Com empate eletrizante no fim, Fla elimina Flu na Sul-Americana

E deu Flamengo no Fla-Flu da Copa Sul-Americana. Após estar perdendo por 3 a 1, o time rubro-negro buscou o empate na noite desta quarta-feira (1º), no Maracanã, e avançou para a semifinal da competição. Diego, Felipe Vizeu e Willian Arão marcaram pelo Fla, enquanto Lucas e Renato Chaves, duas vezes, fizeram os gols do Flu.

O roteiro começou como a final do Campeonato Carioca: o Flamengo venceu o primeiro jogo por 1 a 0 e o Fluminense abriu o placar no início do segundo. Em ataque rápido aos 3 minutos, Sornoza achou Marcos Junior no meio de campo e o atacante tocou para Lucas, livre na ponta direita. O lateral dominou, invadiu a área e soltou a bomba para vencer Diego Alves.

Os tricolores ainda comemoravam quando o Fla buscou o empate. Diego recebeu na entrada da área e sofreu falta de Lucas. Na cobrança, o próprio camisa 10 bateu com categoria, tirou Diego Cavalieri e colocou novamente os rubro-negros em vantagem.

A partir de então o jogo ficou tenso, pegado, com nervos à flor da pele e disputas acirradas entre as duas equipes: Richard contra Everton; Marcos Junior contra Pará; Diego contra Douglas. O clima pesado só passou com os cartões amarelos para Willian Arão e Lucas.

Foi então que o zagueiro Ricardo Chaves resolveu dar uma de atacante e tomar conta da partida. Aos 31 minutos, Scarpa cobrou escanteio da direita e ele testou no meio do gol. Diego Alves, no susto, fez boa defesa. Mas o goleiro do Flamengo nada pôde fazer pouco depois, quando o lance pareceu se repetir. Novo escanteio para o Fluminense e Chaves subiu mais do que todo mundo para marcar e recolocar o Flu na frente.

A esta altura o Tricolor tinha a vantagem pelo número de gols marcados “fora de casa” – embora as duas partidas tenham sido no Maracanã, o critério de desempate estipulado pela Conmebol entrou em jogo. Vantagem esta que aumentou no início do segundo tempo e novamente com Ricardo Chaves, o zagueirão-artilheiro. Em mais uma jogada na área ele voou e testou firme. A bola bateu no travessão, quicou no gramado e entrou, para a alegria dos tricolores. 3 a 1.

O Flamengo então foi com tudo ao ataque. Era a única alternativa para o time do técnico Reinaldo Rueda. Aos 22 minutos, Éverton Ribeiro serviu de letra Felipe Vizeu e o atacante só teve o trabalho de mandar para as redes e diminuir o placar. O gol deu esperança ao torcedor rubro-negro, mas ainda não era suficiente para evitar a festa dos tricolores. O Flamengo precisava do empate.

E ele veio aos 39 minutos da etapa final. Enquanto o Fluminense, recuado, apostava nos contra-ataques, Willian Arão aproveitou cobrança de falta de Pará pela direita e desviou de cabeça. A bola tocou no travessão antes de entrar e classificar o Flamengo para a semifinal da Copa Sul-Americana. Na próxima fase o Rubro-Negro encara o vencedor do confronto entre Junior Barranquilla, da Colômbia, e Sport.
“Emocionante. Sem a torcida nada disso teria acontecido”, comemorou Felipe Vizeu ao fim da partida.
R7

E deu Flamengo no Fla-Flu da Copa Sul-Americana. Após estar perdendo por 3 a 1, o time rubro-negro buscou o empate na noite desta quarta-feira (1º), no Maracanã, e avançou para a semifinal da competição. Diego, Felipe Vizeu e Willian Arão marcaram pelo Fla, enquanto Lucas e Renato Chaves, duas vezes, fizeram os gols do Flu.

O roteiro começou como a final do Campeonato Carioca: o Flamengo venceu o primeiro jogo por 1 a 0 e o Fluminense abriu o placar no início do segundo. Em ataque rápido aos 3 minutos, Sornoza achou Marcos Junior no meio de campo e o atacante tocou para Lucas, livre na ponta direita. O lateral dominou, invadiu a área e soltou a bomba para vencer Diego Alves.

Os tricolores ainda comemoravam quando o Fla buscou o empate. Diego recebeu na entrada da área e sofreu falta de Lucas. Na cobrança, o próprio camisa 10 bateu com categoria, tirou Diego Cavalieri e colocou novamente os rubro-negros em vantagem.

A partir de então o jogo ficou tenso, pegado, com nervos à flor da pele e disputas acirradas entre as duas equipes: Richard contra Everton; Marcos Junior contra Pará; Diego contra Douglas. O clima pesado só passou com os cartões amarelos para Willian Arão e Lucas.

Foi então que o zagueiro Ricardo Chaves resolveu dar uma de atacante e tomar conta da partida. Aos 31 minutos, Scarpa cobrou escanteio da direita e ele testou no meio do gol. Diego Alves, no susto, fez boa defesa. Mas o goleiro do Flamengo nada pôde fazer pouco depois, quando o lance pareceu se repetir. Novo escanteio para o Fluminense e Chaves subiu mais do que todo mundo para marcar e recolocar o Flu na frente.

A esta altura o Tricolor tinha a vantagem pelo número de gols marcados “fora de casa” – embora as duas partidas tenham sido no Maracanã, o critério de desempate estipulado pela Conmebol entrou em jogo. Vantagem esta que aumentou no início do segundo tempo e novamente com Ricardo Chaves, o zagueirão-artilheiro. Em mais uma jogada na área ele voou e testou firme. A bola bateu no travessão, quicou no gramado e entrou, para a alegria dos tricolores. 3 a 1.

O Flamengo então foi com tudo ao ataque. Era a única alternativa para o time do técnico Reinaldo Rueda. Aos 22 minutos, Éverton Ribeiro serviu de letra Felipe Vizeu e o atacante só teve o trabalho de mandar para as redes e diminuir o placar. O gol deu esperança ao torcedor rubro-negro, mas ainda não era suficiente para evitar a festa dos tricolores. O Flamengo precisava do empate.

E ele veio aos 39 minutos da etapa final. Enquanto o Fluminense, recuado, apostava nos contra-ataques, Willian Arão aproveitou cobrança de falta de Pará pela direita e desviou de cabeça. A bola tocou no travessão antes de entrar e classificar o Flamengo para a semifinal da Copa Sul-Americana. Na próxima fase o Rubro-Negro encara o vencedor do confronto entre Junior Barranquilla, da Colômbia, e Sport.
“Emocionante. Sem a torcida nada disso teria acontecido”, comemorou Felipe Vizeu ao fim da partida.
R7