Advogado é vítima de golpe em JP e quadrilha usa R$ 80 mil de cartão

Um advogado foi vítima de um grupo que tem realizado golpes na Paraíba e em outros estados do país. O prejuízo do homem foi de R$ 80 mil, com compras realizadas em seu cartão de crédito em João Pessoa e em outras cidades do Brasil.
De acordo com informações da Delegacia de Defraudações e Falsificações de João Pessoa (DDF), o grupo mais uma vez aplicou o mesmo Modus Operandi: um dos integrantes ligou para o advogado, e se passando por funcionário de um banco, informou que o cartão da vítima teria sido clonado. Assim, o suspeito avisava que o banco tinha uma ‘parceria’ com a Polícia Civil, e iria mandar um policial ao endereço da vítima para que o cartão clonado fosse devolvido à instituição bancária.
Ao ter o cartão e senha em mãos, o grupo costuma utilizar todo o limite disponível. O cartão do advogado não havia limite, o que tornou o prejuízo ainda maior. Integrantes do grupo de todo o Brasil fizeram compras.
Até o momento, seis pessoas já foram vítimas da quadrilha, totalizando um prejuízo de R$ 200 mil.
O delegado Lucas Sá faz uma alerta: “É muito importante que nenhum dado pessoal seja confirmado via telefone. Caso alguma pessoa receba qualquer tipo de ligação informando suposta clonagem de cartão e informando que um funcionário do banco irá fazer visita, a Polícia deve ser acionada imediatamente”, explica.
Ainda segundo o delegado, é importante que as vítimas anotem o horário exato da ligação e todas as informações relacionadas ao golpe para ajudar a Polícia nas investigações. Todas as denúncias sobre o golpe da troca do cartão deverão ser encaminhadas à DDF ou pelo disque denúncia da polícia civil (197).
MaisPB

Um advogado foi vítima de um grupo que tem realizado golpes na Paraíba e em outros estados do país. O prejuízo do homem foi de R$ 80 mil, com compras realizadas em seu cartão de crédito em João Pessoa e em outras cidades do Brasil.
De acordo com informações da Delegacia de Defraudações e Falsificações de João Pessoa (DDF), o grupo mais uma vez aplicou o mesmo Modus Operandi: um dos integrantes ligou para o advogado, e se passando por funcionário de um banco, informou que o cartão da vítima teria sido clonado. Assim, o suspeito avisava que o banco tinha uma ‘parceria’ com a Polícia Civil, e iria mandar um policial ao endereço da vítima para que o cartão clonado fosse devolvido à instituição bancária.
Ao ter o cartão e senha em mãos, o grupo costuma utilizar todo o limite disponível. O cartão do advogado não havia limite, o que tornou o prejuízo ainda maior. Integrantes do grupo de todo o Brasil fizeram compras.
Até o momento, seis pessoas já foram vítimas da quadrilha, totalizando um prejuízo de R$ 200 mil.
O delegado Lucas Sá faz uma alerta: “É muito importante que nenhum dado pessoal seja confirmado via telefone. Caso alguma pessoa receba qualquer tipo de ligação informando suposta clonagem de cartão e informando que um funcionário do banco irá fazer visita, a Polícia deve ser acionada imediatamente”, explica.
Ainda segundo o delegado, é importante que as vítimas anotem o horário exato da ligação e todas as informações relacionadas ao golpe para ajudar a Polícia nas investigações. Todas as denúncias sobre o golpe da troca do cartão deverão ser encaminhadas à DDF ou pelo disque denúncia da polícia civil (197).
MaisPB