Pai de criança que morreu atropelada diz que ‘irá em busca’ de suspeito

cacada“Se as autoridades quiserem ir atrás para prender [o responsável], bem; se não quiser, eu estou aí na rua para ir atrás”. A revolta é do pai da menina de dois anos que morreu após ser atropelada por uma motocicleta, no Distrito Industrial, em João Pessoa, na noite do último sábado (27). A criança estava acompanhada da mãe, que ficou ferida. O condutor do veículo chegou prestar depoimento à Polícia Civil e foi liberado.
Para os familiares da vítima, esse “é mais um caso em que a justiça não funciona para pobres”. O pai da criança disse em tom de desabafo e revolta, que “justiça é só para os grandes”. O sentimento foi reforçado pela mãe dele. “Não tem justiça para pobre não. Se fosse um filho de rico, o responsável já estaria preso”.
“Tudo o que eu tenho é essa menina. Estou em choque ainda, não sei o que fazer. Ela era minha vida. Eu não saía de casa para trabalhar sem dar um beijo nela. E quando eu esquecia, eu voltava do meio do caminho”, lamentou o pai.
“Arrancou um pedaço de mim. Ela era tudo na minha vida, minha netinha. Ela foi uma bênção que Jesus mandou na hora certa, quando meu marido morreu. E uma pessoa tirar a vida dela assim. Minha bichinha merecia morrer não”, completou a avó.
A mãe da criança foi socorrida para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, onde seguia internada até a manhã desta segunda-feira (29), em situação regular. Ela está sob observação da equipe de neurologia do hospital. A assessoria não informou quais os tipos de ferimentos sofridos pela vítima.
Portalcorreio

cacada“Se as autoridades quiserem ir atrás para prender [o responsável], bem; se não quiser, eu estou aí na rua para ir atrás”. A revolta é do pai da menina de dois anos que morreu após ser atropelada por uma motocicleta, no Distrito Industrial, em João Pessoa, na noite do último sábado (27). A criança estava acompanhada da mãe, que ficou ferida. O condutor do veículo chegou prestar depoimento à Polícia Civil e foi liberado.
Para os familiares da vítima, esse “é mais um caso em que a justiça não funciona para pobres”. O pai da criança disse em tom de desabafo e revolta, que “justiça é só para os grandes”. O sentimento foi reforçado pela mãe dele. “Não tem justiça para pobre não. Se fosse um filho de rico, o responsável já estaria preso”.
“Tudo o que eu tenho é essa menina. Estou em choque ainda, não sei o que fazer. Ela era minha vida. Eu não saía de casa para trabalhar sem dar um beijo nela. E quando eu esquecia, eu voltava do meio do caminho”, lamentou o pai.
“Arrancou um pedaço de mim. Ela era tudo na minha vida, minha netinha. Ela foi uma bênção que Jesus mandou na hora certa, quando meu marido morreu. E uma pessoa tirar a vida dela assim. Minha bichinha merecia morrer não”, completou a avó.
A mãe da criança foi socorrida para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, onde seguia internada até a manhã desta segunda-feira (29), em situação regular. Ela está sob observação da equipe de neurologia do hospital. A assessoria não informou quais os tipos de ferimentos sofridos pela vítima.
Portalcorreio