O Natal não é luxo é o nascimento de Jesus Cristo

O Natal na sua essência significa o nascimento de Jesus Cristo, no entanto, o nascimento do Salvador do Mundo há muito ficou ofuscado pelo mercantilismo, que trouxe e conseguiu dar outro significado para a festa que deixou de ser simples para se tornar luxuosa, que deixou os lares pobres para ocupar as mansões, que esqueceu quem nada tem para fazer a alegria de quem pode comprar presentes e uma ceia farta.

De acordo com os fatos descritos na Bíblia, nos evangelhos de Mateus e Lucas, Jesus nasceu em Belém, em um estábulo. Um dos textos mais conhecidos sobre o Natal se encontra na Bíblia, em Lucas 2:1-14.

Natal é o nome da festa religiosa cristã que celebra o nascimento de Jesus Cristo, a figura central do Cristianismo. O dia de Natal, 25 de dezembro, foi estipulado pela Igreja Católica no ano de 350, século IV através do Papa Júlio I, sendo mais tarde oficializado como feriado. A verdade é que o Natal é uma data comemorativa que simboliza o nascimento de Jesus Cristo. Esta celebração acontece há mais de 1.600 anos no dia 25 de dezembro.

Vivemos tempos realmente conflituosos, onde muitos dos ditos cristãos defendem conceitos que verdadeiramente não foram pregados por Jesus Cristo e que não constam nas Escrituras Sagradas. É de se perguntar que cristão é este que naturaliza uma multidão de famintos que está em todas as partes da Terra, indaga-se também como os cristãos celebram tanta felicidade e esquecem do irmão invisível que está bem próximo dele, mas, que não é visto porque não tem uma casa bonita nem uma roupa elegante para mostrar, é mesmo contraditório, não?

Será que o aniversariante fica feliz com tantos horrores e tanta miséria, para se alegrar apenas com quem já comprou a roupa nova de uma marca destacada, já está com a casa arrumada e a mesa farta com comidas finas e bebidas de altos valores? Prefiro dizer que não, porque Jesus está e sempre esteve com os humildes e mais uma vez estará com aqueles que são humilhados, porque no reino dele, estes serão os exaltados.

Que o momento seja para reflexão, no sentido de vermos que o mais importante é o aniversário de Jesus Cristo, aquele que prefere os pobres e excluídos, que prefere a humildade e não a ostentação, nós cristãos devemos nos resignificarmos em relação aos conceitos que temos. A nós está sendo dada a escolha e o livre arbítrio de ficarmos com a fartura, com o glamour, com as lindas roupas, com as trocas de valorosos presentes e de nos embriagarmos com as coisas oferecidas pelo mercado das futilidades ou de comemoramos o Natal de Jesus Cristo, a decisão é tua só tua.
Por Josinaldo Neves, jornalista

O Natal na sua essência significa o nascimento de Jesus Cristo, no entanto, o nascimento do Salvador do Mundo há muito ficou ofuscado pelo mercantilismo, que trouxe e conseguiu dar outro significado para a festa que deixou de ser simples para se tornar luxuosa, que deixou os lares pobres para ocupar as mansões, que esqueceu quem nada tem para fazer a alegria de quem pode comprar presentes e uma ceia farta.

De acordo com os fatos descritos na Bíblia, nos evangelhos de Mateus e Lucas, Jesus nasceu em Belém, em um estábulo. Um dos textos mais conhecidos sobre o Natal se encontra na Bíblia, em Lucas 2:1-14.

Natal é o nome da festa religiosa cristã que celebra o nascimento de Jesus Cristo, a figura central do Cristianismo. O dia de Natal, 25 de dezembro, foi estipulado pela Igreja Católica no ano de 350, século IV através do Papa Júlio I, sendo mais tarde oficializado como feriado. A verdade é que o Natal é uma data comemorativa que simboliza o nascimento de Jesus Cristo. Esta celebração acontece há mais de 1.600 anos no dia 25 de dezembro.

Vivemos tempos realmente conflituosos, onde muitos dos ditos cristãos defendem conceitos que verdadeiramente não foram pregados por Jesus Cristo e que não constam nas Escrituras Sagradas. É de se perguntar que cristão é este que naturaliza uma multidão de famintos que está em todas as partes da Terra, indaga-se também como os cristãos celebram tanta felicidade e esquecem do irmão invisível que está bem próximo dele, mas, que não é visto porque não tem uma casa bonita nem uma roupa elegante para mostrar, é mesmo contraditório, não?

Será que o aniversariante fica feliz com tantos horrores e tanta miséria, para se alegrar apenas com quem já comprou a roupa nova de uma marca destacada, já está com a casa arrumada e a mesa farta com comidas finas e bebidas de altos valores? Prefiro dizer que não, porque Jesus está e sempre esteve com os humildes e mais uma vez estará com aqueles que são humilhados, porque no reino dele, estes serão os exaltados.

Que o momento seja para reflexão, no sentido de vermos que o mais importante é o aniversário de Jesus Cristo, aquele que prefere os pobres e excluídos, que prefere a humildade e não a ostentação, nós cristãos devemos nos resignificarmos em relação aos conceitos que temos. A nós está sendo dada a escolha e o livre arbítrio de ficarmos com a fartura, com o glamour, com as lindas roupas, com as trocas de valorosos presentes e de nos embriagarmos com as coisas oferecidas pelo mercado das futilidades ou de comemoramos o Natal de Jesus Cristo, a decisão é tua só tua.
Por Josinaldo Neves, jornalista