Estudante branca contaminou objetos de colega negra pra expulsá-la do quarto. Ela acabou expulsa da universidade

odioApós cometer várias agressões com uma colega de quarto negra, a estudante branca, Brianna Brochu, confessou em seu Instagram que havia conseguido, finalmente, expulsar a jovem, Chennel Rowe, a quem ela se referia como “Barbie jamaicana”.
Agora, a ex-estudante foi expulsa da Universidade de Hartford, em Connecticut, nos Estados Unidos, e teve sua sentença tomada por um tribunal na quarta-feira (1).
Ela foi acusada por crime de ódio. De acordo com o próprio post de Brianna, ela contaminava a escova de dente e loções faciais da colega de quarto negra, além de outros pertences dela, para que a colega saísse do quarto.
“Depois de um mês e meio cuspindo no óleo de coco dela, colocando molusco mofado em suas loções, esfregando tampões usados em sua mochila, colocando a escova de dente dela em locais onde o sol não alcança, e muito mais, finalmente posso dizer adeus para a Barbie jamaicana”, dizia o texto publicado no perfil de Brianna no Instagram, que já foi deletado.
A história repercutiu nas redes sociais e internautas reagiram com revolta às atitudes de Brianna por meio do compartilhamento da hashtag #justiceforjazzy (Justiça para Jazzy, em português), sendo Jazzy o nome utilizado por Chennel no Facebook.
O post de Brianna originou a acusação contra a universitária, conforme informou o “The New York Times”. De acordo com o tenente Michael Perruccio, do departamento de polícia de West Hartford, o caso começou a ser investigado no último 18 de outubro. No entanto, foi somente no último sábado que Brianna se entregou. Ela já tinha antecedentes.
Depois, Chennel contou, numa transmissão ao vivo no seu perfil do Facebook, na segunda-feira, que, ao ler a publicação, entendeu por que ela se sentiu mal diversas vezes, com muita dor de garganta, por exemplo. “Eu me mudei porque senti que não era querida em meu próprio quarto”, disse.
A jovem branca foi expulsa da universidade, onde 15% dos alunos da graduação são negros, segundo um comunicado emitido pela instituição. A ex-aluna também pode responder a um processo criminal devido a suas maldades.
“Brianna Brochu não é mais uma estudante da Universidade de Hartforg”, afirmou o presidente da unidade, Gregory S. Woodward.
Notícias ao Minuto

odioApós cometer várias agressões com uma colega de quarto negra, a estudante branca, Brianna Brochu, confessou em seu Instagram que havia conseguido, finalmente, expulsar a jovem, Chennel Rowe, a quem ela se referia como “Barbie jamaicana”.
Agora, a ex-estudante foi expulsa da Universidade de Hartford, em Connecticut, nos Estados Unidos, e teve sua sentença tomada por um tribunal na quarta-feira (1).
Ela foi acusada por crime de ódio. De acordo com o próprio post de Brianna, ela contaminava a escova de dente e loções faciais da colega de quarto negra, além de outros pertences dela, para que a colega saísse do quarto.
“Depois de um mês e meio cuspindo no óleo de coco dela, colocando molusco mofado em suas loções, esfregando tampões usados em sua mochila, colocando a escova de dente dela em locais onde o sol não alcança, e muito mais, finalmente posso dizer adeus para a Barbie jamaicana”, dizia o texto publicado no perfil de Brianna no Instagram, que já foi deletado.
A história repercutiu nas redes sociais e internautas reagiram com revolta às atitudes de Brianna por meio do compartilhamento da hashtag #justiceforjazzy (Justiça para Jazzy, em português), sendo Jazzy o nome utilizado por Chennel no Facebook.
O post de Brianna originou a acusação contra a universitária, conforme informou o “The New York Times”. De acordo com o tenente Michael Perruccio, do departamento de polícia de West Hartford, o caso começou a ser investigado no último 18 de outubro. No entanto, foi somente no último sábado que Brianna se entregou. Ela já tinha antecedentes.
Depois, Chennel contou, numa transmissão ao vivo no seu perfil do Facebook, na segunda-feira, que, ao ler a publicação, entendeu por que ela se sentiu mal diversas vezes, com muita dor de garganta, por exemplo. “Eu me mudei porque senti que não era querida em meu próprio quarto”, disse.
A jovem branca foi expulsa da universidade, onde 15% dos alunos da graduação são negros, segundo um comunicado emitido pela instituição. A ex-aluna também pode responder a um processo criminal devido a suas maldades.
“Brianna Brochu não é mais uma estudante da Universidade de Hartforg”, afirmou o presidente da unidade, Gregory S. Woodward.
Notícias ao Minuto