Açude de Boqueirão está chegando a 10% do volume de armazenamento

Desde o encontro das águas da transposição do Rio São Francisco com o espelho d’água do Epitácio Pessoa, em Boqueirão, no Cariri paraibano, o volume do manancial subiu em mais de 5% em relação ao período que antecedeu a chegada das águas do ‘Velho Chico”

Segundo dados atuais do Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (DENOSC) e da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa), Boqueirão está com 38.086.807 milhões de metros cúbicos de água acumulada. Isso representa 9,3% da capacidade total de armazenamento do manancial. Construído há mais de 60 anos pelo DNOCS, e principal fonte de abastecimento de Campina Grande, e mais 18 cidades do Compartimento da Borborema, o açude de Boqueirão foi projetado para armazenar quase de 411,7 milhões de metros cúbicos de água.

O aumento na lâmina de água nesse período foi de 5, 46 metros, que corresponde a um aporte hídrico de 26.112.747 metros cúbicos de água.

Em 18 de abril deste ano, data do encontro das águas, Boqueirão estava com 11,9 milhões de m³ de água, que representava 2,9% do volume total, o pior índice da história.

PB Agora

Desde o encontro das águas da transposição do Rio São Francisco com o espelho d’água do Epitácio Pessoa, em Boqueirão, no Cariri paraibano, o volume do manancial subiu em mais de 5% em relação ao período que antecedeu a chegada das águas do ‘Velho Chico”

Segundo dados atuais do Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (DENOSC) e da Agência Executiva de Gestão das Águas do Estado da Paraíba (Aesa), Boqueirão está com 38.086.807 milhões de metros cúbicos de água acumulada. Isso representa 9,3% da capacidade total de armazenamento do manancial. Construído há mais de 60 anos pelo DNOCS, e principal fonte de abastecimento de Campina Grande, e mais 18 cidades do Compartimento da Borborema, o açude de Boqueirão foi projetado para armazenar quase de 411,7 milhões de metros cúbicos de água.

O aumento na lâmina de água nesse período foi de 5, 46 metros, que corresponde a um aporte hídrico de 26.112.747 metros cúbicos de água.

Em 18 de abril deste ano, data do encontro das águas, Boqueirão estava com 11,9 milhões de m³ de água, que representava 2,9% do volume total, o pior índice da história.

PB Agora