madrugada deste domingo (24).
De acordo com a Polícia Militar, quatro suspeitos entraram no ônibus e deram voz de assalto. Eles começaram a render os passageiros quando reconheceram o policial.
Ainda conforme a polícia, foram efetuados vários tiros em direção ao policial que revidou, acertando um dos suspeitos. Ele morreu no local.
A passageira foi atingida e chegou a ser socorrida, mas morreu na ambulância.
Os demais feridos, que também eram passageiros, foram encaminhados para o Hospital Nossa Senhora do Roccio, em Campo Largo.
Casos de violência
No primeiro semestre deste ano, houve 976 ocorrências relacionadas à criminalidade no transporte público na capital paranaense – ou seja, uma média de cinco por dia. Os dados são da Urbanização de Curitiba (Urbs), que é a autarquia responsável pela gestão do transporte coletivo na cidade.
Já na Região Metropolitana, a média, somente em agosto, foi de três ocorrências diárias, totalizando 90 no mês. A estatística negativa provoca reação de motoristas e cobradores que têm protestado contra a falta de segurança no trabalho.
Eles fizeram neste mês de setembro paralisações do transporte público e uma caminhada para chamar a atenção da população e das autoridades para o problema.
Na noite de 4 setembro, um motorista foi esfaqueado por um passageiro dentro do ônibus enquanto trabalhava.
Dias antes, um motorista de um ônibus de Curitiba levou uma facada na barriga durante um assalto ao coletivo, de acordo com a Polícia Militar (PM), na Avenida Floriano Peixoto.
Em julho deste ano, outro caso – um motorista foi morto durante um arrastão em Colombo, na Região Metropolitana, na BR-116.
G1