Polícia Civil interrompe velório e constata homicídio

Um velório foi suspenso pela Polícia Civil, nesta segunda-feira (2), para novas perícias no cadáver. O caso aconteceu no sítio São Lucas, em Campina Grande, Agreste paraibano.
A família já velava o corpo do aposentado José Romão de Freitas, de 54 anos, e afirmava que ele teria sido vítima de uma parada cardíaca. No entanto, o velório foi interrompido por policiais civis após denúncia de que o homem havia sido espancado até a morte.
“Fomos buscar o cadáver no velório”, afirmou o diretor do Numol, Márcio Leandro. Ele acrescentou que ainda não foi possível determinar o objeto que teria atingido o crânio do aposentado, mas revelou que ele não possuía outros ferimentos no corpo.
A causa mortis foi trauma crânio encefálico com hemorragia consecutiva. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios, que deve convocar familiares da vítima para interrogatório.
MaisPB

Um velório foi suspenso pela Polícia Civil, nesta segunda-feira (2), para novas perícias no cadáver. O caso aconteceu no sítio São Lucas, em Campina Grande, Agreste paraibano.
A família já velava o corpo do aposentado José Romão de Freitas, de 54 anos, e afirmava que ele teria sido vítima de uma parada cardíaca. No entanto, o velório foi interrompido por policiais civis após denúncia de que o homem havia sido espancado até a morte.
“Fomos buscar o cadáver no velório”, afirmou o diretor do Numol, Márcio Leandro. Ele acrescentou que ainda não foi possível determinar o objeto que teria atingido o crânio do aposentado, mas revelou que ele não possuía outros ferimentos no corpo.
A causa mortis foi trauma crânio encefálico com hemorragia consecutiva. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Homicídios, que deve convocar familiares da vítima para interrogatório.
MaisPB