Aumenta a oferta de emprego na indústria, informa CNI

aumentouuO emprego na indústria brasileira cresceu 0,3% em novembro na comparação com outubro do ano passado, na série livre de influências sazonais. Foi o segundo mês consecutivo de melhora no emprego. A taxa de crescimento de 0,3% foi a maior registrada desde novembro de 2014, informa a pesquisa Indicadores Industriais, divulgada ontem (16) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).
As horas trabalhadas na produção também aumentaram 0,6% em novembro frente a outubro, na série de dados dessazonalizados, revertendo a queda registrada no mês anterior. Além disso, a utilização da capacidade instalada subiu para 78,3%, o maior nível desde fevereiro de 2016, também com ajuste sazonal.
No entanto, os demais indicadores de novembro são negativos. O faturamento caiu 0,6%, a massa real de salários recuou 0,8% e o rendimento médio do trabalhador diminuiu 0,5% na comparação com outubro, na série livre de influências sazonais. “Embora alguns dados mensais sejam negativos, os resultados positivos estão ficando mais frequentes”, observa o economista da CNI Marcelo Azevedo. Isso indica que a atividade industrial está se recuperando lentamente.
Azevedo destaca que no acumulado de janeiro a novembro de 2017 em relação ao mesmo período de 2016, a maioria dos indicadores apresenta quedas. Nesta base de comparação, o faturamento diminuiu 0,7%, as horas trabalhadas na produção caíram 2,3%, o emprego recuou 2,9% e a massa real de salários encolheu 2%. O rendimento médio do trabalhador aumentou 1%, favorecido pela queda da inflação. A utilização média da capacidade instalada aumentou 0,3 ponto percentual.

SAIBA MAIS – ACESSE AQUI A página dos Indicadores Industriais para conhecer todos os detalhes da pesquisa.
Agência de Notícias CNI

aumentouuO emprego na indústria brasileira cresceu 0,3% em novembro na comparação com outubro do ano passado, na série livre de influências sazonais. Foi o segundo mês consecutivo de melhora no emprego. A taxa de crescimento de 0,3% foi a maior registrada desde novembro de 2014, informa a pesquisa Indicadores Industriais, divulgada ontem (16) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).
As horas trabalhadas na produção também aumentaram 0,6% em novembro frente a outubro, na série de dados dessazonalizados, revertendo a queda registrada no mês anterior. Além disso, a utilização da capacidade instalada subiu para 78,3%, o maior nível desde fevereiro de 2016, também com ajuste sazonal.
No entanto, os demais indicadores de novembro são negativos. O faturamento caiu 0,6%, a massa real de salários recuou 0,8% e o rendimento médio do trabalhador diminuiu 0,5% na comparação com outubro, na série livre de influências sazonais. “Embora alguns dados mensais sejam negativos, os resultados positivos estão ficando mais frequentes”, observa o economista da CNI Marcelo Azevedo. Isso indica que a atividade industrial está se recuperando lentamente.
Azevedo destaca que no acumulado de janeiro a novembro de 2017 em relação ao mesmo período de 2016, a maioria dos indicadores apresenta quedas. Nesta base de comparação, o faturamento diminuiu 0,7%, as horas trabalhadas na produção caíram 2,3%, o emprego recuou 2,9% e a massa real de salários encolheu 2%. O rendimento médio do trabalhador aumentou 1%, favorecido pela queda da inflação. A utilização média da capacidade instalada aumentou 0,3 ponto percentual.

SAIBA MAIS – ACESSE AQUI A página dos Indicadores Industriais para conhecer todos os detalhes da pesquisa.
Agência de Notícias CNI