A mortadela voadora

Não! eu não tomei chá de lírio,mesmo porquê eu sempre fui contra a qualquer tipo de alucinógeno ,se alguém quiser pode fazer um teste ,sei lá ,com bafômetro ,cuspômetro ,urinômetro,bostômetro não vai achar nada ,também não bebi cachaça ,não que a religião não permita ,meu fígado é que não aceita ,também não fumei o cigarrinho do capeta ,muito menos cheirei carreirinha ,narguile só conheço de nome ,crack pra mim só Pelé, Zico e os Ronaldos.
Também não estou lelé da cuca ,ninguém acredita ,mas eu vi uma mortadela voando,ela veio lá do lado do cortume ,deu um rasante, zumm quase me acerta a cabeça e continuou sua trajetória sentido a ponte das formigas.
Quando eu contei isso pra Claudjane ela riu feito doida ,já procurou o telefone do Juqueri (esse homem tá louco ,cheirou cola ).
Mas é verdade ,era uma mortadelona (não era fatiada não)era uma baita duma mortadela ,vermelhona ,tinha até o barbantinho na ponta .
Ela foi até lá na frente ,fez uma manobra de cento e oitenta graus e voltou bem devagar ,ficou parada em cima de mim como se tivesse me analisando ,mexia de um lado para o outro ,pra frente e pra trás fez que foi embora e voltou depois deixou cair umas bolinhas que eu não sei se eram pimenta do reino ou cocô de mortadela e foi embora de vez.
Ai eu parei e fiquei pensando ,será que estou ficando ruim da cachola ?Com tanta coisa acontecendo em minha vida não é nada difícil ,a situação do país,a inflação voltando,a Dilma ficando ,a Zika chegando ,a bandidagem aumentando e a dona da pensão que dá mais valor ao energético com cerveja do que com minhas meias e cuecas ,acho que posso estar mesmo ficando neurastênico.
Mas ao mesmo tempo acho que não estou pinel não ,aquele embutido era muito real ,tinha até cheiro ,só não deu pra saber se era defumada ,também não vi a marca e não era salsichão nem salame ,era mortadela com todas as letras e gordurinhas .
No outro dia eu voltei ao mesmo local na mesma hora com a mesma roupa e as mesmas aflições mas a bola comestível voadora não apareceu ,também no outro dia ,com todos os mesmos e nada da coisa que voa passar.
Porém ontem a tardezinha ,estava eu lá no lugar de sempre sentado na calçada ,mão no queixo ,cotovelo no joelho ,tipo o pensador quando vejo lá longe alguma coisa voando no meu encontro, pensei,é ela ,finalmente ela veio .
Mas que chato ,não era ela ,era somente um Zeppelin.
Valdir Fachini
valdirfachini53@gmail.com

Não! eu não tomei chá de lírio,mesmo porquê eu sempre fui contra a qualquer tipo de alucinógeno ,se alguém quiser pode fazer um teste ,sei lá ,com bafômetro ,cuspômetro ,urinômetro,bostômetro não vai achar nada ,também não bebi cachaça ,não que a religião não permita ,meu fígado é que não aceita ,também não fumei o cigarrinho do capeta ,muito menos cheirei carreirinha ,narguile só conheço de nome ,crack pra mim só Pelé, Zico e os Ronaldos.
Também não estou lelé da cuca ,ninguém acredita ,mas eu vi uma mortadela voando,ela veio lá do lado do cortume ,deu um rasante, zumm quase me acerta a cabeça e continuou sua trajetória sentido a ponte das formigas.
Quando eu contei isso pra Claudjane ela riu feito doida ,já procurou o telefone do Juqueri (esse homem tá louco ,cheirou cola ).
Mas é verdade ,era uma mortadelona (não era fatiada não)era uma baita duma mortadela ,vermelhona ,tinha até o barbantinho na ponta .
Ela foi até lá na frente ,fez uma manobra de cento e oitenta graus e voltou bem devagar ,ficou parada em cima de mim como se tivesse me analisando ,mexia de um lado para o outro ,pra frente e pra trás fez que foi embora e voltou depois deixou cair umas bolinhas que eu não sei se eram pimenta do reino ou cocô de mortadela e foi embora de vez.
Ai eu parei e fiquei pensando ,será que estou ficando ruim da cachola ?Com tanta coisa acontecendo em minha vida não é nada difícil ,a situação do país,a inflação voltando,a Dilma ficando ,a Zika chegando ,a bandidagem aumentando e a dona da pensão que dá mais valor ao energético com cerveja do que com minhas meias e cuecas ,acho que posso estar mesmo ficando neurastênico.
Mas ao mesmo tempo acho que não estou pinel não ,aquele embutido era muito real ,tinha até cheiro ,só não deu pra saber se era defumada ,também não vi a marca e não era salsichão nem salame ,era mortadela com todas as letras e gordurinhas .
No outro dia eu voltei ao mesmo local na mesma hora com a mesma roupa e as mesmas aflições mas a bola comestível voadora não apareceu ,também no outro dia ,com todos os mesmos e nada da coisa que voa passar.
Porém ontem a tardezinha ,estava eu lá no lugar de sempre sentado na calçada ,mão no queixo ,cotovelo no joelho ,tipo o pensador quando vejo lá longe alguma coisa voando no meu encontro, pensei,é ela ,finalmente ela veio .
Mas que chato ,não era ela ,era somente um Zeppelin.
Valdir Fachini
valdirfachini53@gmail.com