Campina Grande terá ato nesta quarta pela Democracia e em defesa da candidatura de Lula

Os movimentos sociais e alguns sindicatos decidiram realizar um ato político nesta quarta-feira (24), em Defesa da Democracia e do direito do ex-presidente Lula ser candidato nas próximas eleições.
Em Campina Grande, o ato acontecerá a partir das 8h da manhã, na Praça do Complexo Judiciário, por trás do Colégio Estadual Augusto dos Anjos, na Liberdade.
“Para a Casa Grande, Lula representa o perigo de um governo popular e trabalhista voltar ao poder e restabelecer a democracia, a igualdade, a distribuição de renda, a justiça e a inclusão social”, apontou o presidente da CUT, Vagner Freitas. Segundo ele, não se trata de defender apenas a figura ou o legado do ex-presidente mas, também o funcionamento democrático e igualitário da justiça brasileira e os direitos sociais, previdenciário e trabalhistas.
“Vivemos período de profundos retrocessos sociais e democráticos. A condenação de Lula pelo Moro é mais um golpe à já combalida democracia brasileira, porque quando a justiça toma partido, condena sem provas, age pela presunção da culpa e um juiz se torna acusador, há algo sério acontecendo. Por isso fazemos parte dessa campanha que repudia essa acusação sem provas como parte da tentativa de tirar no tapetão o Lula da disputa política”, ressaltou Guilherme Boulos, líder do MTST e da Frente Povo Sem Medo.
“É na defesa da democracia e do lado certo da história que amanhã tomaremos as ruas da Praça do Complexo Judiciário em Campina Grande”, afirmou o professor Hermano Nepomuceno, do PT local.
Idêntico ato também está previsto para acontecer em João Pessoa.

Os movimentos sociais e alguns sindicatos decidiram realizar um ato político nesta quarta-feira (24), em Defesa da Democracia e do direito do ex-presidente Lula ser candidato nas próximas eleições.
Em Campina Grande, o ato acontecerá a partir das 8h da manhã, na Praça do Complexo Judiciário, por trás do Colégio Estadual Augusto dos Anjos, na Liberdade.
“Para a Casa Grande, Lula representa o perigo de um governo popular e trabalhista voltar ao poder e restabelecer a democracia, a igualdade, a distribuição de renda, a justiça e a inclusão social”, apontou o presidente da CUT, Vagner Freitas. Segundo ele, não se trata de defender apenas a figura ou o legado do ex-presidente mas, também o funcionamento democrático e igualitário da justiça brasileira e os direitos sociais, previdenciário e trabalhistas.
“Vivemos período de profundos retrocessos sociais e democráticos. A condenação de Lula pelo Moro é mais um golpe à já combalida democracia brasileira, porque quando a justiça toma partido, condena sem provas, age pela presunção da culpa e um juiz se torna acusador, há algo sério acontecendo. Por isso fazemos parte dessa campanha que repudia essa acusação sem provas como parte da tentativa de tirar no tapetão o Lula da disputa política”, ressaltou Guilherme Boulos, líder do MTST e da Frente Povo Sem Medo.
“É na defesa da democracia e do lado certo da história que amanhã tomaremos as ruas da Praça do Complexo Judiciário em Campina Grande”, afirmou o professor Hermano Nepomuceno, do PT local.
Idêntico ato também está previsto para acontecer em João Pessoa.