Carro usado por policiais pode ter atropelado idoso na faixa de pedestre em SP. Vítima morreu

A corregedoria da Polícia Civil investiga se um carro usado por policiais da delegacia do Tatuapé atropelou e matou um idoso na noite do domingo (14) na Zona Oeste da Capital. O aposentado Oswaldo Borin, de 79 anos, morava sozinho, tinha ido à igreja e estava voltando a pé para casa quando foi atropelado na faixa de pedestres sobre o cruzamento da Rua Heitor Penteado com a Avenida Pompeia por um veículo em alta velocidade. O motorista não parou para prestar socorro. A polícia acredita que tenha ocorrido um racha.
Os dois carros que estariam envolvidos no racha estão no 23º Distrito Policial (Perdizes): um Fiat 500 branco e um Gol azul. Um dos carros, o Fiat 500 com placa de Santo André, está com a frente amassada e o pára-brisa quebrado. Segundo o delegado, esse carro é usado como veículo descaracterizado por policiais do 30º DP (Tatuapé), na Zona Leste.
Segundo os policiais daquele distrito, o veículo teria sido usado por um carcereiro em uma investigação no Tatuapé. Ele teria dito aos policiais que quando voltou, por volta de 23 horas, o carro tinha sido furtado e não estava mais lá. No entanto, o horário afirmado do suposto furto do veículo é mais tarde do horário do atropelamento – o acidente ocorreu por volta das 21 horas.
Uma câmera de segurança gravou o momento em que os carros passaram em alta velocidade e um deles atingiu o idoso. Segundo o delegado titular Marcel Druziani, testemunhas relataram que os dois motoristas faziam zigue-zague na pista, o que reforça a hipótese de racha. No vídeo, dois carros passam em alta velocidade, superior aos 50 km/h, que é o limite máximo permitido no trecho.
Um dos suspeitos foi identificado pela da placa do automóvel e levado do trabalho por policiais civis para delegacia. Ele prestou depoimento na segunda-feira (15) à tarde e foi liberado. Ele negou que estivesse disputando um racha. O corpo do idoso foi cremado na terça-feira (16).
G1

A corregedoria da Polícia Civil investiga se um carro usado por policiais da delegacia do Tatuapé atropelou e matou um idoso na noite do domingo (14) na Zona Oeste da Capital. O aposentado Oswaldo Borin, de 79 anos, morava sozinho, tinha ido à igreja e estava voltando a pé para casa quando foi atropelado na faixa de pedestres sobre o cruzamento da Rua Heitor Penteado com a Avenida Pompeia por um veículo em alta velocidade. O motorista não parou para prestar socorro. A polícia acredita que tenha ocorrido um racha.
Os dois carros que estariam envolvidos no racha estão no 23º Distrito Policial (Perdizes): um Fiat 500 branco e um Gol azul. Um dos carros, o Fiat 500 com placa de Santo André, está com a frente amassada e o pára-brisa quebrado. Segundo o delegado, esse carro é usado como veículo descaracterizado por policiais do 30º DP (Tatuapé), na Zona Leste.
Segundo os policiais daquele distrito, o veículo teria sido usado por um carcereiro em uma investigação no Tatuapé. Ele teria dito aos policiais que quando voltou, por volta de 23 horas, o carro tinha sido furtado e não estava mais lá. No entanto, o horário afirmado do suposto furto do veículo é mais tarde do horário do atropelamento – o acidente ocorreu por volta das 21 horas.
Uma câmera de segurança gravou o momento em que os carros passaram em alta velocidade e um deles atingiu o idoso. Segundo o delegado titular Marcel Druziani, testemunhas relataram que os dois motoristas faziam zigue-zague na pista, o que reforça a hipótese de racha. No vídeo, dois carros passam em alta velocidade, superior aos 50 km/h, que é o limite máximo permitido no trecho.
Um dos suspeitos foi identificado pela da placa do automóvel e levado do trabalho por policiais civis para delegacia. Ele prestou depoimento na segunda-feira (15) à tarde e foi liberado. Ele negou que estivesse disputando um racha. O corpo do idoso foi cremado na terça-feira (16).
G1