Igreja anglicana nomeia primeira mulher para bispa

bispaSarah Mullally, uma ex-enfermeira de 55 anos, foi nomeada nesta segunda-feira (18) bispa de Londres. Ela é a primeira mulher a ocupar um dos lugares mais elevados na hierarquia da igreja na Inglaterra. Ela sucede Richard Chartres e se torna a 133ª pessoa para dirigir a diocese, cujo assento está na Catedral de São Paulo.

Ela agora está em terceiro lugar na hierarquia da igreja anglicana inglesa, atrás dos arcebispos de Cantuária, governador supremo e chefe da comunhão anglicana, e do arcebispo de York.

Apesar de não ter sido bem aceita por algumas alas mais conservadoras da igreja, Sarah Mullally afirmou durante uma entrevista que respeita ambos os lados. “Respeito aqueles que não aceitam o meu ministério episcopal porque sou uma mulher”, disse.

A primeira sacerdotisa anglicana na Inglaterra foi ordenada em 1987, apesar de entre algumas comunidades da Comunhão Anglicana (como no Canadá ou no Brasil) já fosse permitido, nesta época, a ordenação de mulheres.

Igreja sem fronteiras

Mullally é vista como um suporte da igualdade LGBT. A nova bispa disse que Londres é uma cidade muito diversificada e que espera que todos possam encontrar um lar espiritual.

Jayne Ozanne, uma das principais militantes LGBT da igreja, declarou estar “absolutamente encantada com essa nomeação corajosa e bem merecida”.

(Foto: Church of England/Handout via Reuters)

G1

bispaSarah Mullally, uma ex-enfermeira de 55 anos, foi nomeada nesta segunda-feira (18) bispa de Londres. Ela é a primeira mulher a ocupar um dos lugares mais elevados na hierarquia da igreja na Inglaterra. Ela sucede Richard Chartres e se torna a 133ª pessoa para dirigir a diocese, cujo assento está na Catedral de São Paulo.

Ela agora está em terceiro lugar na hierarquia da igreja anglicana inglesa, atrás dos arcebispos de Cantuária, governador supremo e chefe da comunhão anglicana, e do arcebispo de York.

Apesar de não ter sido bem aceita por algumas alas mais conservadoras da igreja, Sarah Mullally afirmou durante uma entrevista que respeita ambos os lados. “Respeito aqueles que não aceitam o meu ministério episcopal porque sou uma mulher”, disse.

A primeira sacerdotisa anglicana na Inglaterra foi ordenada em 1987, apesar de entre algumas comunidades da Comunhão Anglicana (como no Canadá ou no Brasil) já fosse permitido, nesta época, a ordenação de mulheres.

Igreja sem fronteiras

Mullally é vista como um suporte da igualdade LGBT. A nova bispa disse que Londres é uma cidade muito diversificada e que espera que todos possam encontrar um lar espiritual.

Jayne Ozanne, uma das principais militantes LGBT da igreja, declarou estar “absolutamente encantada com essa nomeação corajosa e bem merecida”.

(Foto: Church of England/Handout via Reuters)

G1