Jornalista da Globo baleado na cabeça é aposentado por invalidez

invalidezVítima de uma bala perdida pouco tempo depois de sair da TV Asa Branca, afiliada da Globo em Caruaru (PE), o jornalista Alexandre Farias passou por uma perícia do INSS e foi aposentado por invalidez, quatro meses depois do ocorrido.
Alexandre Farias tinha acabado de apresentar o telejornal local “ABTV – 2ª edição” e estava a caminho de casa, no dia 16 de setembro, quando ficou no meio de um fogo cruzado entre a polícia e suspeitos que teriam roubado um carro. Os bandidos ainda atropelaram dois socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) na fuga.
O jornalista foi levado às pressas para o hospital, passou por um procedimento cirúrgico que durou quatro horas e teve perda de parte da massa encefálica. O tiro acertou na parte frontal da cabeça, pouco acima do olho.
Em entrevista ao UOL, por telefone, José Santos Júnior contou que o irmão passou pela perícia do INSS, em novembro, e o resultado saiu em dezembro. Primeiro, o apresentador recebeu o auxílio doença e depois foi aposentado por invalidez.
“Foi uma surpresa para todos nós, porque ninguém está pensando nisso agora. A gente espera que ele [o Alexandre] se recupere logo”, disse Júnior.
O irmão ressaltou que o apresentador já está fora da UTI, tem se recuperado bem, fazendo fisioterapia, se comunicado por gestos –ele ainda não consegue falar–, mas que o projétil ainda não foi retirado da cabeça. “Isso é o que menos importa agora”, afirmou.
Alexandre Farias deve passar por um cirurgia de reconstrução craniana, mas a família do jornalista espera agora a liberação da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), já que o material utilizado no procedimento é importado.

Prisão de suspeitos
A Polícia Militar realizou poucos dias depois uma operação em um sítio no distrito de Lagoa de Pedra, área rural de Caruaru (PE). Os policiais foram recebidos a tiros.
Três homens foram presos, um morto e um está foragido, de acordo com informações da TV Jornal, afiliada do SBT em Pernambuco. Eles teriam envolvimento no caso de Alexandre Farias.
Uol

invalidezVítima de uma bala perdida pouco tempo depois de sair da TV Asa Branca, afiliada da Globo em Caruaru (PE), o jornalista Alexandre Farias passou por uma perícia do INSS e foi aposentado por invalidez, quatro meses depois do ocorrido.
Alexandre Farias tinha acabado de apresentar o telejornal local “ABTV – 2ª edição” e estava a caminho de casa, no dia 16 de setembro, quando ficou no meio de um fogo cruzado entre a polícia e suspeitos que teriam roubado um carro. Os bandidos ainda atropelaram dois socorristas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) na fuga.
O jornalista foi levado às pressas para o hospital, passou por um procedimento cirúrgico que durou quatro horas e teve perda de parte da massa encefálica. O tiro acertou na parte frontal da cabeça, pouco acima do olho.
Em entrevista ao UOL, por telefone, José Santos Júnior contou que o irmão passou pela perícia do INSS, em novembro, e o resultado saiu em dezembro. Primeiro, o apresentador recebeu o auxílio doença e depois foi aposentado por invalidez.
“Foi uma surpresa para todos nós, porque ninguém está pensando nisso agora. A gente espera que ele [o Alexandre] se recupere logo”, disse Júnior.
O irmão ressaltou que o apresentador já está fora da UTI, tem se recuperado bem, fazendo fisioterapia, se comunicado por gestos –ele ainda não consegue falar–, mas que o projétil ainda não foi retirado da cabeça. “Isso é o que menos importa agora”, afirmou.
Alexandre Farias deve passar por um cirurgia de reconstrução craniana, mas a família do jornalista espera agora a liberação da ANVISA (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), já que o material utilizado no procedimento é importado.

Prisão de suspeitos
A Polícia Militar realizou poucos dias depois uma operação em um sítio no distrito de Lagoa de Pedra, área rural de Caruaru (PE). Os policiais foram recebidos a tiros.
Três homens foram presos, um morto e um está foragido, de acordo com informações da TV Jornal, afiliada do SBT em Pernambuco. Eles teriam envolvimento no caso de Alexandre Farias.
Uol