Em Campina: Mototaxista mata a mulher e depois comete suicídio

Uma tragédia aconteceu na Rua Recife, no Conjunto Rocha Cavalcante, em Campina Grande, na manhã desta terça-feira (30/01).
Um mototaxista matou a mulher dele a tiros e depois se matou.

Tudo aconteceu por volta das 08h00 dentro da residência onde o casal morava.

Vizinhos escutaram os gritos da mulher e em seguida os disparos.
O mototaxista permissionário Lenilson Cavalcante, 44 anos, assassinou a própria esposa Maria Veríssima de Brito, de 47 anos e depois se matou.
O desespero tomou conta dos familiares.
O pai do mototaxista acredita que o filho comprou a arma recentemente com um dinheiro de um empréstimo.

O casal morava no sítio Lucas e se mudou para o Rocha Cavalcante havia um mês.
Lenilson e Veríssima estavam casados havia 14 anos e tinham uma filha de 10 anos.
De acordo com os moradores, o casal não costumava brigar. Todos ficaram surpresos com a atitude do mototaxista.
Ele pode ter surtado durante uma crise de abstinência.
Blog de Renato Diniz

Uma tragédia aconteceu na Rua Recife, no Conjunto Rocha Cavalcante, em Campina Grande, na manhã desta terça-feira (30/01).
Um mototaxista matou a mulher dele a tiros e depois se matou.

Tudo aconteceu por volta das 08h00 dentro da residência onde o casal morava.

Vizinhos escutaram os gritos da mulher e em seguida os disparos.
O mototaxista permissionário Lenilson Cavalcante, 44 anos, assassinou a própria esposa Maria Veríssima de Brito, de 47 anos e depois se matou.
O desespero tomou conta dos familiares.
O pai do mototaxista acredita que o filho comprou a arma recentemente com um dinheiro de um empréstimo.

O casal morava no sítio Lucas e se mudou para o Rocha Cavalcante havia um mês.
Lenilson e Veríssima estavam casados havia 14 anos e tinham uma filha de 10 anos.
De acordo com os moradores, o casal não costumava brigar. Todos ficaram surpresos com a atitude do mototaxista.
Ele pode ter surtado durante uma crise de abstinência.
Blog de Renato Diniz