PSICOLOGIA AO SEU ALCANCE – Orgulho e Profissão

A pessoa precisa ter orgulho da profissão. Isso resume quase tudo. O orgulho é a delimitação do que ela é, quer dizer que ao ter orgulho da sua profissão ela percebe que está fazendo o que é certo e sente vontade de comunicar aos outros o que faz. Mantém a cabeça erguida ao contar suas atividades profissionais e mostra-se motivado.

Dessa forma, um dos papeis do orientador profissional é buscar junto ao seu orientando suas características, seus desejos e o que o faz sentir orgulho, pois esse conjunto de informações lhe será muito útil para discutir qual profissão possibilitará deste se realizar. No fim das contas quem vai escolher a profissão é o orientando, mas para ele fazer com segurança precisa ter informações, não apenas sobre a profissão, mas principalmente de si próprio. Saber o que gosta, o que o realiza, o que o faz sentir orgulho, vergonha, medo, etc. Precisa estar ciente que estará ingressando no mundo adulto e precisa se posicionar para buscar seu espaço profissional.

Para o orgulho ocorrer psicologicamente é necessário a pessoa reconhecer que o resultado do que realizou estava dentro do que esperava e em consonância com seus valores. No caso profissional, o orgulho geralmente vem com o sucesso na carreira, e para que isso seja alcançado é importante o orientando saber antes de ingressar na faculdade que ele precisa investir na organização, planejamento das atividades e visão de mercado. Dados que são importantes de serem trabalhados no processo de orientação. Pois caso ele tenha esse conhecimento e aplique durante o curso, lhe permitirá se preparar melhor para a vida profissional, talvez criar um diferencial competitivo que possa lhe destacar dos demais colegas.

A orientação profissional é um quebra-cabeça em que nem todas as peças estão sobre a mesa, é necessário buscar diversas informações, de maneira precisa, porém rápida. Pois não é um processo psicoterapêutico, em que o tempo é bem mais elástico. Na O.P. a escolha pela profissão tem prazo, principalmente se o orientando for cursar uma faculdade que tem data para inscrição. A investigação precisa seguir uma metodologia que permita de antemão saber o que buscar. Procure um profissional habilitado para desenvolver esse trabalho.

Psicólogo Flávio Melo Ribeiro
CRP12/00449

A Viver – Atividades em Psicologia desenvolveu programas psicoterapêuticos que possibilitam ser trabalhados em grupos e individual.
flavioviver@gmail.com (48) 9921-8811 (48) 3223-4386
Página no Facebook: Viver – Atividades em Psicologia
Canal no Youtube: Flávio Melo Ribeiro

A pessoa precisa ter orgulho da profissão. Isso resume quase tudo. O orgulho é a delimitação do que ela é, quer dizer que ao ter orgulho da sua profissão ela percebe que está fazendo o que é certo e sente vontade de comunicar aos outros o que faz. Mantém a cabeça erguida ao contar suas atividades profissionais e mostra-se motivado.

Dessa forma, um dos papeis do orientador profissional é buscar junto ao seu orientando suas características, seus desejos e o que o faz sentir orgulho, pois esse conjunto de informações lhe será muito útil para discutir qual profissão possibilitará deste se realizar. No fim das contas quem vai escolher a profissão é o orientando, mas para ele fazer com segurança precisa ter informações, não apenas sobre a profissão, mas principalmente de si próprio. Saber o que gosta, o que o realiza, o que o faz sentir orgulho, vergonha, medo, etc. Precisa estar ciente que estará ingressando no mundo adulto e precisa se posicionar para buscar seu espaço profissional.

Para o orgulho ocorrer psicologicamente é necessário a pessoa reconhecer que o resultado do que realizou estava dentro do que esperava e em consonância com seus valores. No caso profissional, o orgulho geralmente vem com o sucesso na carreira, e para que isso seja alcançado é importante o orientando saber antes de ingressar na faculdade que ele precisa investir na organização, planejamento das atividades e visão de mercado. Dados que são importantes de serem trabalhados no processo de orientação. Pois caso ele tenha esse conhecimento e aplique durante o curso, lhe permitirá se preparar melhor para a vida profissional, talvez criar um diferencial competitivo que possa lhe destacar dos demais colegas.

A orientação profissional é um quebra-cabeça em que nem todas as peças estão sobre a mesa, é necessário buscar diversas informações, de maneira precisa, porém rápida. Pois não é um processo psicoterapêutico, em que o tempo é bem mais elástico. Na O.P. a escolha pela profissão tem prazo, principalmente se o orientando for cursar uma faculdade que tem data para inscrição. A investigação precisa seguir uma metodologia que permita de antemão saber o que buscar. Procure um profissional habilitado para desenvolver esse trabalho.

Psicólogo Flávio Melo Ribeiro
CRP12/00449

A Viver – Atividades em Psicologia desenvolveu programas psicoterapêuticos que possibilitam ser trabalhados em grupos e individual.
flavioviver@gmail.com (48) 9921-8811 (48) 3223-4386
Página no Facebook: Viver – Atividades em Psicologia
Canal no Youtube: Flávio Melo Ribeiro